Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Falha no freio do Toyota Prius tem solução grátis nos EUA – no Brasil não

Proprietários reclamam de falhas nos freios do Toyota Prius, que tem recall nos Estados Unidos para os modelos fabricados entre 2010 e 2015

Por Waldez Carmo Amorim Atualizado em 11 Maio 2021, 18h19 - Publicado em 15 jan 2021, 10h31
A concessionária pediu R$ 17.000 para consertar o carro de Alipio
A concessionária pediu R$ 17.000 para consertar o carro de Alipio Jessika Mariana Correr/Quatro Rodas

O sistema de freio de um híbrido funciona diferente, uma vez que o motor do carro, que responde pelo servofreio, é desligado constantemente. Assim, quando ocorre uma falha no equipamento, o proprietário fica sem o sistema de segurança, como está ocorrendo com alguns Toyota Prius. O técnico em eletrônica Alipio Jonathas Silva, de Piracicaba (SP), dono de um Prius 2013, conhece o problema.

Clique aqui e assine Quatro Rodas por apenas R$ 7,90

Ele conta que, após acender as luzes do painel, foi a concessionária que o informou de se tratar do servo do freio e pediu R$ 17.000 para consertar. Ele solicitou o reparo na garantia, mas disseram-lhe que o benefício cobria apenas o sistema híbrido. Situação mais grave, porém, ocorreu com o bancário Luiz Lopes Júnior, de Manaus (AM), proprietário de outro Prius 2013, cujos freios chegaram a faltar.

“Durante uma viagem com minha família, o pedal de freio endureceu após o servofreio falhar”, diz Luiz, que optou por importar ele próprio as peças para baratear o serviço. Sem a assistência do servo, os freios não deixam de atuar, mas dependem unicamente da força aplicada ao pedal pelo motorista.

A falha com os freios dos Prius de terceira geração é conhecida nos Estados Unidos, onde a Toyota realiza um recall, como afirma o advogado Mauro Max Abreu, de Cuiabá (MT), que também teve problemas com um Prius 2013.

Em 7 de março de 2019, a Toyota americana emitiu um boletim POL 18-03 de 9 de agosto de 2018 para o reparo de quase 950 mil Prius da terceira geração fabricados entre 2010 e 2015 com mais de três anos ou 36.000 milhas, ou 57.600 quilômetros rodados. No documento, a fábrica reconhece o problema e explica que o Prius deve ser encaminhado à concessionária.

Continua após a publicidade

Lá, identificados os Códigos de Diagnóstico de Problemas (DTCs) C1391, C1252, C1256 ou C1253, que ocorrem devido ao vazamento do fluido de freio dentro do cilindro mestre, o sistema auxiliar e o conjunto de bombas auxiliares do sistema de freio são trocados gratuitamente.

Por aqui, o reparo na garantia não é praxe. Entre os casos levantados pela QUATRO RODAS, apenas o do professor Vitor Camarão Paiva, de Salvador (BA), dono de um Prius 2012, foi atendido sem custos. Procurada para comentar sobre o Prius, a Toyota do Brasil negou que haja recall nos EUA e em qualquer outro país onde o modelo é comercializado.

O povo reclama

“Desde o início, percebi a má vontade da concessionária em resolver o problema em garantia. Após eu reclamar no SAC, me pediram pra voltar à concessionária para fazer alguns testes e, depois de 15 dias, me ligaram informando que se tratava de um defeito de fábrica e que a peça seria trocada sem custos.” Vitor Camarão Paiva, professor, Salvador (BA), dono de um Prius 2012

“Na concessionária me pediram R$ 12.500 pelo conserto. Então, preferi importar as peças e realizar o reparo na concessionária
por R$ 7.500.” Luiz Lopes Júnior, bancário, Manaus (AM), proprietário de um Prius 2013

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Capa Quatro Rodas edição de dezembro 740

Continua após a publicidade
Publicidade