Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Como escolher e como é a atual lei das cadeirinhas infantis no carro?

Cadeirinhas protegem as crianças dentro do carro, mas é preciso saber o modelo certo e como instalar corretamente

Por Da Redação
8 jun 2024, 12h00

O uso de dispositivos de retenção para crianças nos veículos é obrigatório por lei desde 2021 e deveria ser adotado por 100% dos pais e mães. Mesmo entre quem tem consciência dos riscos e protege os filhos dos perigo sempre pairam dúvidas na hora de comprar ou instalar as cadeirinhas infantis.

Afinal, são muitos modelos de assentos e diferentes sistemas de retenção para serem usados nos carros. Por isso, a primeira dica é pesquisar bem antes de comprar a cadeirinha. Com um detalhe: a pesquisa pode começar pelo automóvel. Para quem quer aproveitar a chegada do bebê para trocar de carro, ou mesmo está com os filhos mais crescidos e procura por outro modelo, uma boa opção é começar pelo site do Latin NCAP.

Como aumentar a segurança para as crianças?

Verdade que nem todos os veículos vendidos no país passaram pelos testes de segurança do órgão. Mas os que estão ali já trazem informações importantes sobre proteção infantil veicular.

“Antes da cadeirinha, eu escolheria o carro”, diz Oliver Schulze, especialista em Segurança Veicular da SAE Brasil. “Se for um carro ruim no nível de proteção infantil, pode-se até usar a melhor cadeira infantil que não vai adiantar”, afirma.

Continua após a publicidade
Cadeirinha
É possível instalar a cadeira voltada para a traseira do veículo (Divulgação/Quatro Rodas)

O site do Latin NCAP é a referência porque em cada avaliação há notas também para o nível de segurança para as crianças a bordo. E nas abas que tratam da proteção infantil, além do desempenho do veículo nos testes de colisão, traz indicações das cadeirinhas que melhor se encaixam nos diferentes veículos.

Além disso, não obrigatoriamente é necessário ser um carro 0-km. O órgão já avaliou modelos com tempo de mercado, como Chevrolet Tracker, Fiat Pulse, Citroën C3, VW Polo, Toyota Corolla, Renault Duster, entre outros.

Qual cadeirinha infantil usar?

Primeiro, é necessário observar o tipo de assento, de acordo com o peso e a altura da criança, definido por grupos de massa (conforme tabela ao lado). E só pesquisar por produtos que tenham o selo de certificação do Inmetro. A indicação é sempre dar preferência aos assentos com sistema de fixação do tipo Isofix.

Continua após a publicidade

Contudo, é preciso ver se o veículo em questão é compatível com esse encaixe – desde 2018 todos os carros vendidos no país são obrigados a ter o sistema. Isso porque a cadeirinha Isofix tem espécies de clipes que são conectados na base dos encostos traseiros. O sistema prende o assento diretamente na estrutura do carro.

“O Isofix é muito prático porque não dá margem para muito erro na instalação. A cadeirinha fica bem presa, sem balançar dentro do carro. Apenas com o Isofix você consegue ter isso garantido”, ressalta Schulze.

Perturbe o vendedor

Se o carro não tem Isofix, nada de desespero. Existem diversos modelos de cadeirinha infantil convencionais de qualidade e que oferecem segurança aos pequenos. Só que o papai e a mamãe têm de fazer a parte deles também.

seguranca
Sem o Isofix ou Latch, o risco de as cadeirinhas se desprenderem é muito grande (Arquivo/Quatro Rodas)

Aquela lista de assentos citada no Latin NCAP já ajuda bastante. A oferta de produtos na internet, idem. Aproveite e dê uma espiada em sites de defesa do consumidor, como Proteste e Reclame Aqui para ver a reputação das cadeirinhas que você encontrou.

Assim como tem gente que não abre mão de ver o carro ao vivo antes de comprar, na questão da segurança infantil vale ir a uma loja física e experimentar as cadeirinhas. No estabelecimento, peça para examinar o produto e veja como ajustar os cintos e acomodar a criança. Se estiver em um shopping ou loja com estacionamento, solicite ao vendedor que o acompanhe até o seu carro para fazer os testes com a cadeirinha.

Como instalar a cadeirinha infantil no carro?

Importante observar como se dá a instalação no banco e se há espaço para ela ser colocada. E isso vale para qualquer cadeirinha, inclusive as com Isofix: o dispositivo de retenção tem de ser prático de colocar no carro e ao acomodar a criança. Se você se enrolou ou teve dificuldades ao regular os cintos e instalar o assento, parta para outro modelo.

Outra questão é que as partes superiores dos cintos da cadeirinha devem passar sobre os ombros da criança. Todas as tiras devem estar bem justas, sem apertar o corpo do pequeno.

Continua após a publicidade

O mais importante, porém, é que a cadeirinha deve estar fixada e imóvel, como se estivesse grudada. Lembre-
-se que, em uma colisão, uma criança de 20 kg terá o peso de 1 tonelada por conta do deslocamento causado pela desaceleração. “Ela tem de estar totalmente fixa, como se estivesse aparafusada no carro. No caso das cadeirinhas em que o cinto do carro tem de passar pela cadeira, pode puxar com força e chacoalhar para fazer o teste”, orienta o executivo da SAE Brasil.

O que diz a lei sobre cadeirinhas infantis

De acordo com resolução do Contran e a Lei nº 14.071, de 2021, crianças até 10 anos e/ou até 1,45 metro de altura devem viajar no banco traseiro em dispositivo de retenção adequado. O Artigo 168 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) considera o não cumprimento desta lei infração gravíssima, com multa de R$ 293,47 e 7 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH), salvo exceções.

Tipo de cadeirinha IDADE/PESO MODO DE USAR
Assento infantil/Bebê conforto

(Grupo de massa 0)

Até 9 kg; até 12 meses de idade Deve ser instalada no sentido inverso ao da posição normal do banco do veículo, de preferência no assento central do banco traseiro.
Assento conversível/Bebê conforto (Grupo de massa 0+ e I) Até 13 kg; até 12 meses de idade Indicada para crianças com peso maior, mas que ainda não completaram 1 ano. Também deve ser instalada no sentido inverso, enquanto a cadeirinha a acomodar desta forma.
Cadeirinha de segurança (Grupo de massa 0+ e I) De 9 kg até 18 kg; de 1 a 4 anos de idade Deve ser instalada na posição vertical, de frente para o painel, na posição central do assento traseiro, sempre que possível.
Assento de elevação/booster De 18 kg até 36 kg; de 4 a 10 anos de idade (Grupo de massa II e III) Indicada para os casos em que a cadeirinha se tornou pequena para a criança que ainda não alcançou altura suficiente para utilizar o cinto de segurança do automóvel. Deve ser ajustado ao banco traseiro, de forma que o cinto de segurança (sempre de três pontos) fique colocado na posição correta, sem roçar no pescoço ou ficar abaixo do ombro.

Cadeirinha em picapes?

No caso das picapes cabine simples, as cadeirinhas podem ser fixadas no banco do carona, observando as mesmas regras. Mas o airbag do passageiro deve ser desativado.

Segurança

• Guia Técnico de Segurança Viária da Unicef publicado em 2022 revelou que, por dia, no mundo, 600 crianças, adolescentes e jovens de até 19 anos morrem vítimas do trânsito.

Continua após a publicidade

• Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o uso correto da cadeirinha reduz em até 60% a morte de crianças no interior de veículos automotores.

• Em uma colisão frontal com o veículo a 50 km/h contra um obstáculo rígido, uma criança de 10 kg pode exercer força equivalente a meia tonelada.

• Em 2021, dados do Datasus apontaram que 285 crianças entre 0 e 4 anos morreram em acidentes de trânsito nas rodovias federais do país.

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Domine o fato. Confie na fonte.

10 grandes marcas em uma única assinatura digital

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou
Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.