Impressões: Honda Civic Si, um esportivo de verdade

Para quem curte a beleza da carroceria cupê, o prazer do câmbio manual e a tecnologia de amortecedores adaptativos

O Si virá só nesta configuração de duas portas O Si virá só nesta configuração de duas portas

O Si virá só nesta configuração de duas portas (Divulgação/Honda)

As versões esportivas estão cada vez mais raras no mercado brasileiro. Digo esportivas de verdade, que vão além do emblema fajuto na traseira. Se for com câmbio manual, sobram só duas: Renault Sandero R.S. (150 cv, R$ 63.600) e Peugeot 208 GT (173 cv, R$ 84.490).

Dentro de seis meses, esse clube exclusivo receberá mais um sócio: o Honda Civic Si.

Se você ainda tem em mente o Si anterior, pode comemorar, porque o novo conserva uma de suas qualidades e aposenta um de seus defeitos. O modelo que chega às lojas no fim do primeiro semestre manteve a carroceria cupê de duas portas e as alterações visuais chamativas.

Elemento óptico vermelho une as duas lanternas Elemento óptico vermelho une as duas lanternas

Elemento óptico vermelho une as duas lanternas (Divulgação/Honda)

Não dará para confundi-lo na rua com o sedã: a grade em preto brilhante com a sigla Si em vermelho e o para-choque com imensas entradas de ar (falsas) sob os faróis denunciam que ele vem vindo. Quando passar voando por você, logo verá o aerofólio saliente e o largo escapamento único central.

O que o Civic esportivo perdeu – e ainda bem – foi o motor que só se mostrava bravo em alta rotação. O antigo tinha um 2.4 aspirado de 206 cv e 23,9 mkgf, que atingia o ápice da potência a 7.000 rpm. Parecia divertido nos track days, mas incomodava no dia a dia.

O novo Si usa o mesmo 1.5 turbinado da atual versão Touring, porém melhorado. Em vez de 173 cv e 22,4 mkgf, ele produz 208 cv a 5.700 rpm e 26,5 mkgf entre 2.100 e 5.000 rpm, sempre com um câmbio manual de seis marchas. 

A grade em preto e brilhante é a mesma do Civic Sport nacional A grade em preto e brilhante é a mesma do Civic Sport nacional

A grade em preto e brilhante é a mesma do Civic Sport nacional (Divulgação/Honda)

Apesar da nossa avaliação de apenas quatro voltas e velocidade controlada no circuito de Sodegaura (Japão), deu para notar que o novo Si está mais versátil sem perder o prazer de dirigir. A elasticidade do motor permitia ir de uma curva a outra do autódromo só em terceira marcha.

Assim, dá para andar em baixa rotação sem ter um carro chocho. Só lhe falta um pouco de fôlego para fazer dele um esportivo que dê frio na barriga nas acelerações. Como faz o Golf GTI, que produz 220 cv e 35,7 mkgf com seu 2.0 TSI acoplado ao câmbio DSG de seis marchas. 

A comparação faz ainda mais sentido porque o VW custa R$ 132.250, menos do que o futuro Civic. Como o Si virá do Canadá, o alto imposto de importação dificilmente o deixará abaixo dos R$ 160.000.

Por esse valor, ele fica devendo no acabamento, que remete à simplicidade do Civic comum. Os exclusivos bancos de tecido, por exemplo, têm revestimento pobre e visual sem graça.

Apoio integrado ao banco Banco é do tipo concha, mas com revestimento simples

Banco é do tipo concha, mas com revestimento simples (Divulgação/Honda)

Porém, o novato compensará em equipamentos que deixarão feliz qualquer fã de velocidade. A começar pelo câmbio de engates bem curtos e precisos, favorecidos pela manopla de pegada perfeita.

Há um quadro de instrumento digital configurável, que traz cronômetro para marcar tempo de volta ou indicador de força g, sempre com a iluminação vermelha.

Em vez de azul, este Civic usa iluminação vermelha no painel Em vez de azul, este Civic usa iluminação vermelha no painel

Em vez de azul, este Civic usa iluminação vermelha no painel (Divulgação/Honda)

A suspensão oferece outro presentinho. Além de molas, barras estabilizadoras e braços mais rígidos, há amortecedores adaptativos.

Ao acionar o modo Sport de condução, eles endurecem. No Normal, privilegiam o conforto. Para completar o conjunto, pneus 235/40 calçam as rodas de 18 polegadas, que acomodam os discos de freios maiores.

 

Veredicto

É um esportivo prático para o dia a dia sem abrir mão do câmbio manual, com um visual tentador e excelente dirigibilidade. Mas o preço deve ser maior que o de seu grande rival, o Golf GTI.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Diego Sampaio

    Muito melhor comprar o Touring e fazer um remap. Fica + de 220cv com o conforto de um CVT.