Clique e Assine a partir de R$ 9,90/mês

Por que os pneus traseiros são mais estreitos no Audi RS 3 Sedan?

Pneus mais estreitos têm menor aderência e, com isso, maior probabilidade a escorregar lateralmente. Para quem quer diversão extrema, é a fórmula perfeita

Por Da Redação Atualizado em 11 Maio 2021, 16h25 - Publicado em 30 jul 2018, 14h08
RS 3 Sedan
No inédito Audi RS 3 Sedan (e também no hatch) os pneus mais largos ficam no eixo da frente Divulgação/Audi

Por que os pneus traseiros são mais estreitos no Audi RS 3 Sedan? Como isso melhora o comportamento em curvas? – Remulo Lemos, Belo Horizonte (MG)

Pneus mais estreitos têm menor aderência e, com isso, maior probabilidade a escorregar lateralmente.

“Se fossem usados quatro pneus nas mesmas medidas, o RS 3 teria tendência a sair de frente em saídas de curva durante acelerações”, explica Lothar Werninghaus, consultor técnico da Audi.

Com medidas 2 cm menor no eixo posterior (235/35 R19 contra 255/30 dos da frente), esse comportamento é reduzido e, no limite da aderência, a traseira do RS 3 Sedan apresenta um leve escorregamento, permitindo ao motorista apontar a dianteira para onde ele deseja ir em uma saída de curva.

Audi
No TT RS os quatro pneus têm medidas iguais Christian Castanho/Quatro Rodas

Esse recurso é uma solução mais barata para alterar a dinâmica de um veículo e só é usado quando necessário.

O Audi TT RS, por exemplo, usa o mesmo trem de força do RS 3, mas adota pneus com medidas iguais nos dois eixos.

Continua após a publicidade

Ousadia em Le Mans

GT-R LM Nismo
O GT-R LM Nismo tinha motor frontal e tração dianteira, mas seu desempenho pífio em Le Mans fez a Nissan se retirar da WEC Vitor Matsubara/Quatro Rodas

Outra empresa que optou por usar pneus menores atrás foi a Nissan, com seu GT-R LM Nismo.

O protótipo competiu nas 24 Horas de Le Mans de 2015 com uma proposta inovadora: ter tração majoritariamente dianteira.

GT-R LM Nismo
No GT-R LM os pneus traseiros eram mais estreitos e recebiam tração apenas do motor elétrico Divulgação/Nissan

Apesar do protótipo ser dotado de tração 4×4, o eixo traseiro era movimentado apenas por um motor elétrico, enquanto os pneus dianteiros eram responsáveis por receber toda a força do V6 3.0 sobrealimentado.

Por conta disso, os pneus dianteiros do modelo têm 35,5 cm de largura, contra 23 cm dos traseiros.

A intenção da Nissan era aproveitar o posicionamento do trem de força na dianteira para ampliar os túneis aerodinâmicos que cruzam a carroceria e, com isso reduzir o arrasto ao mesmo tempo que ampliasse o downforce.

Mas o modelo sofreu com problemas mecânicos e a concorrência de protótipos como o Porsche 919 Hybrid, e a Nissan optou por não insistir na inusitada concepção mecânica nas corridas seguidas.

Continua após a publicidade

Publicidade

Essa é uma matéria exclusiva para assinantes. Se já é assinante, entre aqui. Assine para ter acesso a esse e outros conteúdos de jornalismo de qualidade.

Essa é uma matéria fechada para assinantes e não identificamos permissão de acesso na sua conta. Para tentar entrar com outro usuário, clique aqui ou adquira uma assinatura na oferta abaixo

Continue lendo, sem pisar no freio. Assine a QR.

Impressa + Digital

Plano completo de QUATRO RODAS. Acesso aos conteúdos exclusivos em todos formatos: revista impressa, site com notícias e revista no app.

Acesso ilimitado ao Site da QUATRO RODAS, com conteúdos exclusivos e atualizados diariamente.

Comparativo entre os principais modelos do mercado.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.

Receba mensalmente a QUATRO RODAS impressa mais acesso imediato às edições digitais no App QUATRO RODAS, para celular e tablet.

a partir de R$ 12,90/mês

MELHOR
OFERTA

Digital

Plano ilimitado para você que gosta de acompanhar diariamente os conteúdos exclusivos no site e ter acesso a edição digital no app.

Tudo sobre as novidades automobilísticas do Brasil e do exterior.


a partir de R$ 9,90/mês

ou

30% de desconto

1 ano por R$ 82,80
(cada mês sai por R$ 6,90)