Segredo: Honda prepara reestilização do HR-V e novo compacto

Versão chinesa do HR-V será a inspiração para o carro brasileiro, que muda em 2018

O XR-V não apenas parece um HR-V. Ele é um HR-V: mudam o para-choques e a tampa do porta-malas

O XR-V não apenas parece um HR-V. Ele é um HR-V: mudam o para-choques e a tampa do porta-malas (Divulgação/Honda)

O burburinho acerca de novidades no Honda HR-V para 2018 tem razão de existir. O SUV foi lançado em 2014 e as fábricas costumam mexer nos modelos por volta do terceiro ou quarto ano de mercado. Ou seja, as mudanças no compacto estão para aparecer.

E a inspiração pode vir da China. Por lá, a Honda vende o Vezel, um modelo idêntico ao nosso HR-V. E também comercializa o XR-V, esse com design mais esportivo.

Ele tem grade dianteira emoldurada por frisos paralelos, replicados na parte interna dos faróis (full-led, nas versões mais caras). O para-choque, com lanternas e faróis auxiliares incorporados, também é inédito.

Lanternas integradas seguem o estilo atual da Honda

Lanternas integradas seguem o estilo atual da Honda (Divulgação/Honda)

Estas mudanças deixam o XR-V bem ao estilo dos novos Fit e CR-V. A semelhança com o SUV médio é ainda maior na traseira, com lanternas de leds integradas entre si. A tampa do porta-malas também é diferente. Por dentro, todas as saídas de ar são redondas.

De perfil é difícil reconhecer as diferenças

De perfil é difícil reconhecer as diferenças (Divulgação/Honda)

O novo HR-V deve chegar aqui no segundo trimestre de 2018, não por coincidência, mesma data prevista para a chegada do Toyota C-HR (importado).

Antes disso, porém, a Honda terá outra atração para mostrar. Em fevereiro de 2018, chega o novo City, também reestilizado com o design proposto pelo CR-V, assim como ocorreu com o Fit 2018, lançado em outubro.

Além de detalhes vermelhos, painel tem saídas de ar redondas

Além de detalhes vermelhos, painel tem saídas de ar redondas (Divulgação/Honda)

É curioso observar que o próprio CR-V, que chegou à quinta geração este ano, já exibe um design modificado. O novo CR-V virá ao Brasil importado, mas ainda não tem data para desembarcar por aqui.

Novo compacto pode estar a caminho

A estratégia de renovação não para por aí. Segundo fontes, a Honda não abandonou o projeto, que anunciamos no fim do ano passado: a japonesa quer entrar no segmento de picapes com a Ridgeline.

Na segunda geração, essa picape compete com Toyota Hilux, Chevrolet S10 e Nissan Frontier. Sua estreia aqui não tem data prevista, mas a previsão é que fique para o final de 2018.

Honda Ridgeline é um projeto que ainda está em pauta na montadora

Honda Ridgeline é um projeto que ainda está em pauta na montadora (Divulgação/Honda)

A maior novidade na sequência seria um novo modelo compacto, equipado com motor 1.0 de três cilindros, turbo, com comando de válvulas variável e injeção direta de combustível.

Esse motor de 127 cv, já existe. Ele equipa o Fit, em outros mercados. Mas a possibilidade de sua vinda para o Brasil é nebulosa – apesar de fontes ligadas à fábrica informarem que esse carro já estaria no Brasil. O tempo dirá.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

  1. Rafael Pereira da Silva

    seria o honda Brio???

  2. Joao Vieira Jr

    O problema da Honda no Brasil é trocar seis por meia dúzia. Ela tem uma capacidade de produção esgotada. Está no limite. Então ela reformula um modelo e ele aumenta as vendas, automaticamente os outros têm seus números diminuídos porque para aumentar a produção de um é necessário reduzir dos outros. Isto apesar de ter uma fábrica nova fechada “aguardando” o mercado melhorar. Isto, para mim, é política suicida. Gosto muito dos carros da marca, mas, se quem é dono da marca age assim é melhor procurar quem cuida mais do seu produto.

  3. Paulo Felipe de Oliveira Costa

    Creio que há um erro na reportagem. O HR-V foi lançado no Brasil em 2015, já como modelo 2016. A reportagem afirma que o lançamento foi em 2014.