Clique e assine por apenas 8,90/mês

Mercedes-Benz Unimog, o monstro da trilha

Para celebrar os 70 anos do Unimog, andamos no caminhão da Mercedes-Benz que faz a Classe X parecer brinquedo de criança

Por Vitor Matsubara - Atualizado em 17 dez 2018, 15h43 - Publicado em 1 dez 2017, 14h06
Unimog nasceu para um trabalho e virou queridinho dos Exércitos
Unimog nasceu para um trabalho e virou queridinho dos Exércitos Christian Castanho/Quatro Rodas

O Unimog nasceu para ser uma opção versátil aos tratores – trata-se de um utilitário pesado e, ao mesmo tempo, compacto. Pequeno, claro, com todas as considerações possíveis.

Esse nome é uma abreviação para Universal Motor Gerät, em alemão. Ou, traduzindo, Máquina Motorizada Universal. Não é exagero dizer que o veículo ajudou a reconstruir uma Alemanha devastada pela Segunda Guerra.

Atrás, barraca e cozinha
Atrás, barraca e cozinha Christian Castanho/Quatro Rodas

O engenhoso projeto tem peculiaridades como o eixo portal, um sistema que deixa o eixo em uma posição acima das rodas, ajudando a transpor obstáculos mais altos.

Eixos portais ajudam a transpor obstáculos mais altos
Eixos portais ajudam a transpor obstáculos mais altos Christian Castanho/Quatro Rodas

Como é comum aos Unimog ainda na ativa, o fraco motor 2.2 a gasolina de 80 cv deste exemplar 1966 foi trocado: agora há um 2.5 diesel (95 cv e 22,4 mkgf) da Sprinter e a direção hidráulica oriundo da Ford F-4000.

Continua após a publicidade

Mas o restante da mecânica está do jeito que saiu da fábrica na Alemanha. De lá, ele foi para o aeroporto de Maringá (PR), onde serviu ao Corpo de Bombeiros por anos.

Hoje, está nas mãos de Aurélio Martimbianco. Funcionário da Mercedes, ele gastou R$ 60.000 para comprar o veículo, mais R$ 40.000 nas alterações.

Pneus lameiros não são originais, assim como a pintura camuflada
Pneus lameiros não são originais, assim como a pintura camuflada Christian Castanho/Quatro Rodas

Quem não está habituado a dirigir caminhões antigos (como eu) precisa se acostumar às particularidades do bruto. A embreagem é dura, o câmbio é bem impreciso e os freios a tambor são muito ruins.

O volante do Unimog é pesado
A direção do Unimog é pesada, e nem parece que tem assistência hidráulica vinda de uma Ford F-4000 Christian Castanho/Quatro Rodas
Marcha reduzida pode ser engatada a qualquer velocidade
Marcha reduzida pode ser engatada a qualquer velocidade Christian Castanho/Quatro Rodas

Mas essas características precisam de atenuação. Em primeiro lugar, a referência são os utilitários atuais, dotados de sistemas eletrônicos e assistências ao motorista. Na trilha, o Unimog é um monstro. E a gente esquece todo o esforço que é fazê-lo sair do lugar.

Pedras, inclinações negativas e fossos de lama parecem asfalto plano. Apesar de robusta, a suspensão é confortável para um off-road. E ele é capaz de subir rampas com até 45 graus de inclinação.

Continua após a publicidade

Alagamentos também são vencidos facilmente. “Já cruzei trechos com água na altura do para-brisa”, diz Aurélio.

Tanque de água garante hidratação aos ocupantes
Tanque de água garante hidratação aos ocupantes Christian Castanho/Quatro Rodas
Escotilha e guincho elétrico são recursos úteis em trilhas
Escotilha e guincho elétrico são recursos úteis em trilhas Christian Castanho/Quatro Rodas

Tamanha valentia cativa os fãs do veículo, que está fazendo aniversário. Em 2018, já são 70 anos contados a partir do início de sua produção. Moderna, a atual geração surgiu em 2015 e traz câmbio com oito marchas à frente e seis para trás, freios ABS e controle da pressão dos pneus de acordo com as condições do piso.

A má notícia é que você precisará importá-lo de forma independente se quiser um, já que a Mercedes-Benz não vende o Unimog no Brasil.

https://www.youtube.com/watch?v=oBOotbC4EvA

Publicidade