Clique e assine por apenas 8,90/mês

VW Beetle Dune

O modelo chamado de Fusca no Brasil ganha suspensão mais alta e roupinha off-road, mas só quer saber de se aventurar na cidade

Por Joaquim Oliveira - Atualizado em 8 nov 2016, 18h07 - Publicado em 25 set 2014, 11h36
impressoes

Pegue um carro urbano, coloque nele uma roupagem meio off-road, levante um pouco a suspensão e o batize com um nome que remete à aventura ou algo ao ar livre. Parece que o mercado brasileiro vai receber outro aventureiro, como uma Weekend Adventure ou o CrossFox, certo? Nada disso. Essa descrição é a do novo Beetle Dune, que deve estrear na Europa no início de 2016. Ele foi apresentado como carro-conceito no Salão de Detroit, em janeiro passado, mas já com um design muito próximo ao modelo de produção. É mais um que está surfando na onda radical chique que começou no Brasil com a Weekend em 1999 e que nos últimos anos tem feito sucesso também na Europa. O veículo de série não terá todos os detalhes do protótipo, como o suporte para esquis de neve, que vão encaixados no rack sobre o teto e nas extremidades do aerofólio sobre o porta-malas. Mas vai continuar lá o tal aerofólio bicolor com acabamento preto brilhante, que cria um belo visual esportivo e ainda gera downforce nas versões mais potentes.

Na dianteira, as alterações no design em relação ao Beetle atual (que no Brasil é vendido como Fusca) são mais discretas, como o capô cuja parte central é um pouco mais elevada e suas duas entradas de ar. A grade ficou mais alta, com padrão em colméia e moldura de alumínio. As caixas de roda estão mais salientes, o que aumentou a largura total em 4,8 cm. Mas os pisca-piscas, os faróis de neblina e as rodas de liga leve também serão um pouco diferentes do que vemos neste protótipo.

Para baixar os custos, ele ganhará rodas de 18 polegadas, em vez das aro 19 do carro das fotos. Isso também deve reduzir levemente a altura em relação do solo, que no conceito é 5 cm maior do que o normal. Aí já se percebe que esse Volkswagen não foi pensado para encarar terrenos off-road, até porque está descartada a hipótese de tração nas quatro rodas.O elevado grau de parentesco com um Beetle normal é notado também no interior, o que significa que há muito plástico duro e poucas superfícies de toque suave. O apoio de mão que fica à frente do passageiro (e que substitui o segundo porta-luvas do Beetle comum) vai sumir porque seriam necessários novos crash-tests para homologá-lo para venda ao público.

Dois aspectos se destacam nesse atraente carro- conceito. Primeiro, há o painel pintado com o mesmo amarelo Arizona da carroceria, com apliques de alumínio, com a assinatura Dune em relevo. A cor também está nas costuras dos bancos e na capa que recobre os raios do volante, que é igual ao do modelo de série. Os bancos terão visual diferente, com um tom mais escuro. O outro destaque é o sistema multimídia com tela de alta resolução de 7,7 polegadas que exibe uma animação gráfica dos movimentos de inclinação lateral e longitudinal da carroceria.

A gama de motores será a mesma do Beetle, mas para nós o mais interessante é o 2.0 TSI de 210 cv, versão escolhida para nosso test-drive na Ilha de Sylt, no norte da Alemanha. Esse motor é capaz de chegar 100 km/h em apenas 7,3 segundos e atingir a máxima de 227 km/h, segundo a fábrica. Nele vai conectado o câmbio automatizado DSG de dupla embreagem e seis marchas, que garante trocas suaves e muito rápidas. Para um comportamento mais esportivo em curvas, o bloqueio eletrônico do diferencial dianteiro XDS entra em ação, liberando para as rodas o máximo de torque possível sem que elas percam controle. O sistema faz pequenas intervenções no freio, o que nada mais é do que uma simples extensão das funções do controle de estabilidade (ESP). O comportamento em estrada consegue manter o ótimo equilíbrio que conhecemos no carro atual, sem grandes diferenças na estabilidade, pois o que se ganha com a maior largura da carroceria compensa-se na perda com o aumento da altura.

Ainda bem que o Dune continua bom de asfalto, pois a própria Volkswagen reconhece que seu habitat natural serão as ruas das cidades e as rodovias do interior. “O público-alvo são as pessoas com estilo de vida mais jovem e moderninho e os fãs de design. Ou seja, quem quer se distinguir das massas através do seu carro”, explica Mathias Zeuner, diretor de marketing do Beetle. Ele diz que por essa mesma razão constará do catálogo uma cor muito parecida com o laranja dourado metálico do protótipo. Como se vê, no safári onde o Dune deve se aventurar, estar vestido a caráter é fundamental.

VEREDICTO

O comprador de um Beetle busca design descolado. O Dune traz um estilo ainda mais descolado. Por isso, tem tudo para fazer sucesso, especialmente com a atual moda SUV.

Continua após a publicidade
Publicidade