Comparativo: Renault Duster x Renault Captur

O jovem Captur chegou ameaçando o reinado do irmão mais velho, Duster. Será que ele tem virtudes suficientes para tomar a coroa?

Duster e Captur dividem a mesma plataforma

Duster e Captur dividem a mesma plataforma (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Grande parte da história europeia é marcada por dinastias, um regime político onde a sucessão dos cargos (como um reinado) é feita por membros mais novos de uma mesma família. Assim, seguem Duster e Captur. Já com idade avançada, o primeiro deve cumprir a ordem sucessória e entregar ao novato o posto de principal SUV da família francesa Renault.

As diferenças entre os dois irmãos (já que eles dividem a mesma plataforma) começam em suas respectivas propostas. O Duster Dynamique é o modelo mais caro equipado com motor 1.6 e sai por R$ 73.490 – R$ 10.630 a menos em relação à próxima versão, a Dynamique 2.0 manual, que custa R$ 84.120.

Já o Captur é o Zen, a versão mais barata da linha, custa R$ 78.900 e se aproxima mais em preço do Duster de conjunto equivalente. Prevendo a inevitável batalha, a marca reduziu os preços das configurações 1.6 do Duster em até R$ 1.800 durante a produção deste comparativo.

Visual robusto é o chamariz do Duster

Visual robusto é o chamariz do Duster (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Estilo mais moderno conta a favor do Captur

Estilo mais moderno conta a favor do Captur (Christian Castanho/Quatro Rodas)

De cara, os R$ 5.410 de diferença se justificam pela maior quantidade de itens (especialmente de segurança) do Captur. Além dos equipamentos do Duster, ele tem controles de estabilidade e tração, assistente de partida em rampas, air­bags laterais, lanterna de neblina e cinto de segurança central traseiro de três pontos (que surge do teto).

Mais do que isso, o novato acrescenta também piloto automático com comandos no volante, rebatimento elétrico dos retrovisores, rodas aro 17 (sem o acabamento diamantado da versão mais cara) e chave presencial com partida do motor por botão. Como opcionais, ele oferece GPS, câmera de ré e pintura em dois tons. De vantagem nos equipamentos, o Duster tem apenas os faróis de neblina. Os bancos de couro e o GPS são opcionais.

Os fatores novidade e beleza também contam a favor do Captur. Com praticamente o mesmo desenho do modelo vendido na Europa, o SUV tem traços modernos e imponentes, além de faróis com projetores e leds nas luzes de condução diurna, nos faróis de neblina e nas lanternas.

O interior também aparenta maior requinte com mostradores digitais e linhas mais fluidas, mas escorrega nos materiais utilizados no acabamento, de toque rígido e menor qualidade em relação aos concorrentes. Já o Duster mantém (quase) o mesmo visual de 2011 por dentro e por fora, sem demonstrar o mínimo de refinamento. No centro do painel, a multimídia é exatamente a mesma nos dois.

O interior do Captur aparenta maior requinte, mas o acabamento do painel deixa a desejar

O interior do Captur aparenta maior requinte, mas o acabamento do painel deixa a desejar (Christian Castanho/Quatro Rodas)

O Duster mantém quase o mesmo visual de 2011. A multimídia no centro do painel é exatamente a mesma nos dois modelos

O Duster mantém quase o mesmo visual de 2011. A multimídia é exatamente a mesma nos dois modelos (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Mas nem tudo é diferente entre eles. Além de compartilharem a plataforma, o conjunto de motor e câmbio também são idênticos. O motor é o recém-lançado SCe 1.6 de 120/118 cv (etanol/gasolina) e 16,2 mkgf, enquanto o câmbio é manual de cinco marchas. Ao volante, o Duster mostra maior desenvoltura.

Ele levou 12,4 segundos para ir de 0 a 100 km/h, contra 13,1 do Captur. Já as médias de consumo se equivalem: 9,4/11,7 km/l em ciclo urbano/rodoviário para o primeiro e 9,3/12,1 para o segundo.

Bancos de tecido são bonitos e confortáveis

Bancos de tecido são bonitos e confortáveis do Captur (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Os bancos de couro são opcionais

Os bancos de couro do Duster são opcionais (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A suspensão menos rígida do Duster também se reflete em mais conforto na buraqueira das grandes cidades – ao contrário do Captur, que transmite todas as irregularidades do solo para os ocupantes e, principalmente, para o motorista. Nos dois, a estabilidade é elogiável, mas o Captur inclina mais nas curvas pela maior altura em relação ao solo. O porta-malas do Duster é ligeiramente maior, com 475 litros, contra 437 do irmão.

Porta-malas é ligeiramente menor que o irmão Duster com 437 litros

Porta-malas é ligeiramente menor que o irmão Duster com 437 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Duster tem o porta-malas maior, com 475 litros

Duster tem o porta-malas maior, com 475 litros (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Assim, os R$ 5.410 que separam os dois SUVs 1.6 não justificam a compra do Duster, que é menos equipado, menos seguro (sem ESP e airbag lateral) e próximo de ganhar nova geração, prevista para 2018. Além disso, o Captur também traz a vantagem de um design tão atraente que durante a avaliação fez muita gente nas ruas perguntar que carro é esse.

Cerca de 1.500 anos após a primeira dinastia, a França vê mais uma troca de coroas: o velho Duster está pronto para passar o trono ao irmão caçula, Captur.

O Captur conta com cinto de três de pontos no banco central traseiro

O Captur conta com cinto de três de pontos no banco central traseiro (Christian Castanho/Quatro Rodas)

A suspensão do Duster transmite menos as irregularidades do asfalto para os ocupantes

A suspensão do Duster transmite menos as irregularidades do asfalto para os ocupantes (Christian Castanho/Quatro Rodas)

Veredicto

O Duster ainda mantém uma boa relação de custo-benefício. Mas a maior lista de itens de conveniência e segurança do Captur o tornam o vencedor do comparativo.

Teste de pista (com gasolina)

Duster Captur
Aceleração de 0 a 100 km/h 12,4 s 13,1 s
Aceleração de 0 a 1000 m 34,2 s – 150,7 km/h 34,7 s 151,4 km/h
Retomada de 40 a 80 km/h 7,8 s 8,2 s
Retomada de 60 a 100 km/h 13 s 14,2 s
Retomada de 80 a 120 km/h 21,4 s 23,9 s
Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0 16,1 / 28,4 / 67,1 m 15,8 / 27,7 / 64,4 m
Consumo urbano 9,4 km/l 9,3 km/l
Consumo rodoviário 11,7 km/l 12,1 km/l

 

Ficha Técnica

Duster Dynamique Captur Zen
Motor flex, diant.,
4 cil., 16V, 1.597 cm3, 120/118 cv a 5.500 rpm, 16,2 mkgf a 4.000 rpm
flex, diant.,
4 cil., 16V, 1.597 cm3, 120/118 cv a 5.500 rpm, 16,2 mkgf a 4.000 rpm
Câmbio manual, 5 marchas,
tração dianteira
 manual, 5 marchas,
tração dianteira
Suspensão McPherson (diant.) e eixo de torção (tras.) McPherson (diant.) e eixo
de torção (tras.)
Freios disco ventilado (diant.) e tambor (tras.) disco ventilado (diant.) e
tambor (tras.)
Direção eletro-hidráulica eletro-hidráulica
Rodas e pneus liga leve, 205/60 R17 liga leve, 215/60 R17
Dimensões comprimento, 432,9 cm; altura, 168,3 cm; largura, 182,2 cm; entre-eixos, 267,4 cm;
peso, 1.214 kg; porta-malas, 475 l; tanque, 50 litros
comprimento, 432,9 cm; altura, 161,9 cm; largura, 181,3 cm; entre-eixos, 267,3 cm; peso, 1.273 kg; porta-malas, 437 l;
tanque, 50 l
Equipamentos de série central multimídia, ar-condicionado, retrovisores elétricos, bancos de couro, airbags frontais e faróis de neblina ESP, chave presencial com partida do motor por botão, assistente de partida em rampas e lanterna de neblina
Preço R$ 73.490 R$ 78.900
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Martins Pessôa Regis Júnior

    O Duster vale mais a pena pelo espaço interno e o espaço no porta-malas.
    Quanto à “sopa-de-letrinhas” eletrônica, isso é mero detalhe. O mais importante é manter distância dos carros da frente e dirigir de forma civilizada.

  2. Gabriel Medeiros

    Brasileiro é um ser atrasado. Não abre mão de uma central multimidia, mas quando o assunto é item de segurança acha desnecessário. Fico pasmo com esses comentários.

  3. Sergio Augusto

    A moda agora e o ESP !!! se não tiver o povo acha que o carro vai capotar, geração de motoristas inábeis borrentos………