Clique e assine por apenas 8,90/mês

SUVs compactos

Na faixa de preço acima de R$ 75.000 havia um vazio na oferta de SUVs do mercado nacional, que agora será ocupado pelos novos lançamentos

Por Paulo Campo Grande - Atualizado em 9 nov 2016, 14h30 - Publicado em 26 Maio 2015, 16h26
comparativos

Até o lançamento dos novos SUVs, as opções do mercado eram poucas e concentradas em dois extremos. Havia os modelos na faixa dos R$ 60 000/R$ 70 000, basicamente de origem nacional, e as categorias superiores, acima de R$ 100 000, ocupadas em geral por importados. Os novos SUVs chegaram para brigar nessas faixas tradicionais, mas principalmente para adensar a oferta nas faixas intermediárias, onde havia somente as versões mais caras do EcoSport. É nessa faixa de preço entre R$ 70 000 e R$ 100 000 que Honda e Jeep fazem suas principais apostas. Não é à toa que a Ford lançou uma nova versão do EcoSport com preço de R$ 82 900. Portanto, quem procura novidades deve ficar atento a essa parte do segmento. Neste segundo confronto, o único SUV que alinhou com HRV, Renegade, 2008 e EcoSport foi o Chevrolet Tracker, que é importado do México e chega aqui em única versão, LTZ, ao preço de R$ 90 990. Tanto a Honda como a Jeep estimam que essas versões mais caras sejam as de maior participação nas vendas de seus SUVs, especialmente neste momento de lançamento. A seguir, você verá o que elas oferecem e quais as chances que têm, umas frente às outras e também na comparação com suas variantes mais simples e baratas.

1º Honda HR-V EX

Mais equipado e com as mesmas características de comportamento, o Honda se manteve à frente dos rivais no confronto entre os SUVs de preço superior

669-suv-hrv.jpeg

Na versão EX, o que era bom ficou melhor, porque o HR-V é essencialmente o mesmo carro, só que mais equipado. Por fora, há diferenças evidentes com a inclusão de itens como faróis de neblina, repetidores de pisca nos retrovisores e rack de teto. Por dentro, o painel não tem alterações de cor nem de materiais. As mudanças que ocorrem são em função dos equipamentos que são acrescentados, como o sistema de som com visor LCD de 5 polegadas e volante multifuncional, com controle de áudio e piloto automático, revestido de material que imita couro. Na parte mecânica, nada muda. Da mesma forma, alguns pontos que podiam ser melhorados, como a palheta dos limpadores de para-brisa articuladas e a oferta de airbags, não sofrem alterações. Mas o conteúdo evolui da mesma forma que o dos rivais. Por isso, o HR-V repete o desempenho do comparativo das páginas anteriores e se mantém no primeiro lugar.

A versão mostrada aqui é uma EXL que é ainda mais equipada e cara que a EX. Essa versão topo de

linha inclui airbags laterais, central multimídia e ar-condicionado digital e adiciona a possibilidade das trocas de marcha no modo manual no volante. Nesse caso, o câmbio CVT ganha sete marchas pré-definidas, o que torna a condução mais divertida. O aumento de equipamentos é sempre bem-vindo e melhora a vida a bordo. A única contraindicação das versões mais completas é o preço, que sobe de R$ 75 400 para R$ 80 900, da LX para a EX, e chega a R$ 88 700, na EXL.

Em relação ao valor do seguro, não há variação nominal do custo entre as versões. O preço do seguro se mantémo em torno de 7% do valor do carro, segundo o site Segurar.com.

2º Renegade Longitude AT

669-suv-renegade.jpg

Assim como o HRV, o Renegade confirmou sua colocação neste comparativo por manter os mesmos predicados, só ganhando equipamentos. O Renegade Longitude mostrado ao lado traz visor LCD entre os mostradores, central multimída e teto preto, entre os opcionais. Mas, independentemente desses itens extras, a versão Longitude é bem mais equipada que a Sport. Entre os equipamentos exclusivos da Longitude, o destaque vai para a câmera de ré, o sensor de estacionamento, o GPS e o sistema de acionamento elétrico dos vidros com um toque só, para todas as posições. Nessa versão, o Renegade só tem dois airbags. Mas, ao contrário do HRV, seu estepe é do mesmo tamanho do pneu de rodagem e as palhetas do limpador do parabrisa são do tipo flat blade.

3º Ford EcoSport Freestyle Plus

669-suv-ecosport.jpg

Com a nova versão 2.0 FreeStyle Plus, mais equipada, o EcoSport conseguiu equilibrar a disputa com o 2008 no que diz respeito ao conteúdo. E ultrapasou o rival no conjunto. Em relação à versão SE, a FreeStyle Plus ganhou quatro airbags (seis, no total), bancos de couro, sensor de estacionamento, computador de bordo e repetidores nos retrovisores, entre outros itens. Uma vez resolvido no

conteúdo, o EcoSport fez valer suas características típicas de SUV. O Ford tem acabamento de qualidade inferior ao do Peugeot, mas na pista apresentou melhor rendimento graças a seu motor mais potente e ao câmbio automatizado de dupla embreagem e sete marchas. Nas frenagens, apesar

de não ter freio a disco nas quatro rodas, como o 2008, o EcoSport também se saiu melhor.

4º Peugeot 2008 Griffe 1.6 THP

669-suv-2008.jpg

Ultrapassado pelo EcoSport, o 2008 entrou neste segundo confronto do mês com o mesmo padrão de acabamento e conteúdo, uma vez que as duas versões tinham o mesmo pacote Griffe. A diferença, no caso dele, se resumiu ao conjunto motor e câmbio. Comparando o rendimento da versão 1.6 AT (115 cv) com a 1.6 THP (173 cv), deu a lógica: a THP foi muito superior, andando mais e gastando menos. Mais ágil, o 2008 ficou mais obediente, seguro e bom de dirigir. Quem gosta de dirigir esportivamente vai aprovar a versão mais cara pelo desempenho superior, aliado ao câmbio com trocas manuais. Mas, nessa faixa de preço, deixar de oferecer uma versão THP equipada com câmbio automático é uma falta grave, que pode desestimular muitos consumidores interessados no carro.

5º Chevrolet Tracker 1.8 LTZ

669-suv-tracker.jpg

Apresentado apenas na versão completa LTZ, que custa R$ 90 990, ele só participa da faixa superior do segmento, acima até mesmo dos SUVs alinhados aqui, embora tenha porte e conteúdo equivalente. Com exceção do preço, o Tracker agrada pelo padrão de acabamento, pelo conteúdo, principalmente nos itens de conforto, e também pelo comportamento dinâmico. Seu desempenho foi mediano, na pista. Mas ele perdeu pontos importantes na segurança. Equipado com freio a tambor na traseira, tem cinto abdominal na posição central traseira, somente dois airbags e, ao contrário dos rivais, não tem ESP ou controle de tração nem como equipamentos opcionais.

AVALIAÇÃO DO EDITOR

MOTOR E CÂMBIO

O carro que apresentou o melhor rendimento foi o 2008, graças ao motor turbo. HR-V e EcoSport ficaram colados, com ligeira vantagem para o Honda, equipado com câmbio CVT, enquanto o Ford tem um sistema de dupla embreagem. O bom câmbio do Renegade foi prejudicado pelo motor fraco, aliado ao peso do carro. Esse foi um problema semelhante ao do Tracker, que também tem câmbio esperto e um conjunto pesado.

HR-V ★★★★★

RENEGADE ★★★★

ECOSPORT ★★★★☆

2008 ★★★★★

TRACKER ★★★★

DIRIGIBILIDADE

Entre eles há dois extremos opostos: o Renegade, robusto, e o 2008, dócil. O primeiro com comportamento de jipe e o segundo, de perua. No caminho do meio, HR-V, EcoSport e Tracker estão mais de acordo com o que se espera dos SUVs compactos, usados prioritariamente no asfalto. O Honda tem comportamento mais previsível, seguido do Tracker e, depois, do EcoSport.

HR-V ★★★★★

RENEGADE ★★★★

ECOSPORT ★★★★

Continua após a publicidade

2008 ★★★

TRACKER ★★★★☆

SEGURANÇA

Ao frear bem (segurança ativa) o HR-V compensou o fato de ter só dois airbags (segurança passiva). Já o Renegade freou mal e também só tem dois airbags. EcoSport e 2008 têm seis airbags, mas o Ford parou melhor que o Peugeot. Com uma distância de frenagem intermediária, o Tracker oferece dois airbags, cinto abdominal, freio a tambor (assim como o EcoSport) e ainda não tem ESP.

HR-V ★★★★☆

RENEGADE ★★★☆

ECOSPORT ★★★★

Continua após a publicidade

2008 ★★★★

TRACKER ★★★

SEU BOLSO

Todos têm garantia de três anos. O Tracker tem preço sugerido acima dos rivais. E o HR-V paga mais pelo seguro. Como ainda não estavam nas lojas, quando fechamos esta edição, não conseguimos as cotações de Renegade e 2008, então, eles terão o benefício da dúvida. GM e Ford têm redes autorizadas bem maiores, o que é uma indicação de maior apoio da assistência técnica.

HR-V ★★★★

RENEGADE ★★★★

ECOSPORT ★★★★☆

2008 ★★★★

TRACKER ★★★☆

CONTEÚDO

Todos são bem-equipados, mas há destaques positivos e negativos. Só o HR-V não tem piloto automático. Só o Renegade tem sistema anticapotamento. E só o 2008 vem com sensores de luz, de chuva e de estacionamento. O EcoSport não tem vidros elétricos com acionamento em um toque. O Tracker tem teto solar.

HR-V ★★★★

RENEGADE ★★★★★

ECOSPORT ★★★★

Continua após a publicidade

2008 ★★★★☆

TRACKER ★★★★

VIDA A BORDO

O HR-V é o dono do melhor espaço interno. Ele trata bem a todos, é o melhor para quem viaja atrás e tem bancos modulares. O EcoSport é mais apertado, mas seu banco traseiro é elevado, como em um auditório. No Renegade, por sua vez, a turma de trás afunda no assento. O 2008 é apertado para todos. E o Tracker oferece conforto mediano.

HR-V ★★★★★

RENEGADE ★★★★

ECOSPORT ★★★★

Continua após a publicidade

2008 ★★★

TRACKER ★★★★

QUALIDADE

O EcoSport vem com revestimento parcial de couro, mas o plástico do painel tem aparência pobre. O Tracker também traz plástico duro, mas mais bonito e agradável ao toque. O Renegade não dispõe de couro, mas faz bonito com seu painel emborrachado. O HR-V e o 2008 são os mais completos e bem-cuidados da turma.

HR-V ★★★★★

RENEGADE ★★★★☆

ECOSPORT ★★★☆

2008 ★★★★★

TRACKER ★★★★

VEREDICTO

O Honda é gostoso no dia a dia, enquanto o Renegade está mais adaptado ao of-road. Na nova versão, o EcoSport ficou mais interessante, mas também mais caro. Já o 2008 tem bom conteúdo, mas comportamento de automóvel. O Tracker tem preço acima da média dos rivais.

HR-V ★★★★☆

RENEGADE ★★★★

ECOSPORT ★★★★

Continua após a publicidade

2008 ★★★★

TRACKER ★★★★

Confira a ficha técnica dos modelos

Confira o teste comparativo

Continua após a publicidade
Publicidade