Clique e assine por apenas 8,90/mês

Guia de Usados: Ford New Fiesta

Destaque entre os hatches premium, ele oferece estilo, desempenho, segurança e muitos equipamentos

Por Felipe Bitu - Atualizado em 17 nov 2018, 17h32 - Publicado em 19 ago 2015, 15h07

New Fiesta Hatch modelo 2012 da Ford, testado pela revista Quatro Rodas

Inaugurada pelo VW Polo em 2003, a categoria dos hatches compactos premium sempre cativou pelo acabamento acima da média e bom nível de equipamentos. Até que a Ford chacoalhou o segmento no final de 2011 ao apresentar o New Fiesta.

Importado do México e com três anos de garantia, ele pegou carona na boa aceitação do New Fiesta Sedan: tinha as mesmas virtudes (dirigibilidade) e defeitos (espaço interno), mas era embalado pelo competente motor Sigma 1.6 16V flex (115/110 cv, álcool/gasolina).

Oferecido na versão única SE, o New Fiesta tinha três pacotes de opcionais: o básico trazia direção, ar, rodas de liga aro 15, som com Bluetooth e trio elétrico. Airbag e ABS só no pacote intermediário, que adicionava a central multimídia Sync, controle de estabilidade e auxílio para partida em rampas. O melhor estava no pacote mais caro: sete airbags, couro, rodas de aro 16, repetidores dos piscas nos retrovisores e leds diurnos no para-choque.

New Fiesta Hatch modelo 2012 da Ford, testado pela revista dscfsd Rodas

Reestilizado com a cara de Aston Martin, em 2013, ele virou nacional: a versão S oferecia motor Sigma 1.5 16V (111/107 cv), airbag duplo, rodas de aço com calotas, ABS, ar-condicionado, direção elétrica, som com MP3 e Bluetooth e trio elétrico. A intermediária SE ganhava rodas de liga e faróis de neblina, tendo como opcional o novo motor Sigma 1.6 16V (130/125 cv), vinculado à oferta do controle de estabilidade, auxílio para partida em rampas, ar digital, fechamento remoto dos vidros e volante multifuncional. Quem priorizava a segurança optava pela Titanium 1.6 16V, com pacote completo que tinha até couro e sete airbags. O único opcional era o câmbio PowerShift de seis marchas e dupla embreagem.

Potente, bem equipado e seguro, o New Fiesta ainda é fácil de manter: tem consumo moderado e peças de reposição fáceis de achar a preços acessíveis. Atenção no acabamento e nos problemas mecânicos recorrentes: muitos donos desistem de brigar com o pós-venda da Ford e anunciam seus carros ainda na garantia. Um dos motivos são as falhas no câmbio automatizado Powershift. Só recentemente a Ford admitiu problemas na transmissão e anunciou que fará reparos gratuitos mesmo para quem já perdeu a garantia.

NÓS DISSEMOS – OUTUBRO DE 2011

“O teto é baixo e o interior passa uma incômoda sensação de confinamento. Se o motorista tiver mais de 1,80 metro, fca difícil até para instalar uma cadeirinha infantil. O motor trabalha com suavidade e em silêncio. (…) Tudo conspira a favor de uma condução mais esportiva, com o motor girando mais alto.”

ONDE O BICHO PEGA

Câmbio do New Fiesta Titanium modelo 2013 da Ford, durante teste comparativo da

CÂMBIO POWERSHIFT

Revela ruídos e trepidações, que são eliminados com a reprogramação do módulo. Se persistir, devem ser feitas a troca do retentor e a limpeza da dupla embreagem, que patina quando está contaminada com óleo. Em casos extremos, só trocando o conjunto.

DIREÇÃO

Uma folga na caixa de direção causa barulhos e trepidações no volante. O ideal é solicitar a troca do conjunto em garantia, pois seu custo passa de R$ 4 000.

AMORTECEDORES TRASEIROS

Procure por indícios de vazamentos: não são raros os amortecedores que chegam ao fim de sua vida útil precocemente. Mesmo sendo itens de desgaste natural, nesse caso devem ser substituídos ainda em garantia.

Continua após a publicidade

PINTURA

São muitas as reclamações sobre a pintura, que descasca facilmente com o impacto de pequenas pedras e outros detritos, além do surgimento de bolhas.

BANCOS DIANTEIROS

Macia e fina demais, a espuma cede e o suporte do apoio lombar se rompe. Isso permite que as costas se apoiem diretamente sobre a estrutura metálica, provocando dores em viagens longas.

A VOZ DO DONO

Nome: José Eduardo Paravani Faillage

Idade: 27 anos

Profissão: publicitário

Cidade: São Manoel (SP)

O QUE EU ADORO

“O comportamento dinâmico é ótimo: o carro é muito bem assentado no chão, formando um ótimo conjunto com o desempenho do motor Sigma. E o pacote de itens de série se equipara ao de modelos superiores.”

O QUE EU ODEIO

“O pós-venda da rede autorizada deixa a desejar: são incapazes de sanar problemas como o desgaste prematuro da embreagem e falhas simples no acabamento interno.”

Preço médio dos usados (FIPE)
2012 2013 2014 2015
S 1.5 16V Manual R$ 32.739 R$ 36.722 R$ 39.427
SE 1.6 16V Manual R$ 32.976 R$ 34.695 R$ 37.784 R$ 42.864
SE 1.6 16V Powershift R$ 39.615 R$ 41.041 R$ 46.299
Titanium 1.6 16V Manual R$ 43.803 R$ 45.615 R$ 50.672
Titanium 1.6 16V Powershift R$ 47.715 R$ 49.209 R$ 51.318
Preço das peças
Original Paralelo
Para-choque (dianteiro) R$ 1.455 R$ 500
Farol (cada um) R$ 788 R$ 340
Retrovisor (cada um) R$ 788 R$ 390
Disco de freio (par) R$ 540 R$ 280
Pastilhas de freio (jogo) R$ 509 R$ 250
Kit de embreagem (jogo) R$ 805 R$ 490

PENSE TAMBÉM NUM…  PEUGEOT 208

Bonito e bem acabado como o Fiesta, o 208 oferece boa posição de dirigir, bancos confortáveis e tem como ar-condicionado digital bizona, teto solar panorâmico e cintos de segurança de três pontos para os cinco ocupantes. Mas fica devendo ESP e seu câmbio automático conta com apenas quatro marchas.

Continua após a publicidade
Publicidade