Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Lancia Fulvia Sport Zagato tem o requinte dos esportivos de outros tempos

O Lancia Fulvia marcou época pelo estilo funcional e pela eficiência de uma mecânica simples e engenhosa

Por Felipe Bitu 22 jan 2022, 19h03

A Lancia é um dos fabricantes mais antigos do mundo, com boa parte dos seus 115 anos dedicados aos avanços tecnológicos. Entre os seus pioneirismos estão o sistema elétrico (1913), a estrutura monobloco, o motor V4 (1922), o câmbio de cinco marchas (1948) e o motor V6 (1950).

Assine a Quatro Rodas a partir de R$ 9,90

Um de seus modelos mais renomados é o Fulvia, apresentado na forma de sedã, em 1963. Obra-prima do engenheiro Antonio Fessa, o Fulvia Berlina se destacava pelo compacto V4 equipado com um único cabeçote de alumínio, solução técnica possível devido ao pequeno ângulo entre as bancadas dos cilindros.

Dois anos depois, surgiu o Fulvia Coupé, menor distância entre eixos e estilo inspirado nas lanchas Riva. A partir dele foi desenvolvido o Fulvia Sport, com uma carroceria mais leve e aerodinâmica desenvolvida pela encarroçadora Zagato na comuna de Rho, nas imediações de Milão.

Lancia Fulvia Sport Zagato
Nesta versão, as lanternas traseiras vinham do NSU Prinz 4 Fernando Pires/Quatro Rodas

Era produzida artesanalmente em Peraluman 25, uma exótica liga de alumínio e magnésio. As linhas definidas pelo projetista Ercole Spada eram marcadas pelo teto em queda suave, indispensável para redução do arrasto aerodinâmico.

Projetado por Ettore Zaccone Mina, o V4 de 1.216 cc do Fulvia Sport era alimentado por dois carburadores Solex 32 PHH horizontais. Seus 80 cv eram direcionados às rodas dianteiras por um câmbio manual de quatro marchas e o trem de força se apoiava sobre um sofisticado subchassi, bem como a suspensão dianteira por braços duplos sobrepostos e mola semielíptica transversal.

A velocidade máxima de 169 km/h era substancialmente superior à do Fulvia Coupé em razão da melhor aerodinâmica e a aceleração de 0 a 100 km/h, realizada em pouco mais de 13 s. O sofisticado sistema de freios a disco nas quatro rodas contrastava com a simplicidade da suspensão traseira, com eixo rígido, barra Panhard e molas semielípticas.

Lancia Fulvia Sport Zagato
Pedaleira suspensa e volante em posições tipicamente italianas. Bancos individuais desenhados pela Zagato Fernando Pires/Quatro Rodas
Lancia Fulvia Sport Zagato
Fernando Pires/Quatro Rodas

A cilindrada aumentou para 1.298 cc em 1966, dando origem ao Fulvia Sport 1.3: a potência subiu para 87 cv e pouco tempo depois a carroceria começou a ser produzida em aço, ficando o Peraluman restrito a capô, portas e tampa de acesso ao estepe.

Continua após a publicidade

Em 1968, surge o Fulvia Sport 1.3 S com 92 cv devido à taxa de compressão mais alta e carburadores Solex 35 PHH. Tecnicamente mais refinado, o Fulvia Sport manteve-se longe dos ralis. Mas cerca de 27 unidades foram preparadas entre 1967 e 1969, obtendo vitórias significativas nas 24 Horas de Daytona e nas 12 Horas de Sebring.

Lancia Fulvia Sport Zagato
Capô com abertura lateral e motor 45 graus inclinado. Compartimento para o estepe Fernando Pires/Quatro Rodas
Lancia Fulvia Sport Zagato
Fernando Pires/Quatro Rodas

O sucesso nas competições não teve reflexo na situação financeira da Lancia, que foi adquirida pela Fiat em 1969. Sob nova direção, chegou a segunda geração do Fulvia Sport em 1970.

O Fulvia Sport 1.3 S é o novo modelo de entrada, com câmbio de cinco marchas, suspensão redimensionada, relação final de transmissão mais longa, pneus mais largos e alternador no lugar do dínamo. Todos os painéis da carroceria passam a ser produzidos em aço e a traseira recebeu lanternas do Peugeot 204.

Acima estava o Fulvia Sport 1600, impulsionado pelo mesmo motor do lendário Fulvia Coupé Rallye 1600 HF. Era o mais veloz de todos os Fulvia, com 115 cv capazes de levá-lo aos 190 km/h.

Lancia Fulvia Sport Zagato
Fernando Pires/Quatro Rodas

Entre os opcionais estavam as belas rodas de alumínio Campagnolo ou Cromodora. Apenas 800 unidades foram produzidas. A produção do Fulvia Sport foi encerrada em 1972, totalizando pouco mais de 7.000 unidades.

O legado de Vincenzo Lancia continuou presente em esportivos como o Stratos e o Delta Integrale, mas anda esquecido fora da Itália. As últimas notícias indicam que o grupo Stellantis tem planos de resgatar o prestígio da marca.

Lancia Fulvia Sport Zagato
Fernando Pires/Quatro Rodas

Ficha Técnica – Lancia Fulvia Sport Zagato 1.3 1967

Motor: transversal, 4 cilindros em V, 1.298 cm3, comando de válvulas duplo no cabeçote, alimentação por carburadores
Potência: 87 cv a 6.000 rpm
Torque: 11,52 kgfm a 4.500 rpm
Câmbio: manual de 4 marchas, tração dianteira
Carroceria: fechada, 2 portas, 3 lugares
Dimensões: comprimento, 409 cm; largura, 157 cm; altura, 120 cm; entre-eixos, 233 cm; peso, 915 kg; pneus, 145 HR 14

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

A edição 754 de QUATRO RODAS já está nas bancas!

 

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo da QUATRO RODAS! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

App QUATRO RODAS para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês