Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Vale a pena trocar o fluido do câmbio automático via flushing?

Prática tem muitos defensores, mas não é reconhecida pelos fabricantes

Por Da Redação Atualizado em 3 Maio 2021, 16h44 - Publicado em 2 mar 2017, 14h00
Circuitos do câmbio automático: risco de entupimentos
Circuitos do câmbio automático: risco de entupimentos

Os fabricantes nada dizem sobre a troca de fluido do câmbio automático por flushing, que supostamente limpa e substitui 100% do lubrificante. O flushing pode ser prejudicial? – José Manuguerra, São Paulo (SP)

O flushing da transmissão não consta dos manuais do proprietário porque não é reconhecido como benéfico pelos fabricantes.

O princípio do flushing é injetar (via máquina) um fluido compatível sob alta pressão nos circuitos da transmissão, com isso removendo todos os resíduos do lubrificante velho. Seus defensores acreditam que o flushing pode remover 100% do fluído antigo, enquanto que no método por decantação (gravidade) essa troca jamais chegaria a 50%.

Apesar de ser adotada por várias oficinas, a prática não é recomendada pelas montadoras, que afirmam que a alta pressão também desloca a borra que pode haver no sistema e pode alojá-la em uma das centenas de orifícios e válvulas, causando mais danos que benefícios.

Como a transmissão é um dos componentes mais caros, o melhor é seguir as instruções do fabricante e trocar o fluido no período estabelecido – em alguns casos, é necessário abrir o câmbio para fazer uma troca completa. Hoje, porém, boa parte das transmissões automáticas saem de fábrica com fluidos do tipo full life, ou seja, teoricamente sem necessidade de troca.

Se a troca for realmente necessária, atenção: use sempre o fluido exato prescrito no manual, pois eles não são intercambiáveis. Por exemplo, o fluido ATF DW1 utilizado na maioria dos Honda não deve ser colocado nos Toyota pós-2004, que usam o ATF WS. Por sua vez esses Toyota utilizam o Dexron, que também é usado pela GM. Como se vê, cada um na sua.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo da QUATRO RODAS! Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 14,90/mês

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

App QUATRO RODAS para celular e tablet, atualizado mensalmente.

a partir de R$ 9,90/mês