Clique e assine por apenas 8,90/mês

Audi S6

Sedã de dupla personalidade aposta no preço abaixo dos rivais

Por Marcio Ishikawa | Fotos Marco de Bari - Atualizado em 8 nov 2016, 23h36 - Publicado em 10 dez 2013, 21h48
impressoes

Não precisei de muito tempo de convivência para concluir que o Audi S6 é um verdadeiro “duas caras”. Não na conotação negativa à qual a expressão é associada frequentemente, mas pelo fato de o sedã ter uma surpreendente versatilidade. A personalidade do S6 muda rapidamente, dependendo da necessidade ou da escolha do motorista, transitando sem pudor entre esportividade e luxo. Ele dispara tal como um velocista dos 100 metros rasos e, segundos depois, age com a calma e a elegância de um bom anfitrião em uma recepção de gala.

É evidente que, tratando-se da linha S da Audi, a esportividade é o que vem primeiro à tona. As diferenças visuais para o irmão A6 são mínimas: grade frontal cromada, capas dos retrovisores de alumínio, belas rodas de 19 polegadas e, na traseira, a presença do difusor e das ponteiras duplas de escape cromadas. Detalhes, diriam os mal-humorados, mas são detalhes que fazem o S6 se destacar e chamar (muita) atenção por onde anda. Já debaixo do capô, enquanto o A6 usa um 3.0 de 310 cv, o S6 é empurrado pelo novo V8 de 420 cv, motor que estreou por aqui com o S7 (que chegou ao Brasil no começo do ano), em conjunto com o câmbio automatizado de sete marchas S Tronic. O que isso faz de diferença? Enquanto o A6 acelerou no nosso teste de 0 a 100 km/h em 5,5 segundos, o S6 fez isso 0,9 segundo mais rápido – com 4,6 segundos, ele registrou exatamente o mesmo número divulgado pela fábrica. Isso já é suficiente para injetar uma boa dose de adrenalina na corrente sanguínea.

Mas em uma estrada sinuosa você perceberá que a suspensão bem calibrada e a tração integral deixam o carro pregado no asfalto. E, apesar de firme, a suspensão não tem a dureza de um M5, que parece que vai trepidar ao passar por cima de um palito de fósforo. A brincadeira fica mais interessante ainda se você decidir trocar as sete marchas nas borboletas do volante.

Após a diversão, você pode ajustar o Audi Drive Select de Sport para Comfort. O bom anfitrião entrará em ação, com reações de direção, acelerador e câmbio mais suaves, além da redução da rigidez do amortecedor. Assim, ele pode ser conduzido de forma dócil no trânsito pesado. Aliás, esse é um bom momento para prestar atenção no acabamento elegante, com materiais de primeira qualidade e agradáveis ao toque. Os bancos dianteiros são do tipo esportivo, com encostos laterais que prendem bem o corpo, mas também muito confortáveis. Ele ainda tem a preocupação de não ser um esbanjador. O V8 tem o start-stop, que o desliga em situações de espera, e o “cylinder on demand”, que em regimes mais baixos, sob certas condições, desativa quatro dos oito cilindros, para reduzir consumo e emissões. O Drive Select também permite ajustar direção, câmbio, motor e suspensão separadamente ou deixar que a central eletrônica decida a regulagem ideal, baseada no estilo de condução.

Continua após a publicidade

No mercado, o S6 briga com BMW M5 e Mercedes E 63 AMG. Contra eles, mesmo tendo cavalos a menos (são 560 e 557 cv), tem resultado próximo no 0 a 100 km/h (4,2 e 4,5 segundos) e, importante, cobra quase 100 000 reais a menos (528 000 e 529 000 reais).

VEREDICTO

Seu desempenho é pouca coisa inferior ao de M5 e E63 AMG, mas o conforto é maior – e a vantagem no custo-benefício, enorme.

Publicidade