Pneus: muito além da pressão

Na hora de viajar com a família, os pneus merecem um carinho especial. E não estamos falando apenas de calibrá-los corretamente

Não é novidade para o motorista que antes de colocar o carro na estrada é necessário calibrar os pneus. É só olhar no manual do proprietário para descobrir qual é a pressão correta para o veículo carregado.

Mas saiba que, antes de uma viagem, os cuidados vão muito além de uma parada no calibrador do posto de combustível. Para descobrir o que fazer nessa hora, consultamos dois especialistas no tema: Rafael Astolfi, gerente de assistência técnica da Continental, e Roberto Falkenstein, diretor de pesquisa e desenvolvimento da Pirelli para a América do Sul.

Desgaste

Veja se a banda de rodagem está desgastada de modo uniforme. Se não estiver, pode ser sinal de problema de alinhamento, balancea­mento ou calibragem. Nesse caso, não adianta fazer ajustes: eles devem ser trocados. Daí a importância de conservá-los sempre com a pressão correta e fazer o rodízio a cada 10.000 km, o mesmo período em que se deve checar alinhamento e balanceamento – ou antes de uma viagem.

Idade

Os pneus trazem a marcação da semana e do ano de fabricação em uma sequência de quatro números após a sigla DOT. A garantia da maior parte das marcas é de cinco anos após a fabricação. Decorrido esse período, a borracha começa a ressecar e pode apresentar trincas. Parar sobre poças de óleo ou outros produtos químicos também abrevia sua vida útil.

Válvulas

Se os pneus perdem pressão, o problema pode estar nelas (ou em rodas amassadas). Para avaliá-las, desloque-as levemente para os lados, para verificar se apresentam rachaduras ou sinais de vazamento.

Danos

Fique atento a furos, rasgos e bolhas. Pneus que perdem muita pressão ao longo dos dias estão furados ou com algum problema de vedação. As bolhas podem ser visíveis na lateral externa dos pneus, mas também podem estar na lateral interna, fora do alcance dos olhos. O ideal é inspecioná-los em alguma oficina. Não viaje com pneus com bolhas: elas podem se romper e fazer você perder o controle do automóvel.

Uniformidade

Rode sempre com os quatro pneus de mesma marca e medida. Se não tiver jeito, ao menos tenha dois da mesma marca no mesmo eixo, para evitar que cada lado se comporte diferente em frenagens ou outras situações. Veja se os sulcos estão acima do TWI, o indicador de desgaste da banda de rodagem. Pneus que atingiram o TWI já são con­siderados carecas. Troque-os!

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

  1. Ricardo Borges

    Olá equipe da Quatro rodas. Ao ler suas matérias sobre pneus, resolvi enviar uma pergunta. Quem roda mais em paralelepípedos, deve escolher um pneu on road ou off road? Rodar em paralelepípedos provavelmente reduz a vida útil dos pneus que foram idealizados para o asfalto, mas será que vale a pena escolher um pneu ATR ou STR no lugar de um normal? Grato.

  2. Carlos Pedro

    Ricardo Borges, pertinente sua duvida. Semana que vem vou no araras em Itaipava Rj com minha ferrari F40. Vou montar uns 285/70 R17 Bf Goodrich Mud Terrain.