Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Mitos e verdades sobre carros com mais de 5 anos

Descubra se a manutenção de um veículo mais antigo custa tão caro quanto dizem ou se o motor perde a potência com o passar do tempo

Por Abril Branded Content
Atualizado em 17 nov 2017, 12h17 - Publicado em 8 nov 2017, 17h44

Muitos acreditam que comprar um carro com mais de 5 anos é pagar para ter problema, seja pelo suposto alto custo com a manutenção ou por problemas herdados ao longo dos quilômetros percorridos. Essas questões seriam mitos ou verdades? Para esclarecer essas e outras dúvidas, conversamos com o engenheiro Renato Romio, chefe da divisão de motores e veículos do Instituto Mauá de Tecnologia. Confira o que ele diz:

1. Um carro com 5 anos ainda é novo?

Verdade. Hoje em dia, os carros são fabricados para durar, em média, até 200 000 quilômetros. O mais comum é atingir essa quilometragem depois de uma década de uso. Portanto, aos 5 anos – e com quilometragem abaixo de 200 000 –, o carro pode, sim, ser considerado novo.

2. O custo da manutenção dobra a cada ano?

Mito. O valor da revisão independe da idade do carro e não dobra de um ano para outro apenas porque ficou um ano mais velho. O valor da manutenção está muito mais ligado à quilometragem. Além disso, o custo pode ser reduzido se for planejado e programado. Isso ajuda a evitar surpresas desagradáveis com peças que quebram e prejudicam outras, o que pode agravar o prejuízo.

3. Carro com mais de 5 anos só dá dor de cabeça?

Mito. Antes de ultrapassar 200 000 quilômetros, o carro dá pouca ou praticamente nenhuma dor de cabeça para o dono. Essa quilometragem normalmente é atingida depois de uma década de uso. Tal pensamento vem dos anos 1970 ou 1980, quando os carros eram fabricados para durar quatro ou cinco anos. Longe da nossa realidade. “A quilometragem nos anos 1970 zerava depois de 99 999”, lembra o especialista. “Hoje, o hodômetro tem mais um dígito exatamente porque o carro dura mais.”

Continua após a publicidade

4. A idade do carro afeta o desempenho do motor?

Mito. A diferença é que um carro com 10 anos de uso é da geração de carros de dez anos atrás. “A tecnologia evolui. Atualmente, os carros populares são muito mais potentes do que eram há dez anos”, indica o especialista. A diferença hoje em dia, no entanto, é muito menor do que era até a década de 1980, por exemplo. “Um carro de 1985 era infinitamente mais potente do que um de 1975, que já era muito mais evoluído do que o de 1965”, explica. Porém, um modelo 2017 não é tão diferente de um 2007.

5. Não vale a pena levar um carro com mais de 5 anos para fazer revisão na concessionária.

Mito. A revisão feita na concessionária, além de verificar o desgaste das peças e a troca de fluidos, vale como um check-up do automóvel. Ou seja, diminui os riscos de dor de cabeça com imprevistos. “Identificar problemas com antecedência evita que você tenha maiores prejuízos com o carro”, afirma o especialista.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.