Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Caixa e BB anunciam incentivos para o setor automotivo

Instituições concederão linhas de crédito e investimentos

Por Vitor Matsubara Atualizado em 9 nov 2016, 14h38 - Publicado em 19 ago 2015, 14h13
mercado

A Caixa Econômica Federal se comprometeu a socorrer a indústria automotiva e o setor de autopeças, oferecendo ajuda em linhas de crédito e investimentos. De acordo com a presidente do banco, Miriam Belchior, as “condições especiais” serão concedidas a empresas que não realizarem demissões durante a crise. A executiva frisou, no entanto, que este compromisso “não é obrigatório, mas é mais um elemento a contribuir para esta travessia”.

As medidas anunciadas pela Caixa foram acordadas pela instituição em conjunto com representantes da indústria automotiva e o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. O anúncio feito pela Caixa, aliás, aconteceu pouco antes de o Banco do Brasil convocar as mesmas entidades do setor automotivo para discutir medidas de apoio à indústria. O BB afirmou que pretende lançar “ações de apoio e fomento ao setor automotivo e sua cadeia produtiva”.

Assim como outros setores da economia brasileira, a indústria automotiva passa por uma fase complicada. A produção de veículos no país teve queda de 18% de janeiro a julho deste ano sobre o mesmo período de 2014. Várias montadoras anunciaram férias coletivas e demissões por conta da queda na compra de veículos. A Anfavea (Associação Nacional das Fabricantes de Veículos Automotores) prevê uma queda de 17,8% na produção e 20,8% nas vendas de veículos novos frente aos números do ano passado.

O presidente da Anfavea, Luiz Moan, afirmou em comunicado que a ação da Caixa “tem grande potencial para impulsionar o mercado e auxiliar a indústria automobilística a superar as complexidades do panorama atual”.

De acordo com Miriam, o governo aconselhou a Caixa a aplicar o modelo de apoio ao setor automotivo a outras indústrias, incluindo alimentos, papel e celulose, química, fármacos, eletroeletrônica, energia elétrica, telecomunicações e petróleo e gás. A presidente do banco declarou que os valores que serão desembolsados para os outros setores ainda serão definidos.

Continua após a publicidade

Publicidade