Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Os mais queridos esportivos japoneses (parte 2)

Relembre modelos que marcaram gerações por conta de seu apelo visual e pelo prazer ao dirigir

Por Rodrigo Furlan Atualizado em 9 nov 2016, 14h33 - Publicado em 25 jun 2015, 17h43
classicos

Algumas das maiores empresas automotivas do mundo são de origem japonesa. Não por acaso, essas marcas tiveram alguns produtos marcantes ao longo dos anos: os carros esportivos. Seguimos relembrando alguns deles e convidamos você a matar a saudade!

CONFIRA TAMBÉM A PARTE 1!

Lexus LFA (2010-2012 – foto em destaque)

Jeremy Clarkson uma vez disse que, se pudesse escolher um modelo para receber como presente, seria um LFA azul-marinho. O polêmico apresentador não foi o único a exaltá-lo, com recorrentes saudações à dirigibilidade do LFA. Desde que a última das 500 unidades foi produzida, todos só querem saber: quando o sucessor do LFA será lançado?

Datsun 2000 (1967-1970)

datsun-2000.jpeg

Um carro esportivo popular. Esse era o Datsun 2000, tendo em vista que esta a marca de baixo custo da Nissan. O roadster tinha muito estilo e era bastante leve, com apenas 950 kg. Com isso, o motor 2.0 de 135 cv (podia também ser configurado para 150 cv) dava conta de empurrá-lo à velocidade máxima de 193 km/h.

Nissan S30 (1969-1978)

nissan-s30.jpeg

Vendido no mercado norte-americano como Datsun 240Z e no Japão como Nissan Fairlady Z, o S30 foi considerado por muitos especialistas como “carro à frente do seu tempo”. Ele era equipado com motor 2.4 de seis cilindros, oferecia 151 cv, tinha tração integral e… era muito mais barato do que afamados modelos europeus.

Toyota 2000GT (1967-1970)

toyota-2000gt.jpeg

Sua passagem pelo mercado mundial foi breve, mas marcante. Tanto que esse clássico foi guiado até por James Bond (Sean Connery, em 007 – Só se vive duas vezes)! O 2000GT tinha motor 2.0 de seis cilindros modificado pela Yamaha, bom o bastante para desenvolver 150 cv.

Nissan Silvia (1964-1968 e 1974-2002)

nissan-silvia.jpeg
Continua após a publicidade

Diga a verdade: você jogou em muitas fases de Gran Turismo, do primeiro PlayStation, com o Nissan Silvia! A escolha era óbvia, já que oferecia um ótimo custo-benefício no jogo. Na vida real, sua última versão de desenvolvimento foi a S15, dotada de motor 2.0 turbo de 250 cv.

Mitsubishi FTO (1994-2000)

mitsubishi-fto.jpeg

Originalmente, ele seria vendido apenas no mercado japonês. Mas seu sucesso foi tão grande (Carro do Ano no Japão 1994-95) que acabou ganhando a chance de ir a outros países, sobretudo no Reino Unido. Ele tinha um design belo e agressivo, mas poupava custos com a utilização de tração dianteira. Foi usado por Jackie Chan no filme Thunderbolt – Ação sobre rodas.

Mazda RX-8 (2003-2012)

mazda-rx-8-2009.jpeg

Idealizado como sucessor do RX-7, ele também era equipado com o famoso motor 1.3 Wankel, típico da Mazda. Por padrão, ele desenvolvia 191 cv, mas chegou a ganhar versões com até 250 cv. Apesar de ganhar diversos prêmios, incluindo o de carro do ano no Japão em 2003, o modelo foi descontinuado em 2012, desde quando se fala sobre um sucessor.

Subaru WRX STI (1994-presente)

subaru-wrx-sti-1994.jpeg

STI é a sigla para Subaru Tecnica International, divisão da montadora responsável pela preparação dos carros para competição. Ela já havia atuado no Legacy, mas ganhou realmente destaque com o lançamento do Impreza WRX. Em 1994, o modelo foi trabalhado com fibra de carbono, modificações de motor e no sistema de exaustão. Vieram o sucesso e, depois, muitas outras gerações.

Mitsubishi Lancer Evolution (1992-2015)

666-evo-02.jpeg

Um carro de corrida que também podia ser utilizado nas ruas. Foram dez gerações, sendo que a última delas foi a mais longeva, tendo sido introduzida em 2007. Sua série especial de despedida, a John Easton, foi lançada há alguns meses, com motor 2.0 turbo de 340 cv. Apesar de procurar um parceiro para produzir seu sucessor, a Mitsubishi já iniciou o projeto do novo modelo de modo independente.

Honda Civic Type R (1997-presente)

genebra-2015

O Salão de Genebra deste ano marcou o retorno do modelo ao mercado global, notícia que fez diversos entusiastas vibrarem. O Type R havia saído de cena em 2010, mas, desde que surgiu, a proposta era uma só: ser uma versão do Civic direcionada àqueles que queriam emoção ao volante, deixando um pouco de lado a racionalidade. O atual modelo tem motor 2.0 turbo com mais de 280 cv.

Continua após a publicidade

Publicidade