Clique e assine por apenas 5,90/mês

Comparativo: Sandero Dynamique x Sandero R.S.

Com receita elaborada, o Sandero RS pode ser incluído na lista dos hatches mais divertidos já feitos no Brasil

Por Ulisses Cavalcante - Atualizado em 15 mar 2018, 14h09 - Publicado em 28 jan 2016, 18h19

Renault Sandero Dynamique e R.S.

O Sandero R.S. pode ser considerado um marco na história da Renault. É a primeira vez que um automóvel desenvolvido fora da França recebe o título R.S. E, entre os modelos de baixo custo, é um dos poucos a ir além da maquiagem. Ele foi inteiramente revisto.

Baseado na versão Dynamique, a mais equipada da linha, a primeira providência foi a troca do conjunto mecânico. O motor 1.6 e a transmissão de cinco marchas deram lugar ao 2-litros aspirado e ao câmbio de seis velocidades, oriundos do Duster. Mas nem um nem outro permaneceu “original”.

As relações da caixa foram encurtadas – a terceira marcha, por exemplo, é de 1,45:1 no SUV e 1,63:1 no esportivo. Em quarta, 1,11:1 e 1,29:1 na mesma ordem.

Renault Sandero R.S.

O propulsor passou por um remapeamento da central eletrônica e ganhou um novo coletor de admissão, 20% mais largo. O duto de admissão foi reposicionado para favorecer a refrigeração e, por fim, os canos de escape tiveram o diâmetro alongado em 0,5 mm – com inclusão de um novo silenciador. Essas providências elevaram a potência original de 148 para 150 cv (com etanol), e modificaram até mesmo o som do veículo, mais grave, envolvente e agradável.

Apesar de o impacto na potência ser pequeno, o principal ganho foi em agilidade. Nas retomadas, o R.S. precisou de 8,8 segundos para ir de 80 a 120 km/h, ante 21,7 do Sandero 1.6. Nas frenagens, as melhoras também são sensíveis: a partir de 120 km/h, foram 63,7 metros até parar. O Dynamique  precisou de 67,8.

Renault Sandero Dynamique

Continua após a publicidade

Renault Sandero R.S.

A suspensão do R.S. foi rebaixada em 26 mm e recebeu molas mais rígidas (92% mais firmes na dianteira e 10% na traseira). Até as barras estabilizadoras foram reforçadas. As medidas aumentaram a estabilidade, mas não comprometeram o conforto no uso diário.

A troca de motores exigiu freios mais potentes. O Sandero 1.6 tem tambores no eixo traseiro. O R.S. 2.0 vem com discos nas quatro rodas, atrelados ao controle de tração e estabilidade. É possível intervir no ESP, modificando os modos de condução por meio de um botão. No primeiro estágio (Standard), o consumo é favorecido e as coleiras de segurança ficam ativas. Em Sport, o acelerador atua de forma arisca e o giro do motor é mantido em rotação elevada. Já o modo Sport+, recomendado para uso em pistas, desativa as assistências eletrônicas e permite ao motorista explorar toda a capacidade do carro.

Renault Sandero Dynamique

Renault Sandero R.S.

Além dos acessórios estéticos na parte externa, a versão esportiva tem como diferenciais a direção eletro-hidráulica com volante forrado em couro e 10 mm menor, bancos maiores, com apoio lateral reforçado e acabamento que faz alusão à série especial.

Por R$ 62.500, o Sandero R.S. supera o Dynamique por R$ 12.4000.  Com R$ 1000 a mais, você leva rodas de 17 polegadas. Não é um valor exagerado. E não há outro esportivo legítimo que custe menos.

VEREDICTO

Quem está em busca de um esportivo legítimo, de uso diário, e quer gastar o mínimo possível, fique com o Sandero R.S.. Não há melhor opção nesta faixa de preço.

Números do teste (com gasolina)
1.6 Dynamique 2.0 R.S.
ACELERAÇÃO
de 0 a 100 km/h: 15,3 s 10 s
de 0 a 1000 m: 36,6 s – 140,7 km/h 31,6 s – 163,8 km/h
VELOCIDADE MÁXIMA 179 km/h (dado de fábrica) 202 km/h (dado de fábrica)
RETOMADA
de 40 a 80 km/h (3 marcha): 8,5 s 5 s
de 60 a 100 km/h (4 marcha): 13,2 s 6,5 s
de 80 a 120 km/h (5 marcha): 21,7 s 8,8 s
FRENAGENS
60 / 80 / 120 km/h a 0: 16,6 / 30 / 67,8 m 16 / 27,1 / 63,7 m
CONSUMO
Urbano: 10,9 km/l 8,6 km/l
Rodoviário: 14,8 km/l 14 km/l
Ficha Técnica
1.6 Dynamique 2.0 R.S.
Preço: R$ 50.100 R$ 62.500
Motor: flex, diant., transv., 4 cil., 1 598 cm3, 106/98 cv a 5 250 rpm, 15,5/14,5 mkgf a 2 850 rpm flex, diant, transv, 4 cil., 1 998 cm3, 150/145 cv a 5 750 rpm, 20,9/20,2 mkgf a 4 000 rpm
Câmbio: manual, 5 marchas, dianteira manual, 6 marchas, dianteira
Suspensão: independente McPherson (diant.), eixo de torção (tras.) independente McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios: disco ventil. (diant.) e tambor (tras.) disco ventil. (diant.), sólido (tras.)
Rodas e pneus: liga leve, 185/65 R15 liga leve, 195/55 R16 (série) 205/45 R17 (opcional)
Dimensões: comprimento 406 cm; altura 153,6 cm; largura 173,3 cm; entre-eixos 259 cm; peso, 1 055 kg; porta-malas 320 l; tanque 50 litros comprimento 406,8 cm; altura 149,9 cm; largura 173,3 cm; entre-eixos 259 cm; peso, 1 161 kg; porta-malas 320 l; tanque 50 litros
Equipamentos de série: ar-condicionado, trio elétrico, alarme, computador de bordo e central multimídia ar-condicionado digital, central multimídia, ESP
Continua após a publicidade
Publicidade