Clique e assine por apenas 8,90/mês

Jeep Compass e Renegade híbridos são mais potentes que um Golf GTI

Dupla foi revelada no Salão de Genebra e pode ser recarregada na tomada para rodar até 50 km sem gastar gasolina

Por Rodrigo Ribeiro - 6 mar 2019, 07h00
O Renegade ganhou um adesivo no capô alusivo à versão Divulgação/Jeep

Coube aos Jeep Compass e Renegade o título de primeiros híbridos da história da marca. E a estreia foi em grande estilo.

Nas versões topo de linha os SUVs plug-in podem ter 240 cv de potência combinada. É mais do que os 230 cv gerados por um Volkswagen Golf GTI.

Dupla de SUVs foi destaque no estande da Jeep no Salão de Genebra Divulgação/Jeep

Segundo a FCA, o Renegade nesta configuração pode acelerar de 0 a 100 km/h em excelentes 7 segundos, mesmo dado de fábrica do próprio Golf GTI.

Entretanto, no teste de QUATRO RODAS, a versão esportiva do hatch médio da Volkswagen alcançou índice um pouco menos, 6,7 segundos.

Continua após a publicidade
O Compass só terá a versão mais potente do sistema, com 240 cv Divulgação/Jeep

O Renegade também dispõe de uma versão intermediária com potência combinada de 190 cv.

Todas as opções contam com um motor a combustão 1.3 turbo da família Firefly que estreou com o Renegade na Europa.

Sistema multimídia permite acompanhar o funcionamento dos dois motores Divulgação/Jeep

A bateria dos modelos pode ser recarregada na tomada (o tempo necessário para isso não foi informado) e oferece uma autonomia de até 50 km, podendo chegar a 130 km/h sem acionar o motor a combustão.

Comandos no console central alteram o modo de condução Divulgação

O motor elétrico fica posicionado no eixo traseiro, permitindo a tração integral sem a necessidade de cardã e diferenciais extras.

Continua após a publicidade
O lançamento do Renegade PHEV ocorreu simultaneamente com o Compass Divulgação/Jeep

O visual da dupla é idêntico ao das versões convencionais, à exceção dos logotipos da versão e do bocal extra no para-lama esquerdo para conectar o cabo de recarga.

Logotipo no porta-malas é uma das poucas diferenças da versão híbrida Divulgação/Jeep

Por dentro, o console central recebeu comandos extras para controlar os modos de condução e tração, enquanto o painel de instrumentos ganhou novos grafismos para mostrar nível de carga e divisão de força entre os motores.

Divulgação/Jeep

Aqui não tem bateria, mas tem turbo

A última atualização do Renegade no Brasil não incluiu atualizações na motorização Divulgação/Jeep

Questionada, a FCA Brasil afirmou que não há nenhuma chance de Compass e Renegade híbridos plug-in serem oferecidos na América Latina em curto prazo.

A marca afirmou que o foco da empresa na região é o uso do etanol. A empresa, inclusive, citou o uso do turbo como uma alternativa à hibridização.

Continua após a publicidade

É esperado que Compass e Renegade (e, posteriormente, Toro, Argo e Cronos) passem a adotar o motor Firefly turbo nos próximos dois anos.

Publicidade