Chevrolet Equinox chega no fim do ano, mas já roda sem camuflagem

Importado na versão mais sofisticada, ele terá motor 2.0 turbo de 262 cv e câmbio de nove marchas

Crossover foi avistado na marginal do rio Pinheiros

Crossover foi avistado na marginal do rio Pinheiros (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

Apesar de seu lançamento estar previsto para outubro, o Chevrolet Equinox já roda no Brasil sem qualquer camuflagem. O modelo será importado apenas na versão topo de linha, Premier, e o mesmo motor 2.0 turbo do Chevrolet Camaro de entrada.

A missão do Equinox vai além de aposentar o veterano Captiva, que teve apenas 82 unidades emplacadas até junho.

Mas seu conjunto mecânico é mais potente: em vez do motor 2.4 com injeção direta e 184 cv, terá um 2.0 com turbo e injeção direta de 262 cv combinado ao câmbio automático de nove marchas e tração integral.

A plataforma do Equinox é a mesma do Cruze, mas o motor vem do Camaro

A plataforma do Equinox é a mesma do Cruze, mas o motor vem do Camaro (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

A versão de entrada com motor 1.5 turbo de 173 cv e 28 mkgf por enquanto não virá para o Brasil – por ser fabricado no México, o carro ainda está sujeito às cotas de importação.

O valor estimado da versão é de R$ 150 mil, o que coloca como rivais modelos como Jeep Compass diesel, Hyundai New Tucson, Kia Sorento e a nova geração do Volkswagen Tiguan, que chega até o final do ano.

Modelo tem quatro logotipos na traseira, com nome motor, tração e versão

Modelo tem quatro logotipos na traseira, com nome motor, tração e versão (Henrique Rodriguez/Quatro Rodas)

A versão Equinox Premier estreia no Brasil a nomeclatura das configurações topo de linha americanas. Terá rodas de 19 polegadas, faróis Full LED e saídas de escape e detalhes do para-choque cromados.

Além disso, há banco do motorista com regulagens elétricas, teto solar, sistema de som Bose com dez alto-falantes, ar condicionado de duas zonas e partida do motor por comando remoto.

Versão Premier tem painel bicolor nos Estados Unidos

Versão Premier tem painel bicolor nos Estados Unidos (Divulgação/Chevrolet)

O SUV ainda oferece recarga sem fio de smarphone, abertura elétrica do porta-malas por sensor, alertas de colisão iminente com frenagem automática, auxílio de permanência em faixa e sistema de baliza semi-autônomo.

Fabricação argentina é possibilidade

Em entrevista ao jornal argentino Clarín, Carlos Zarlenga, presidente da GM Mercosul, disse que um modelo “de alta gama” entrará em produção na fábrica de Rosario, na Argentina. É a unidade responsável pelo Cruze vendido no Brasil.

SUV leva cinco passageiros e tem bom porta-malas

SUV leva cinco passageiros e tem bom porta-malas (Divulgação/Chevrolet)

O detalhe é que o Equinox é baseado na mesma plataforma do Cruze, a D2XX. Existe uma real possibilidade do Equinox ser fabricado na Argentina com o mesmo motor 1.4 turbo de 153 cv (também utilizado no Tracker) em futuras versões mais baratas.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Jorge Pereira

    Não, isto não pode acontecer com um carro deste valor; como proprietário de um cruze 1.4T cometeram o mesmo erro na Equinox: pneus estreitos demais!! a traseira flutua demais em alta velocidade passando insegurança.