Clique e assine com até 75% de desconto

Diretor da VW não descarta investigação sobre fraude no Brasil

Por aqui, único veículo da marca com motor movido a diesel é a Amarok

Por Rodrigo Furlan Atualizado em 9 nov 2016, 14h41 - Publicado em 29 set 2015, 16h31
geral

Alguns depois de o Ibama anunciar que faria uma investigação na Volkswagen do Brasil por conta do escândalo envolvendo a fraude na emissão de poluentes do motor a diesel EA 189 e os 11 milhões de carros nos quais ele foi instalado, a montadora se pronunciou publicamente sobre o caso. A palavra coube a Antonio Megale, diretor de Assuntos Governamentais da marca.

Convidado do painel “Inovar-Auto 2” do Fórum Direções, organizado nesta terça-feira (29) por QUATRO RODAS, Megale admitiu que ainda não há uma posição concreta a respeito da existência de veículos equipados com o polêmico motor no Brasil. Na verdade, haverá uma investigação global detalhada para saber quais são as unidades afetadas, da qual o Brasil fará parte num segundo momento.

Isso acontecerá pelo fato de apenas um modelo do portfólio da Volkswagen no mercado brasileiro ser equipado com motor movido a diesel – a picape Amarok. Ela é produzida na Argentina, mas o motor 2.0 de quatro cilindros é proveniente da Alemanha, sendo oferecido em configurações de 140 e 180 cavalos de potência.

No que diz respeito aos mercados que mais utilizam propulsores a diesel, como os do oeste e do centro da Europa, a Volkswagen pretende agir com mais rapidez. A expectativa é de que os recalls sejam anunciados em outubro. Já é certo que eles irão demandar aos proprietários dos veículos afetados que levem os respectivos carros às concessionárias das marcas do grupo para os devidos procedimentos.

VEJA MAIS– Após escândalo, Volkswagen será investigada no Brasil pelo Ibama– O que o escândalo do diesel pode acarretar para a Volkswagen?

Continua após a publicidade
Publicidade