Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Operação tapa-buraco

Por Redação 24 out 2014, 09h16

Por Péricles Malheiros

10 158 km

Nosso revisor de texto, Renato Bacci, estava em Piracicaba (SP) quando notou algo errado com o Up!. “Eu tinha acabado de sair de um restaurante e parei num semáforo. Assim que arranquei novamente, o carro começou a fazer barulho. Encostei e vi um enorme parafuso fincado no pneu traseiro esquerdo”, conta Bacci.

Para os momentos difíceis, bom humor: “Estava com a minha esposa e pedi a ela que cronometrasse quanto tempo eu levaria para fazer a troca do pneu. Demorei apenas 11 minutos”. Renato destacou a facilidade de encontrar as ferramentas: “Tudo está junto, no porta-malas: estepe, macaco, triângulo e chave de roda. Muito mais organizado do que o Etios que tínhamos na frota de Longa Duração, com macaco sob o banco do motorista, triângulo abaixo do do passageiro e o restante no porta-malas”.

O retorno para São Paulo – uma viagem de 190 km – foi uma prova de paciência para o revisor: “Tive que voltar a 80 km/h, velocidade máxima suportada pelo pneu de emergência que equipa o Up!”. Ele aproveitou a situação para aferir o consumo de combustível pelo computador de bordo. “Fiz a medição com ar-condicionado desligado e ligado. O Maps & More apontou, respectivamente, 16 e 13,9 km/l”, disse. Em São Paulo, levamos o pneu danificado até a borracharia que costuma atender os carros de Longa Duração. O reparo foi feito em 20 minutos, por R$ 50.

Logo após o episódio, o Up! chegou aos 10 000 km e foi encaminhado para a primeira revisão. No site da Brasilwagen, agendamos a data com facilidade. Preço e conteúdo da revisão coincidiam com os do site da Volkswagen. Deixamos o carro com alguns pedidos especiais de verificação: lavadores desalinhados (na dianteira) e vazando água mesmo muito tempo após o uso (na traseira), vidro do motorista com dificuldade de movimentação e aumento do índice de vibração na cabine. Após um dia de serviço, na devolução do carro, o consultor disse: “Os lavadores foram reparados e alinhados, a canaleta do vidro foi lubrificada com grafite e, de quebra, descobri que a tampa do reservatório do fluido de freio estava mal fechada”. Sobre o aumento do índice de vibração na cabine, o consultor não viu nada anormal. “É assim mesmo”, disse. O lavador traseiro continua babando água após o uso.

Consumo

No mês: 10,4 km/l com 28,4% de rodagem na cidade

Desde jun/14: 9,8 km/l com 50,3% de rodagem na cidade

Continua após a publicidade

Combustível: etanol

Custos no mês

Combustível: R$ 697

Alinhamento: R$ 160

Borracharia: R$ 50

Revisão: R$ 233

Principais ocorrências

183 Após o uso, lavador deixa escorrer água no vidro traseiro

722 Vidro dianteiro esquerdo se movimenta com dificuldade

5 992 Vibração no volante se intensifica

Continua após a publicidade

Publicidade