10 carros inesquecíveis da Fiat

Líder há mais de uma década lançou modelos emblemáticos em quase 40 anos

classicos classicos

classicos (/)

Estabelecida no Brasil desde 1976, a Fiat lidera o mercado de automóveis de passeio há 13 anos. Em 2014, a marca assumiu também o primeiro lugar entre os modelos mais vendidos com o Palio. Famosa por suas inovações (que incluem a adoção de novas tecnologias e a criação de segmentos), não é de se espantar que a empresa tenha lançado tantos modelos que marcaram época por aqui.

Selecionamos 10 carros que já deixaram de ser produzidos, mas deixaram uma legião de fãs pelos quatro cantos do Brasil.

1. 147 (1976-1987)

classicos-brasileiros classicos-brasileiros

classicos-brasileiros (/)

O primeiro automóvel produzido pela Fiat no país é também um dos mais carismáticos de sua recente história. Lançado com motores 1.0 e 1.3, o 147 podia até não ser o veículo mais gostoso de dirigir em sua categoria, mas dava o troco oferecendo um espaço interno acima da média. O projeto robusto também transformou o 147 em sucesso: segundo a montadora, em 11 anos de vida foram fabricadas 709.230 unidades.

2. 147 Pick-Up (1979-1988)

00715747_1a4b4a0i4e.jpeg 00715747_1a4b4a0i4e.jpeg

00715747_1a4b4a0i4e.jpeg (/)

Apresentada no Salão do Automóvel de 1978, a 147 Pick-Up inaugurou o segmento de picapes leves no Brasil. As opções de motorização eram as mesmas do 147, mas a Pick-Up podia levar até 380 quilos de carga. A distância entre-eixos era a mesma do veículo do qual deriva e a tampa traseira se abria para a esquerda em vez de para baixo.

3. Panorama (1980-1986)

647_gbrasil_02.jpeg 647_gbrasil_02.jpeg

647_gbrasil_02.jpeg (/)

Apesar de pequena para ser uma perua (tinha 3,9 metros), a Panorama esbanjava espaço por dentro – especialmente no porta-malas. Criação brasileira, ela aproveitava o motor Fiasa 1.3 de 61 cv, entregando economia de combustível e bom desempenho. Deixou de ser produzida em 1986, sendo substituída pela Elba, opção familiar derivada do Uno.

4. Premio (1985-1997)

00756679_8b5f3h8h5d.jpeg 00756679_8b5f3h8h5d.jpeg

00756679_8b5f3h8h5d.jpeg (/)

Sucessor natural do Oggi, o Premio copiava o desesnho do Uno até as colunas centrais. Em contrapartida, vinha com um até então inédito motor 1.5 de 71,4 cv. O amplo espaço interno, característica que se tornaria marca registrada dos derivados do Uno, era o principal destaque do sedã: ninguém batia seus 444 litros de capacidade volumétrica. Antes de sair de linha em 1997, a Fiat importou os últimos lotes da Argentina, de onde ele vinha com o nome Duna.

5. Elba (1986-1997)

elba.jpeg elba.jpeg

elba.jpeg (/)

Lançada apenas um ano após o Premio, a Elba conseguia ser ainda mais generosa do que a Panorama. Havia duas versões: S 1.3 e CS 1.5, ambas movidas a álcool ou gasolina. Carregando 847 litros entre o assoalho e o teto, ela era a perua com maior espaço para bagagem do país. Foi aposentada pela Palio Weekend.

6. Uno Mille (1990-2013)

00814301_7f2g3c6d2h.jpeg 00814301_7f2g3c6d2h.jpeg

00814301_7f2g3c6d2h.jpeg (/)

A versão despojada do Uno rapidamente virou um sucesso de vendas. Para desfrutar da redução de 50% no IPI para carros com motor de até 1-litro, a Fiat pegou emprestado o motor do antigo 147, reduzindo a cilindrada para 994,4 cm3. Apesar de não ser tão potente, o Mille caiu nas graças do público pela boa relação custo/beneficio e pelo baixo consumo. Com o passar dos anos, ganhou equipamentos e resistiu à despedida do Uno, sendo fabricado até 2013.

7. Coupé (1995-1996)

fiat-coup-2.jpeg fiat-coup-2.jpeg

fiat-coup-2.jpeg (/)

Desenhado pelo renomado estúdio Pininfarina, o belo Coupé foi importado para cá apenas entre 1995 e 1996. Trazia um motor 2.0 16V com 137 cv e torque máximo de 18,4 mkgf, suficientes para levá-lo de 0 a 100 km/h em 10,6 segundos e atingir a velocidade máxima de 204 km/h.

8. Tipo (1993-1997)

tipo.jpeg tipo.jpeg

tipo.jpeg (/)

O moderno hatch médio desembarcou da Itália em 1993, inicialmente apenas na versão 1.6 (de 82 cv) e depois nas opções 2.0 SLX (109 cv) e 2.0 16V (137 cv). A aceitação positiva fez a Fiat fabricá-lo no Brasil de 1996 a 1997, mas o sucesso foi interrompido repentinamente quando vários casos de veículos incendiados por um vazamento do fluído de direção direto no escapamento literalmente queimou sua imagem.

9. Tempra (1991-1999)

654_gbrasil_01.jpeg 654_gbrasil_01.jpeg

654_gbrasil_01.jpeg (/)

Lançado na Europa apenas um ano antes, o Tempra tinha design bastante moderno e uma lista de equipamentos raros até para sua categoria, incluindo freios ABS (opcionais), CD Player e check-control. Em 1994 surgiu a cobiçada versão Turbo, que derrubou todos os recordes de desempenho da época. O Tempra saiu de cena em 1999, convivendo por um curto período ao lado de seu sucessor, o Marea.

10. Marea (1998-2007)

marea-turbo.jpeg marea-turbo.jpeg

marea-turbo.jpeg (/)

Adorado e odiado na mesma medida, o Marea estreou no país em 1998, quando os fãs da Fiat ainda choravam a despedida do Tempra. Com design moderno e comportamento esportivo, o carro conquistou uma legião fiel de fãs, especialmente por causa da versão Turbo – equipada com um motor 2.0 Turbo de 182 cv. Além do sedã, tinha a bela versão Weekend. Saiu de linha em 2007.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s