Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Como funciona um posto de combustível?

A maior parte das estruturas e equipamentos de um posto de combustível fica debaixo da terra. Conheça seus segredos

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 3 Maio 2021, 16h33 - Publicado em 20 fev 2017, 11h10

Para reabastecer seu carro, um posto de combustível precisa ter muito mais do que um frentista e uma bomba.

Por baixo do concreto armado e das bombas de abastecimento estão enterradas tubulações, instalações elétricas, sensores eletrônicos e, claro, os tanques onde fica armazenado o combustível.

Boa parte da estrutura está ali por causa do manuseio de líquido inflamável. Ao menor sinal de violação do sistema – vazamento, diferença de pressão nas tubulações, falha na bomba – o combustível retorna ao tanque subterrâneo e evita a contaminação do solo.

Veja como funciona um posto de gasolina “por dentro”.

info-posto-de-combustivel

1 – Computador central 

Ele vai gerenciar as informações que vêm dos sensores eletrônicos espalhados pelo posto. Por ali controla-se o nível do reservatório e, no caso de emergência, é ele quem soa um alarme.

2 – Nível do tanque

Medidor eletrônico que vai informar quanto de combustível ainda resta no reservatório.

3 – Monitoramento

É instalado ao redor do tanque e chega até 1 metro abaixo dele. Por ali são colhidas amostras do solo para verificar uma possível contaminação por vazamento.

Continua após a publicidade

4 – Chegada do combustível

O caminhão é posicionado na área de descarga. O cabo-terra é conectado ao caminhão (para evitar estática) e a mangueira é engatada no bocal do tanque. A válvula do caminhão é aberta e a gravidade se incumbe de levar o combustível ao depósito subterrâneo.

5 – Tanque subterrãneo

O reservatório tem de 15 a 30 m3, parede dupla – a interna de aço e a externa de fibra de vidro ou plástico de alta resistência –, fica enterrado a cerca de 1,20 metro de profundidade e é capaz de armazenar de 15.000 a 30.000 litros de combustível.

6 – Boca de visita

Ela tem 42 polegadas de largura (1,07 m) e é o único contato do reservatório com a superfície. Por ela técnicos têm acesso às conexões que ligam a tubulação ao tanque.

7 – Tubo pescador

Por ele o combustível sai do tanque. Na extremidade inferior, uma tela vai impedir a passagem de partículas que possam existir no fundo do tanque.

8 – Bombas

Por dentro da carenagem estão os marcadores eletrônicos e uma bomba de sucção movida por um motor elétrico blindado, à prova de explosão. Quando o frentista aperta o gatilho no bico de abastecimento, o motor começa a funcionar e suga o combustível. Sensores eletrônicos enviam as informações para os mostradores. Sob a bomba existe uma caixa de proteção, onde é feita a manutenção das conexões ligadas à tubulação que traz o combustível do reservatório.

Continua após a publicidade

Publicidade