Clique e assine com até 75% de desconto

Novos Land Rover Discovery Sport e Evoque monitoram até a qualidade do ar

SUVs de luxo têm novos motores híbridos, dois chips de internet e até monitora a qualidade do ar da cabine

Por Joaquim Oliveira Atualizado em 25 ago 2020, 20h14 - Publicado em 25 ago 2020, 20h00
Divulgação/Land Rover

A Land Rover usa o facelift para o novo ano para equipar Land Rover Discovery Sport e Range Rover Evoque com novos motores e infoentretenimento aprimorado.

A Jaguar Land Rover tem grandes mudanças por vir. A partir de 10 de setembro, Thierry Bolloré assumirá o comando da empresa, substituindo o alemão Ralf Speth. A troca ocorre em tempos difíceis.

Quer ter acesso a todos os conteúdos exclusivos de Quatro Rodas? Clique aqui e assine com 64% de desconto.

Mesmo antes da crise do COVID-19, as coisas não estavam indo tão bem como antes na fabricante britânica. As vendas entraram em colapso e as demissões turvaram o clima. Apesar da pandemia, os negócios continuam e o Land Rover Discovery Sport e o best-seller compacto Evoque precisavam de atualizações.

Divulgação/Land Rover

Algumas são internas. Os dois SUVs ganharam a nova central multimídia Pivi Pro, de 10 polegadas, que estreou no novo Defender.

Ela pode ser atualizada pela internet, por meio de cartão SIM dedicado, gratuitamente. Outro cartão SIM pode ser usado apenas para conectividade de aplicativos, como os de streaming de música, sem risco de interrupção ou lentidão. Além de hardware mais robusto, o aparelho pode estar conectado a dois telefones celulares via Bluetooth ao mesmo tempo.

Divulgação/Land Rover

Também é novidade o novo sistema de filtragem do ar da cabine presente em ambos os modelos e em todas as versões. Além de ser mais eficiente, a qualidade do ar pode ser checada na central multimídia.

Continua após a publicidade
Divulgação/Land Rover

Mas um facelift dos Land Rover estaria incompleto se não tivesse um novo modelo ainda mais luxuoso. É o caso do Discovery Sport Autobiography, com detalhes especiais no interior – o mesmo acontece com o Range Rover Evoque.

Divulgação/Land Rover

Também há boas novidades entre os motores. Depois que ambos receberam a mecânica híbrida plug-in a gasolina, com 309 cv e autonomia elétrica de 62 quilômetros (Discovery Sport) ou 66 quilômetros (Evoque), agora os motores diesel também têm sistema híbrido parcial.

Divulgação/Land Rover

São dois motores da família Ingenium de quatro cilindros com um motor de partida de 48 volts acionado por correia geram 163 cv e 204 cv. O consumo de combustível médio varia entre os 20 km/l para o Evoque D165 a 13,9 km/l para o Discovery Sport D200.

  • Ambos são oferecidos com tração dianteira ou integral, bem como transmissão manual de seis velocidades ou a bem conhecida transmissão automática de nove velocidades. Especialmente a transmissão de nove marchas, que nem sempre se mostrou convincente em testes anteriores, deve se beneficiar da eletrificação.

    Divulgação/Land Rover

    Versão de entrada do Range Rover Evoque, a P160, tem o motor a gasolina de três cilindros com 160 cv usado nos híbridos plug-in, mas com motor de partida de 48 volts acionado por correia de e torque 26,3 kgfm. O motor é turbo twin-scroll com duplo comando variável e elevação variável das válvulas de admissão.Com câmbio automático de oito marchas, chega aos 100 km/h em 10,3 s e consegue consumo médio de 12 km/l.

    Os outros motores a gasolina (P200, P250 e P300) também estão equipados com o módulo híbrido parcial MHEV.

    Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

    Continua após a publicidade
    Publicidade