QUATRO RODAS de março: dirigimos o novo Toyota Corolla que será brasileiro

Testamos em primeiríssima mão o novo Toyota Corolla que será brasileiro, além das novidades Volkswagen T-Cross e Caoa Chery Tiggo 7

 (Arte/Quatro Rodas)

Ele vem para cá neste ano, e QUATRO RODAS já o testou.

Com menos cara de “tiozão”, o novo Toyota Corolla chega mais moderno, híbrido flex e inteiramente fabricado em solo brasileiro. Mas, claro: sem esquecer de sua fiel clientela que o fez líder no segmento.

Entre as novidades, o sedã ganhou a moderna plataforma modular TNGA, igual à do Prius, deixando a carroceria mais baixa e visual mais parrudo. Em nossa avaliação, mostramos o quanto isso afetou a dinâmica e o consumo do modelo.

Edição 719: exclusividade estampada na capa

Edição 719: exclusividade estampada na capa (Arte/Quatro Rodas)

Outro que vem chegando para ganhar espaço, mas no segmento de SUVs compactos, é o T-Cross. Pois é, demorou. Mas a Volkswagen quer correr atrás do tempo perdido com um produto feito no Brasil, e nós também já o dirigimos.

Serão quatro versões, com espaço de sobra e motorização 100% turbo para entregar desempenho e eficiência energética. Assim, o T-Cross promete movimentar bastante o mercado.

Também andamos no Caoa Chery Tiggo 7 e constatamos se sua promessa de entregar conteúdo farto com porte de Jeep Compass e preço de Renegade vai além de uma mera promessa.

E, para você, o que mais vale: um carro menor equipado ou um maior completo? Discutimos este dilema já antigo juntando hatches, SUVs e sedãs!

Para todos os gostos, temos ainda:

Audi RS 4 Avant: Perua: modelo familiar de perfil, pacato e conservador. Vai nessa…

Ecosport sem estepe: A quinta roda saiu da tampa e não está dentro nem abaixo do porta-malas.

Porsche 911: Está tudo novo, mas nem parece. E isso é justamente o destaque.

McLaren 600LT: Brinquedo com máxima de 328 km/h para só quatro brasileiros.

E MAIS: Correio Técnico, Via Expressa, Produtos para Carro, Clássicos, Novas Tecnologias, Jeremy Clarkson, Ranking de Testes, Top Ten…

Carta ao leitor

O outro lado da moeda

Após ler a insossa revista de janeiro, quase toda dedicada a carros elétricos e híbridos, fiquei tentado a cancelar minha assinatura.” Assim, começava uma entre dezenas de mensagens sobre o tema que gerou o maior número de comentários recebidos nos últimos anos em função de uma capa da QUATRO RODAS.

A edição que reuniu Chevrolet Bolt, Nissan Leaf, Renault Zoe e outras reportagens desse universo foi, de fato, polêmica. É só ir até a seção Viva-Voz para ver que o assunto continua rendendo, mesmo dois meses depois da publicação.

Se é verdade que muitos não veem graça em um elétrico, outros, porém, adoram a ideia de inovação e modernidade que esses modelos vão trazer para a nossa vida.

A mensagem enviada pelo leitor, porém, não havia acabado. Na sequência escreveu: “Ao ver a edição de fevereiro, tive a grata surpresa de receber junto o livro Clássicos do Brasil, que me fez imaginar dirigindo grande parte desses antigos. (…) O fato é que resolvi dar mais uma chance e permanecer com minha assinatura”. Ele se referia ao livro que os assinantes ganham uma vez ao ano, especialmente preparado pela redação.

A inovação dos carros elétricos ou a nostalgia dos clássicos nacionais? Aqui cabem os dois

A inovação dos carros elétricos ou a nostalgia dos clássicos nacionais? Aqui cabem os dois (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Em 2018, foi o Manual do Usuário, com 142 dúvidas de leitores ao longo de 40 anos do Correio Técnico. Agora é uma seleção com os melhores carros nacionais publicados na seção Clássicos nos últimos 20 anos.

Você é daqueles que preferem comprar a revista todo mês? Não faz mal. O livro também pode ser adquirido à parte, por R$ 29,90, em bancas, livrarias e sites especializados, como a Amazon. Só não demore muito, pois a tiragem é limitada.

Veículos elétricos e carros antigos. Essa dualidade de gerações, tecnologias e opiniões são faces opostas da mesma moeda. É a faísca que inflama nossa paixão pelo mundo do automóvel. E ela está mais presente do que parece.

Como na nova geração do Porsche 911, que aos 55 anos traz inovações inéditas para o esportivo, mas resgata elementos visuais das versões mais icônicas (pág. 50). Ou na reportagem do rali de automóveis clássicos, que usam até aplicativo Android para se manter na rota. Ou no teste de som premium, onde as marcas mais tradicionais do mundo (Rolls-
-Royce, Lamborghini, Ferrari) brilharam – ou não – com o que há de mais avançado em áudio. Nem o novo Corolla escapou dessa lógica maniqueísta, afinal o mais careta dos sedãs vai ser o pioneiro híbrido no Brasil.    

E você, qual é o lado dessa moeda que move o seu coração? Escreva para nós e conte qual é o combustível da sua paixão sobre rodas.

Zeca Chaves
Redator-chefe
zeca.chaves@abril.com.br

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Why people still use to read news papers when in this technological world the whole thing is presented on web?