Vazamento contradiz o que sabíamos sobre o Renault Kwid

Subcompacto terá suspensão com eixo rígido e motor 1.0 mais simples que o do Sandero

Versão brasileira do Kwid é mais larga e baixa que a indiana (Reprodução/Renault)

A um dia de ser apresentado no Salão de Buenos Aires, o Renault Kwid nacional teve sua ficha técnica e lista de equipamentos divulgadas pelo site Motor1. Elas ajudam a entender o preço inicial de R$ 29.990, também alcançado pela importação de 40% das peças da Índia.

Os catálogos, possivelmente vazados por concessionários, esclarecem algumas das mudanças em relação ao Kwid vendido na Índia. Ele tem 3,68 m de comprimento, 1,59 m de largura, 1,47 m de altura e 2,42 m de entre-eixos, ou seja: 1 cm mais largo e 1 cm mais baixo que o carro indiano – medidas menores que as do antigo Renault Clio mas maiores que as de Fiat Mobi e VW Up!

A capacidade do porta-malas foi reduzida em 10 litros, de 300 l para 290 l. A explicação pode estar nos pneus e estepe mais largos, com pneus 165/70 R14 no carro nacional, contra os 155/80 R15 do indiano. Com isso, o fundo do compartimento tende a ficar mais alto. 

O tanque de combustível foi aumentado de 28 l para 38 l. O peso também aumentou. A ficha parece mostrar equivocadamente o peso em ordem de marcha de 1.173 kg. Este seria o peso bruto total, com os 375 kg de carga máxima somados aos 798 kg do compacto. O peso base do carro indiano, sem os reforços estruturais exigidos para o Brasil, é de 680 kg.

Peso base do carro brasileiro será de 798 kg (Reprodução/Renault)

A ficha também aponta mudanças na suspensão, feitas não apenas para adaptar o Kwid às condições brasileiras. Ela diz que a suspensão traseira é de eixo rígido – o carro indiano usa eixo de torção na traseira. Isso também pode ser um erro textual: por suas características, o eixo rígido seria visível nas fotos divulgadas. Hoje, apenas o Chery QQ (o carro mais barato do Brasil) usa esse sistema.

Enquanto o eixo de torção (padrão entre os compactos no Brasil) tem um elemento transversal de aço capaz de se torcer, emulando o funcionamento de uma suspensão independente, no eixo rígido cada roda é unida solidamente à outra, sem flexibilidade – ou seja, os movimentos verticais de uma roda afetam diretamente o outro lado.

Ao contrário do que antecipamos, o motor do Kwid não será o mesmo 1.0 3 cil. SCe de 82 cv (6.300 rpm) e 10,5 mkgf (3.500 rpm) usado por Logan e Sandero, mas sim uma variante sem o duplo comando de válvulas variável. Menos sofisticado e menos elástico, o motor fica mais barato, mas perde potência: são 66 cv (5.500 rpm) e 9,4 mkgf (4.250 rpm) com gasolina e 70 cv e 9,8 mkgf com etanol nas mesmas rotações.

Motor do Kwid terá motor mais simples que o de Sandero e Logan (Reprodução/Renault)

Apesar do baixo peso, o desempenho do Kwid não foge à média do segmento. Os números divulgados pela Renault são de 0 a 100 km/h em 15,5 s com gasolina e 14,7 s com etanol. A máxima seria de 152 km/h com gasolina e 156 km/h com o combustível vegetal.

Três versões 

O material confirma que serão três as versões do Kwid brasileiro: Life, Zen e Intense. Por R$ 29.990, o Kwid Life terá airbags frontais e laterais (quatro no total), Isofix, fiação para instalação de rádio, desembaçador do vidro traseiro, ajuste interno dos retrovisores, para-choques pintados, maçanetas e retrovisores pretos, abertura interna do porta-malas, cintos dianteiros com ajuste de altura e encostos de cabeça laterais traseiros. 

O pacote de equipamentos Pack Clim, composto por ar-condicionado, direção elétrica e limpador traseiro, será oferecido como opcional na versão de entrada. 

Em seguida está a versão Zen, com preço estimado de R$ 32.990. Tem todos os equipamentos da versão Life e do Pack Clim, e adiciona vidros e travas elétricas, retrovisor interno com função dia/noite, revestimento no porta-malas, alerta de luzes acesas, alças traseiras e dois alto-falantes. Rádio 2-din com Bluetooth é o único opcional.

A versão mais cara será a Intense, com preço inicial de R$ 34.990. Soma ao pacote da Zen itens como faróis de neblina, retrovisores e maçanetas na cor da carroceria, computador de bordo, conta-giros, apoio de cabeça central na traseira, bolsas porta-revista atrás dos encostos dianteiros, rodas de liga aro 14″, luz interna dimerizada e rádio 2-din com Bluetooth.

Esta versão tem o Pack Connect como opcional. Ele inclui central multimídia MediaNav, câmera de ré, porta-malas com abertura elétrica, grade cromada, retrovisores com capa preta e ajuste elétrico, maçanetas internas cromadas, detalhes internos exclusivos e rodas escurecidas.

Central multimídia MediaNav (opcional) e comandos dos vidros elétricos no painel, para economizar fiação (Reprodução/Renault)

A pré-venda do Renault Kwid começa amanhã, 9. Os primeiros carros estão previstos para chegar às lojas no final de julho.

Leia a reportagem completa com o furo do Motor1.

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

  1. Antonio Macedo

    mais um lixo, queremos carros seguros e não essas porcarias terceiro mundista, alias os países do 3º mundo merecem mais respeito que essa aberração ai.

  2. thiago vilela silva

    Hoje a Renault tem no mercado um dos melhores motores 1.0 o SCe (82 cv) com duplo comando de válvulas muito potente e econômico e me vem com essa porcaria de 66 (cv).

  3. Eu estava motivado com o carrinho, iria comprar um, depois destas informações desisti desta carrocinha renault, tchau Kwid, boas vendas

  4. HardWing Plays

    Alguém que compra esse tipo de carro pergunta na concessionaria qual o tipo de suspensão? Brincalhões esses comentaristas

  5. Paulo Fernando Rodriguez

    A renault driblou o time inteiro, não tinha goleiro no gol e ela foi lá e chutou para fora. E o preço da zen não é esse.

  6. Vel Carvalho

    Pra quem tem um carro velho,se eu ganhasse um desse ficaria feliz desfilando por ai.

  7. Carlos Volpato

    No Brasil não tem jeito a ganancia fala por si, foi só o consumidor demonstrar interesse os preços do Zen foi pra R$35.390,00 e o Intense R$39.990,00 isso se você quiser um carro branco solido, sem contar a pintura metálica que custa mais R$1.350,00 se não me engano, o carro passa a impressão de ser alto porque o garoto propaganda é um tampinha.
    Com exceção da versão de entrada que entrega o que cobra as outras versões esbarram em carros mais robustos e potentes, não saia correndo pra reservar e compare com outras marcas que já estão sinalizando descontos para barrar os planos da Renault.

  8. Dudu Pimentel

    Prá quê ter 2 motores, cada um com uma configuração? Deixa um motor só e já que os carros são caros, a configuração padrão deveria ser a melhor.

  9. Edson Pereira

    Usar o motor de apenas 66 cv e um erro estratégico

  10. Tio Patinhas Patinhas

    1 L i m p a d o r d e P a r a b r i s a ? ? ? tipo o Uno, rodas do Del Rey de 3 parafusos, motor de 3 cilindros menos potente. O que mais tem a menos nesse carro ?