Clique e assine por apenas 8,90/mês

Autodefesa: perda de potência nos motores da Hilux e SW4

Hilux e SW4 fabricadas de 2006 a 2013 apresentam carbonização no motor. Toyota já emitiu à sua rede dois boletins para tentar sanar o problema

Por Waldez Carmo Amorim - 13 jan 2017, 17h33

A picape Toyota Hilux e sua versão SUV, a SW4, são reconhecidas pelo público pela fama de serem quase indestrutíveis. Mas nem isso impediu que os dois modelos apresentassem um problema de carbonização nos seus motores a diesel produzidos entre 2006 e 2013.

E o fato já é bem conhecido pela Toyota, que chegou a distribuir para sua rede de concessionárias dois boletins de serviço. O primeiro, intitulado BS019/09 e emitido em 14 de abril de 2009, para Hilux e SW4, fala sobre a excessiva “emissão de fumaça preta devido ao mau funcionamento da Válvula EGR”, que pode ficar travada.

O segundo boletim chama-se BS060/09, de 28 de outubro de 2009, por conta da “cavitação do acento dos injetores”. Segundo esse do­cumento, a falha provoca perda de potência, marcha lenta irregular e consumo excessivo de óleo.

Quem já passou por alguns desses sintomas foi o corretor de seguros Alaor José Pandolfo, de Porto Alegre (RS), dono de uma SW4 2008. “Comprei o carro zero-quilômetro. Na primeira vez que o motor perdeu a potência, ele entrou em modo de segurança, e a velocidade não passava de 80 km/h. Depois disso, troquei a turbina duas vezes, mas ele nunca mais foi o mesmo. Nos últimos dois anos, meu carro ficou parado na oficina mais de cinco meses. Já gastei mais de R$ 15.000”, conta Alaor.

Continua após a publicidade

Para entender o problema, que é mais frequente nas Hilux 2005 a 2011, procuramos Hilton Venzon, técnico da Toiosul, oficina especializada em Toyota, de Porto Alegre (RS). “Já atendi mais de 300 casos desse tipo. A perda de potência nas Hilux é antiga e ocorre principalmente devido à carbonização no sistema de admissão. O conserto pode variar de R$ 600, nos casos mais simples, a R$ 17.000, quando for necessário trocar a turbina, os bicos e a bomba injetora.”

Consultada, a Toyota do Brasil respondeu que um dos proprietários da reportagem “foi contatado e todos os esclarecimentos foram prestados”.

 

O POVO RECLAMA

“Nos últimos dois anos, minha SW4 ficou parada mais de cinco meses na autorizada. Já gastei mais de R$ 15.000 e meu carro nunca mais foi o mesmo.” Alaor José Pandolfo, corretor de seguros, Porto Alegre (RS), dono de uma SW4 2008.

Continua após a publicidade

“Aos 150.000km, começou com uma fumaça branca saindo do motor. Depois, tive o problema com os bicos injetores. Como não resolveram após 15 dias de oficina, preferi vender a picape.” Proprietário paulista que prefere não se identificar por receio de não conseguir revender sua Hilux 2013.

Publicidade