Clique e assine por apenas 8,90/mês

Por que a Chevrolet pode salvar as operações da GM na Europa

Montadora anunciou troca de comando da marca no mercado europeu e sinalizou que espera por mudanças

Por Daniela Barbosa, de Exame.com - Atualizado em 9 nov 2016, 12h31 - Publicado em 26 jun 2013, 20h26
geral

A General Motors anunciou a troca de presidente das operações da Chevrolet no mercado europeu e, com a mudança, uma nova estratégia para a marca será colocada em prática a partir de agora. A ideia é que a Chevrolet tenha tanta representatividade que a Opel na região.

Thomas Sedran, executivo da Opel, irá assumir o comando da Chevrolet no mercado Europeu. “Estamos trabalhando duro com a marca na região e precisamos de uma nova perspectiva. Sedran entende os conflitos que temos com as nossas duas bandeiras por lá, e é o que precisamos para nos reposicionarmos”, afirmou Dan Akerson, presidente global da General Motors, em nota.

Na Europa, a GM detém pouco mais de 8% de participação de mercado e pelo menos 7% são representados pela operação da Opel, segundo dados da consultoria ACEA. Em maio, a montadora vendeu 87.943 unidades no mercado europeu, 11,3% a menos na comparação com o mesmo período do ano passado. Desses, 13.373 são da marca Chevrolet.

A Chevrolet atua na região principalmente com a oferta de veículos premium e a GM não pensa em transformar a marca que ofereça veículos de entrada. Nesta semana, a montadora já havia sinalizado que a Chevrolet deve unificar a sua produção e oferecer os mesmos modelos de carros em todos os mercados onde tem presença.

Continua após a publicidade

Mudanças

A empresa deve anunciar em breve a mudança também do chefe das operações globais da Chevrolet. Alan Batey, executivo da casa, é cotado para assumir o cargo. Em recente entrevista ao Wall Street Journal, o executivo afirmou que a Chevrolet quer passar a desenvolver carros para as famílias.

“Se voltarmos no tempo e olharmos para o no nosso melhor, esse tempo foi quando a Chevrolet desenvolveu produtos que mexiam com o emocional das pessoas”, disse o executivo ao jornal americano. A marca é a principal marca da General Motors e responde por cerca de 70% das vendas gerais da montadora americana.

Publicidade