Clique e assine por apenas 8,90/mês

Mini troca câmbio automático por câmbio de dupla embreagem

Nova transmissão de sete marchas é mais ágil e eficiente que antiga, de seis velocidades

Por Henrique Rodriguez - Atualizado em 9 jan 2018, 15h30 - Publicado em 21 dez 2017, 18h07
MINI-dct
Nova transmissão DCT é mais rápida e eficiente Divulgação/Mini

Pela primeira vez em 17 anos um Mini será vendido com câmbio de dupla embreagem. O compacto foi lançado com câmbio CVT, que depois substituído por transmissões automáticas convencionais de seis marchas, sempre como opção a uma caixa manual.

Agora a fabricante inglesa controlada pela BMW começa a usar a nova caixa automatizada de dupla embreagem e sete marchas nos Mini One, Cooper e Cooper D (diesel). As versões esportivas Cooper S e John Cooper Works receberão a nova transmissão ao longo de 2018.

MINI-dct
Alavanca funciona como joystick e retorna para a posição original após o comando Divulgação/Mini

Vale dizer que as borboletas para trocas sequenciais no volante ficarão restritas aos modelos esportivos. Nos demais, as trocas sequenciais serão feitas na própria alavanca – que é eletrônica, e retorna sempre para a posição original após o motorista selecionar nova posição.

A Mini diz que ainda não havia entrado no mundo das transmissões de dupla embreagem, pois eram muito maiores, pesadas e complexas que as automáticas.

Continua após a publicidade

Mas esta nova, desenvolvida pela Getrag, tem atuadores eletrônicos, não hidráulicos, o que a tornou tão compacta quanto uma automática.

Mas as embreagens estão imersas em óleo, não são secas como as usadas no passado pelo Golf 1.4 TSI. Neste conjunto, há uma embreagem para marchas pares e outra para as ímpares e ré, o que, teoricamente, torna o câmbio mais rápido.

MINI-dct
Modelos mais fracos não têm borboletas para trocas sequenciais Divulgação/Mini

E é isso mesmo que Mini promete. Diz a fabricante que seu câmbio DCT é mais rápido e eficiente que o antigo automático de seis marchas e torna os carros mais suaves.

A nova transmissão trabalha com o sistema stop-start, desacopla o câmbio quando o motorista tira o pé do acelerador, deixando o motor em marcha-lenta e usa informações do GPS para estabelecer a marcha correta para o momento.

Continua após a publicidade
MINI-cooper-dct
Mini Cooper D é um dos modelos equipados com a nova caixa de dupla embreagem Divulgação/Mini

Os Mini com câmbio DCT começam a ser vendidos no Reino Unido na virada do ano. Lá, as versões com nova transmissão custarão 1.345 libras (R$ 5.930) mais que as com câmbio manual.

Publicidade