Clique e assine com até 75% de desconto

Audi A3 e Fiat Mobi: manutenção filtrada

Filtro de cabine do A3 pediu substituição antecipada. No Mobi, cobraram pelo filtro de combustível, cuja troca nem estava prevista

Por Péricles Malheiros Atualizado em 23 nov 2016, 21h56 - Publicado em 31 out 2016, 15h43
A3 e Mobi - Longa Duração
Revisão da revisão: toda manutenção é vistoriada Acervo/Quatro Rodas

Audi A3 e Fiat Mobi fizeram uma pausa no último mês. O primeiro, com 30.000 km, passou pela manutenção que indica a metade de sua trajetória aqui no Longa Duração. O segundo debutou na rede Fiat ao encostar para a revisão dos 10.000 km.

LEIA MAIS:

>> Longa Duração: A3 sob a luz da nova lei de faróis

>> Longa Duração: as primeiras impressões sobre o Fiat Mobi

>> Todas as matérias do Longa Duração da QUATRO RODAS

O agendamento da parada do A3 ocorreu sem problemas. Sem observações anotadas no diário de bordo, o carro foi deixado na concessionária Audi Center ABC, em Santo André (SP), sem nenhum pedido especial. Por esse motivo, foi sugerido o serviço expresso, que consumiria apenas duas horas. Declinamos e só retiramos o carro no dia seguinte.

Continua após a publicidade

Mas assim que recebeu o carro, o consultor técnico fez a verificação do filtro de cabine e cravou: “A fábrica recomenda a substituição somente a cada 20.000 km, mas ele já está bastante obstruído. Recomendo a troca”. Como o componente estava visivelmente contaminado, aceitamos a sugestão e pagamos salgados R$ 163 extras.

A revisão, no entanto, saiu bem mais em conta do que a Audi sugere em seu site: R$ 706 ante R$ 1.000. A lista de sugestão da Audi mostra apenas o valor de cada parada até 30.000 km, bem menos completa, portanto, do que o padrão de mercado, com indicação de preço e conteúdo de cada revisão até 60.000 km.

Enquanto o Audi atingiu a segunda metade da jornada, o Mobi fez sua primeira visita à rede Fiat. Aos 10.000 km, ele passou por um rápido pit-stop de 2h40 na concessionária Impéria, em Limeira (SP).

No site da Fiat, o valor sugerido é de R$ 208, com troca de lubrificante do motor e filtros de ar e do óleo. Apesar de rápido, o serviço foi falho. A começar pela conta: R$ 225. Com o carro já fora da oficina, percebemos a presença de um item extra na nota fiscal: filtro de combustível.

Ligamos para a Impéria e, a princípio, o consultor alegou que o componente tem troca prevista em todas as revisões, ou seja, a cada 10.000 km. Rebatemos a informação dizendo que, de acordo com o manual do carro e o site do fabricante, a peça é substituída a cada 20.000 km.

Ele, então, se desculpou e disse que devolveria os R$ 19 do filtro. No entanto, a nossa verificação pós-revisão revelou algo ainda pior: o tal filtro cobrado indevidamente sequer havia sido trocado.

Fiat Mobi – 10.183 KM
CONSUMO
No mês: 10,6 km/l com 18,9% de rodagem na cidade
Desde julho de 2016: 10,2 km/l com 22% de rodagem na cidade
Combustível: etanol
GASTOS NO MÊS
Combustível: R$ 1.488
Revisão:  R$ 207
Alinhamento: R$ 145
FICHA TÉCNICA
Versão: Like On 1.0 Flex
Motor: 4 cilindros, dianteiro, transv., 999 cm3, 8V, flex, 75/73 cv a 6.250 rpm, 9,9/9,5 mkgf a 3.850 rpm
Câmbio: manual, 5 marchas
Audi A3 – 30.053 KM
CONSUMO
No mês: 8,8 km/l com 29,5% de rodagem na cidade
Desde fevereiro de 2016: 8,4 km/l com 25,3% de rodagem na cidade
Combustível: etanol
GASTOS NO MÊS
Combustível: R$ 1.460
Revisão: R$ 706
Alinhamento: R$ 280
Filtro de cabine: R$ 163
FICHA TÉCNICA
Versão: Ambiente 1.4 Turbo Flex
Motor: 4 cilindros, dianteiro, transv., 1.395 cm3, 16V, flex, 150 cv a 4.500 rpm, 25,5 mkgf a 1.500 rpm
Câmbio: aut., seq., 6 marchas

 

Continua após a publicidade
Publicidade