Clique e assine por apenas 8,90/mês

Subaru XV

Crossover tem visual anabolizado, conforto de sedã e preço de SUV

Por Marcio Ishikawa | Fotos Marco de Bari - Atualizado em 8 nov 2016, 23h26 - Publicado em 5 jan 2014, 15h40
impressoes

Eu estava na fila da padaria quando um senhor se aproximou. “Uma curiosidade. Que carro é esse? Procurei o nome, mas não achei.” Ao saber que era o Subaru XV, emendou: “Belo jipão”. Tão discreta quanto o nome na tampa traseira é sua presença nas ruas brasileiras – o que atrai curiosidade e lhe dá uma aura de exclusividade. Se tiver que resumir o XV em uma frase, seria algo como “aventureiro urbano com foco na eficiência energética”. O visual é anabolizado: suspensão elevada, moldura preta na parte inferior, rack no teto e para-choques robustos. O acabamento interno é discreto e tem boa qualidade, não há o que reclamar do espaço e os comandos são bem-posicionados – tanto no volante multifuncional como no console central.

O visual aventureiro fez o senhor da padaria confundi-lo com um SUV. Mas, se ele assumisse o volante, logo perceberia que o conjunto motor boxer com câmbio CVT não entrega o desempenho que se esperaria de um utilitário. Em baixas rotações, o carro titubeia e é preciso pisar com vontade para fazê-lo despertar. Nem as trocas manuais no volante mudam esse cenário, já que o torque máximo só chega aos 4 200 rpm e, nesse ponto, o nível de ruído incomoda – a reclamação foi comum a todos da redação que andaram no carro. Mas, em uma tocada suave, ele é silencioso e os ocupantes desfrutam de uma suspensão firme e bem-acertada, que filtra bem as imperfeições do piso. A boa altura em relação ao solo é um bônus ao encarar valetas e lombadas, enquanto a tração integral com distribuição de torque para as rodas sob demanda, associada aos controles de estabilidade e tração, transmitem segurança em piso escorregadio.

Além do acerto do conjunto mecânico focado na economia de combustível, o XV ainda dispõe do Eco-Driving, tela do computador de bordo que ajuda o motorista a dirigir de forma econômica. O modelo é bem-equipado e a única ausência notável é do GPS. Mas o preço salgado – o mesmo do Hyundai ix35 (96900 reais) ou Honda CR-V básico (98 900 reais) – deve restringir suas vendas.

Veredicto

Para quem busca um carro exclusivo e bem-equipado, sem dar muita bola para performance ou a relação custo-benefício.

Continua após a publicidade
Publicidade