Clique e assine por apenas 5,90/mês

McLaren produz série especial do 675LT feito de fibra de carbono

Agora com carroceria de fibra de carbono sem pintura, superesportivo mantém motor V8 biturbo de 675 cv

Por Diego Dias - Atualizado em 23 nov 2016, 21h10 - Publicado em 7 jun 2016, 19h54
McLaren 675LT Carbon Series
McLaren 675LT Carbon Series se destaca por conta da carroceria sem pintura

A McLaren Special Operations (MSO), a divisão especial da McLaren responsável por deixar os modelos da marca britânica ainda mais exclusivos, anunciou uma versão do 675LT Spider com carroceria de fibra de carbono aparente. Isso foi uma maneira de atender aos pedidos de clientes do consagrado McLaren P1 (exibido no Salão de Genebra desse ano), que contava também com carroceria sem pintura.

LEIA MAIS:

>> Impressões: McLaren 675LT

>> McLaren coloca à venda um F1 em estado de zero quilômetro

>> McLaren mostra o 570 GT, modelo mais luxuso de sua história

Batizado de 675LT Spider Carbon Series, a versão preparada pela divisão MSO terá apenas 25 unidades produzidas, todas elas pré-vendidas à clientes do mundo todo, e que se somarão às 500 versões “comuns” do 675LT Spider. A principal exclusividade dessa versão é possuir 40% da carroceria composta por painéis de fibra de carbono, que fica aparente (sem camada de tinta) com seu acabamento de alto brilho. Segundo a fabricante, essa série foi desenvolvida com o foco no peso reduzido e melhor aerodinâmica.

A aplicação é feita artesanalmente pela equipe MSO e impede que modelos “standard” do 675LT Spider recebam os painéis de carbono. Entre as partes feitas com o material, há os para-choques, splitters, para-lamas, saias laterais, entradas laterais de ar laterais e inferiores, difusor traseiro, teto eletricamente retrátil e o aerofólio “Long Tail” (cauda longa) que dá nome à versão, auxiliando no downforce e frenagens, todos com fibra de carbono aparente. O 675LT Spider Carbon Series tem ainda splitters dianteiros funcionais inspirados nos modelos de competição GT3, além de um pacote de telemetria da McLaren.

McLaren 675LT Carbon Series
McLaren 675LT Carbon Series

Embora tenha recebido essas modificações na carroceria, a motorização do superesportivo não se alterou (e isso não é ruim). O mesmo V8 3.8 biturbo da versão com carroceria convencional está presente, gerando 675 cv de potência e 71,4 mkgf de torque. Mais leve, ele acelera de 0 a 100 km/h em meros 2,9 segundos e alcance a velocidade máxima de 326 km/h.

O 675LT Spider Carbon Series é o terceiro carro a utilizar a identificação Long Tail (LT), que reapareceu após 20 anos no 675LT Coupé no ano passado, sendo aplicada depois no 675LT Spider. A chamada “cauda longa” é um tributo ao famoso McLaren F1 GTR Long Tail, versão com traseira prolongada, otimizando o downforce e melhorando o desempenho do modelo em curvas. A produção do 675LT Spider Carbon Series começará em setembro, com as primeiras unidades sendo entregues até o final de 2016.

Continua após a publicidade
Publicidade