Clique e assine por apenas 8,90/mês

Venda de importados cai 4,1% em junho

Abeiva diz que situação pode causar demissões

Por Vitor Matsubara - Atualizado em 9 nov 2016, 12h00 - Publicado em 14 ago 2012, 14h57
mercado

As montadoras filiadas à Abeiva (Associação Brasileira das Empresas Importadoras de Veículos Automotores) registraram uma queda de 4,1% em julho, ante os resultados de junho. Se comparado ao mesmo mês do ano passado, o declínio chega a 41,5%. Foram emplacadas 10.739 unidades em julho deste ano.

“Se analisarmos o comportamento do mercado brasileiro por dados de market share, o desempenho da Abeiva em julho voltou a ter perda, de 3,06% ante 6,37% em julho de 2011. Ao comparar os totais do acumulado de 2012 e 2011, o nosso market share caiu de 5,65% para 4,12%; Está nítida a influência das altas do IPI e do dólar”, afirmou Flavio Padovan, presidente da Abeiva e presidente da Jaguar Land Rover do Brasil.

Padovan alertou que os maus resultados obtidos pelas importadoras devem acarretar em demissões e ameaça até o futuro de algumas empresas no país.

“Nós registramos queda de 4,1% em julho, enquanto o mercado anotou aceleração de 3,1%. Mas na comparação entre julho deste ano contra julho de 2011, enquanto a Abeiva absorve uma queda de 41,5%, o setor obteve alta de 22%”. Lamentavelmente, a atual situação de nossas associadas resultará na perda de 10 mil postos de trabalho até o final do ano”, afirmou o executivo.

Continua após a publicidade

Apesar do cenário pessimista, Padovan disse que ainda espera o anúncio de um plano de cotas para os importadores sem o impacto do aumento de 30 pontos no IPI. O presidente da Abeiva alega que as empresas importadoras de veículos hoje respondem por apenas 4,1% do total de veículos comercializados no país, volume insuficiente para ameaçar o desempenho das empresas com fábricas no Brasil, que detém 95,9% de todo o volume comercializado no mercado nacional.

Publicidade