Clique e assine por apenas 8,90/mês

Autodefesa: donos de Tracker relatam problemas no disco de freio

SUV da Chevrolet, importado entre 2013 e 2016, está recebendo reclamações de proprietários por causa de empenamento no rotor

Por Waldez Carmo Amorim - 20 out 2017, 16h17
Chevrolet Tracker
Divulgação/Chevrolet

Donos do Chevrolet Tracker, importado entre 2013 e 2016, estão indignados com o surgimento dos casos de empenamento de freios de discos.

O pior é quando o defeito se manifesta com pouco tempo de uso, como ocorreu com o engenheiro civil Flávio Machado Torres, de Belo Horizonte (MG).

“Pouco depois de fazer a revisão de 10.000 km, percebi que, ao passar dos 80 km/h, o volante vibrava muito, a ponto de eu ter que fazer força para segurar o veículo em linha reta”, conta o proprietário de um Tracker LTZ 2014.

Na concessionária, ele descobriu que os discos estavam empenados e que a garantia não cobriria o defeito, por se tratar de desgaste natural. “O custo do conserto era de R$ 1.800. Preferi fazer num mecânico de confiança por R$ 1.000. Depois disso, encontrei na internet diversos casos como o meu.”

Continua após a publicidade

Entre os mais de 15 relatos semelhantes que achamos, está o da comerciante Paula Cristina Schulz, de Embu das Artes (SP). Ela lembra que com três meses de uso o volante já trepidava nas frenagens.

Carro de Paula está parado na garagem há quase dois anos Alexandre Battibugli/Quatro Rodas

“A concessionária disse que os freios estavam empenados e teria de trocar. Eu troquei, mas depois de três meses a vibração se repetiu. Por falta de peças, a autorizada pediu que esperasse e nunca mais me ligou. Como não confio mais no carro, procurei um advogado para resolver a questão com o meu Tracker LTZ 2015, que está há quase dois anos parado na garagem.”

Uma fonte ligada à fábrica revelou que, no dia 11 de novembro de 2015, a GM emitiu o Boletim Informativo de Garantia BIG-047A/2015, que ensina os procedimentos necessários para solicitar a garantia e fazer a substituição dos discos de freio do Tracker.

Consultada, a GM do Brasil disse que analisou o histórico dos proprietários ouvidos pela reportagem e alegou: “São ocorrências pontuais e improcedentes quanto à alegação de problemas” (com os discos de freio). “Trata-se de causas distintas e foram corrigidas dentro das normas legais”, respondeu a empresa.

Continua após a publicidade

O povo reclama

“Nos primeiros meses, o volante tremia um pouco, mas foi aumentando até parecer que iria desmontar.” Fabiola Tavares de Almeida, Itapecerica da Serra (SP), dona de Tracker LTZ 2015

“Os discos de freio começaram a trepidar com menos de 10.000 km. Pediram R$ 1.800 para trocá-los.” Flávio Machado Torres, Belo Horizonte (MG), proprietário de Tracker 2014

“Com três meses de uso, o volante vibrava quando eu freava.” Paula Cristina Schulz, Embu das Artes (SP), dona de Tracker LTZ 2015

Publicidade