Impressões ao dirigir: novo VW Tiguan, logo mais no Brasil

Versão de 7 lugares está confirmada para o início de 2018; produção virá do México

Segunda geração foi apresentada no ano passado na Europa Segunda geração foi apresentada no ano passado na Europa

Segunda geração foi apresentada no ano passado na Europa (Divulgação/Volkswagen)

É oficial: a VW vai vender o novo Tiguan no Brasil. O SUV será lançado no final do ano, mas as vendas começam somente em 2018. A versão de estreia será a topo de linha, equipada com motor 2.0 TSI de 220 cv e carroceria de 7 lugares.

Mas há outras opções que a fábrica estuda trazer – como uma versão de 5 lugares e duas motorizações: 2.0 TSI de 180 cv e 1.4 TSI de 115 cavalos. A transmissão será sempre automática de sete marchas, com dupla embreagem e tração integral 4Motion.

Fomos a Wolfsburg, Alemanha, onde fica a sede mundial do Grupo VW e avaliamos a versão 2.0 de 220 cv, de cinco lugares, no padrão mais completo Highline. Visualmente, o novo Tiguan é bem diferente de seu antecessor. O SUV ganhou linhas mais retas, faróis de led e dimensões maiores, que fazem toda a diferença.

Visualmente, a impressão é de que o TIguan cresceu Lanternas traseiras ganham formato de L

Lanternas traseiras ganham formato de L (divulgação/Volkswagen)

Faróis são de leds; impressão é de que o Tiguan cresceu

Faróis são de leds; impressão é de que o Tiguan cresceu (divulgação/Volkswagen)

Por dentro, o estilo segue o visual conhecido em outros modelos da marca, como o Golf, por exemplo. A semelhança está no painel, no console no volante e nos bancos. Mas seu painel é um pouco mais inclinado, projetado na base, envolvendo mais o motorista.

O acabamento da versão Highline é primoroso. Inclui painel bicolor com apliques que imitam fibra de carbono e bancos que, apesar de revestidos em tecido, possuem o centro forrado com material que imita camurça.

Interior segue o padrão VW, com opção de painel totalmente digital e configurável

Interior segue o padrão VW, com opção de painel totalmente digital e configurável (divulgação/Volkswagen)

Nas laterais das portas, a VW não economizou. Além do plástico de boa aparência, há enxertos de tecido, na parte superior; couro, nos apoios de braços e feltro revestindo os porta-trecos, para abafar ruídos.

O aumento das dimensões se refletiu no espaço interno. Na versão avaliada, cinco pessoas viajam com conforto. Na dianteira, tanto o motorista quanto o passageiro têm bancos com ajuste de altura e, na traseira, os bancos podem ser reclinados, em três posições, e descocados em até 18 cm liberando espaço no porta-malas. Com os bancos avançados a capacidade de bagagem é de 615 litros (contra 470 l disponíveis na geração anterior).

Bancos traseiros podem ser reclinados e deslocados

Bancos traseiros podem ser reclinados e deslocados (divulgação/Volkswagen)

Ao volante, o Tiguan se comporta como um típico VW. A direção é leve, mas precisa. E a suspensão é firme. Em linha reta, o conjunto oferece conforto, mas nas curvas não abre mão da estabilidade, segurando a tendência da carroceria oscilar.

O desempenho da versão 2.0 é interessante. Nas saídas, o SUV poderia ser um pouco mais esperto. Mas depois que embala, ele vai bem. Nas autoestradas alemãs, onde existem trechos em que a velocidade é liberada, chegamos a 220 km/h. Segundo a fábrica, a versão avaliada por nós acelera de 0 a 100 km/h em 5,2 s. Mas esse número nos pareceu otimista.

Motor 2.0 TSI é um velho conhecido nosso Motor 2.0 TSI é um velho conhecido nosso, com 220 cv e 35,7 mkgf

Motor 2.0 TSI é um velho conhecido nosso, com 220 cv e 35,7 mkgf (divulgação/Volkswagen)

O novo Tiguan é o primeiro SUV do Grupo VW, desenvolvido sobre a plataforma modular MQB, que serve de base para o Golf e também será usada nos novos modelos que serão produzidos no Brasil, como o novo sedã Virtus.

Mas o Tiguan que chegará ao nosso mercado virá da planta da VW no México. Como o lançamento ainda está longe, a VW não fala sobre os preços do carro. Mas, estima-se que ele virá acima do atual modelo, que hoje custa a partir de R$ 128.270 (na versão 1.4 TSI com tração dianteira).

Na Europa, todas as versões possuem tração integral 4motion Na Europa, todas as versões possuem tração integral 4Motion

Na Europa, todas as versões possuem tração integral 4Motion (divulgação/Volkswagen)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Carlos Minkap

    Se os preços da versão de 5 lugares começarem muito acima da que é hoje, a VW já não vao começar bem a retomada do crescimento tão almejada por seu presidente.

  2. Marco Antonio Cardoso Andrade

    E o passageiro que sentar-se atrás e no meio, vai sofrer com o alto túnel do assoalho e com o modulo de saída do ar condicionado. Um carro grande, mas confortavelmente leva quatro e não cinco.