Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Clássicos: Chevrolet C10 era picape líder de vendas muito antes da S10

Junto com a capacidade de carga, a picape da GM trazia conforto, espaço e disposição para trabalho e passeio

Por Fernando Garcia Atualizado em 12 dez 2020, 01h09 - Publicado em 29 nov 2020, 13h21
C-10, modelo 1974 da Chevrolet.
Christian Castanho/Quatro Rodas

Potente, robusta, espaçosa para até três passageiros e, acima de tudo, confortável. A Chevrolet C-10 era a picape preferida pelos agricultores e fazendeiros. Um dos motes das campanhas publicitárias do utilitário da GM dizia que o trabalho não precisava ser sacrifício para ninguém. Contava a seu favor a funcionalidade, tanto no serviço pesado quanto nos passeios de fim de semana.

Ela surgiu em 1974, quando substituiu as Chevrolet C-14 e C-15, lançadas dez anos antes, que se diferenciavam entre si somente pelas opções de chassi curto e longo, respectivamente.

A Black Friday já começou na Quatro Rodas! Clique aqui e assine por apenas R$ 5,90

A C-10 chegou a ser oferecida nas opções com ou sem caçamba, cabine dupla (duas portas e capacidade para seis ocupantes), além das séries bélicas destinadas ao Exército e à Marinha, sem teto rígido e com pára-brisa basculante.

C-10, modelo 1974 da Chevrolet.

Em se tratando de conforto, a suspensão independente na frente e o eixo rígido atrás eram uma característica do modelo que muitos proprietários elogiam até hoje. É o caso do juiz de direito José Gilberto Alves Braga Júnior, dono deste exemplar de 1974 que aparece nas fotos.

Sua C-10 é equipada com o motor de 4,3 litros (seis cilindros em linha) que garante força extra para puxar cargas pesadas, graças a seus 151 cv. “Utilizo a picape para rebocar meus outros carros nos eventos de antigos que freqüento. O torque do motor é abundante e quase não sente o peso nas costas”, afirma Braga.

Continua após a publicidade

C-10, modelo 1974 da Chevrolet.
Christian Castanho/Quatro Rodas

Apesar do alto consumo, a viagem feita com a picape é prazerosa, segundo o dono. Já os freios, que são a tambor nas quatro rodas e não contam com hidrovácuo, exigem cuidado. Um problema crônico das C-10 era a tendência a travar as rodas traseiras com a caçamba vazia, um desperdício para sua capacidade máxima de 750 quilos.

A transmissão de três velocidades é acionada na na coluna de direção. Os engates são precisos, mas a terceira percorre bom caminho até ser engatada.

C-10, modelo 1974 da Chevrolet.
Christian Castanho/Quatro Rodas

A GM foi líder entre as picapes grandes por muito tempo graças às C-10, que chegaram a ser oferecidas em várias opções de motores. Entre eles o Chevrolet Brasil de 4.300 cm3 (261 pol3) e o 2.500 cm3 de quatro cilindros do Opala, além do Diesel Perkins de 3,9 litros lançado no fim dos anos 70.

C-10, modelo 1974 da Chevrolet.
Capacidade de carga era de 750 kg Christian Castanho/Quatro Rodas

“Consigo fazer 3,5 km/l na cidade e entre 4,5 e 6 km/l na estrada”, afirma Donizetti Pinto, engenheiro agrônomo paulista dono de outra C-10 4.3 1974 e sócio do Pick-up”s Antigas Clube. Mesmo assim, a C-10 era a mais econômica se comparada a suas rivais: Ford F-100 e Dodge D100, esta última fazendo exagerados 2,5 km/l.

c10
O motor Chevrolet Brasil marcou época. Silencioso e de desempenho ímpar, o motor de 4,3 litros rendia empolgantes 151 cv Christian Castanho/Quatro Rodas

A C-10 sofreu os efeitos da crise do petróleo. O alto consumo dos motores a gasolina fez com que perdessem mercado para os diesel. Mesmo tendo ganhado capacidade para 1 tonelada, freios a disco na frente e câmbio M-16 de quatro marchas, as diesel correspondiam a 70% das vendas, seguidas pelas versões a álcool (26%) e a gasolina (4%), decretando de vez o fim da Chevrolet C-10, em 1981.

Ficha Técnica

  • Motor: 6 cilindros em linha, longitudinal, 261 pol3 (4278 cm3); Diâmetro x curso: 95,2 x 100 mm; Potência: 151 cv a 3800 rpm; Torque máximo: 32 mkgf a 2400 rpm
  • Câmbio: manual, 3 marchas, tração traseira,
  • Carroceria: picape, montada sobre chassi
  • Dimensões: comprimento, 484 cm; largura, 197 cm; altura, 184 cm; entreeixos, 292 cm
  • Peso: 2270 kg
  • Suspensão: Dianteira: independente, braços triangulares superpostos, molas helicoidais. Traseira: eixo rígido, molas semi-elípticas
  • Direção: setor e rosca sem-fim
  • Rodas e pneus: aro 16, 6.50×16

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Capa 739

Continua após a publicidade

Publicidade