Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Pai e filho constroem VW Fusca gigante com base de Dodge e motor V8

Incomodados com o tamanho reduzido do Volkswagen, dupla construiu modelo 40% maior que o original por conta própria

Por Daniel Telles Atualizado em 28 ago 2020, 20h40 - Publicado em 28 ago 2020, 15h00
Besouro Gigante – como foi apelidado – é 40% maior que o convencional Reprodução/Internet

Scott Tupper e seu pai são dois americanos do estado da California que dividem uma paixão: um VW Fusca ano 1959. Entretanto, havia um problema no relacionamento da dupla com o carro.

Tanto pai, quanto filho se incomodavam com o tamanho compacto do modelo, pois sentiam-se como se “pudessem ser atropelados no trânsito a qualquer momento”.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Para solucionar o problema, a família Tupper recorreu a uma ideia um tanto quanto original e engenhosa: pai e filho decidiram construir um Fusca idêntico ao original, mas 50% maior.

A escala teve de diminuir um pouco – para 40% – por uma questão legal. Mas, mesmo assim, os Tupper insistiram no processo.

Plataforma e motor vêm de carros Dodge Reprodução/Internet

O primeiro passo foi escanear o VW Fusca 1959 inteiro para um computador. Feito isso, todos os componentes do carro foram aumentados em 40% para criar peças idênticas que serviriam ao Besouro Gigante – como foi apelidada a criação.

Continua após a publicidade

A plataforma escolhida foi de um Dodge, assim como o motor: um V8 5.7 proveniente de um Magnum.

Ao final dos trabalhos, o resultado foi uma réplica idêntica do Fusca 1959 da família, o que inclui até mesmo o interior do carro.  As exceções são os vidros e travas elétricas e bancos com ventilação e aquecimento, que foram adicionados para melhorar o conforto.

  • Confira no vídeo abaixo (em inglês) a história completa do VW Fusca gigante:

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Fernando Pires/Quatro Rodas

     

     

    Continua após a publicidade
    Publicidade