Clique e assine por apenas 8,90/mês

Sou o Fiat Mobi – mas pode me chamar de Uninho…

Subcompacto mineiro é uma versão reduzida do Uno, com preço quase igual

Por Ulisses Cavalcante - Atualizado em 23 nov 2016, 21h12 - Publicado em 14 jun 2016, 18h55
Fiat Mobi
Subcompacto mineiro tem seis versões de acabamento

A Fiat está fazendo sua estreia em um novo segmento: o dos subcompactos. Carros menores do que você gostaria que fossem por um preço maior do que você pretendia pagar. E a receita da marca é simples: pegue um Uno, tire um pedacinho de metal aqui, outro tantinho de plástico ali, e… voilà! Nasce um modelo novo. No caso, o pequeno Mobi.

Toda a mecânica é compartilhada com o Uno: motor, transmissão, central eletrônica – até o monobloco. Mas as medidas são menores: 356,6 cm de comprimento (é 24,4 cm menor que o Uno) e 163,3 de largura. São números praticamente iguais ao do Chery QQ. Outra semelhança do novo Fiat com o chinês: ambos têm a tampa do porta-malas feita de vidro.

Fiat Mobi
Com a tampa de vidro, a traseira tem sempre a cor preta

Essa tampa não tem estrutura metálica. Os braços das dobradiças, pontos de fixação dos amortecedores e trinco são presos diretamente ao vidro. Por dentro, a pintura preta esconde a parte transparente onde tradicionalmente há metal. Segundo a Fiat, essa solução fez o Mobi ficar 6 kg mais leve do que uma porta comum, de aço. E garante: o vidro de 5 mm reforçado oferece resistência superior ao das demais janelas. Além disso, afirma que o custo de reparo é igual – ou menor – que o de uma porta convencional, no caso de uma troca.

Fiat Mobi
Porta-malas não tem estrutura de metal, só vidro

A princípio, seis versões serão oferecidas (Easy, Easy On, Like, Like On, Way, Way On), por preços entre R$ 31.900 e R$ 43.800. Porém, ao contrário do que acontece com os demais modelos da marca, o Mobi não terá muitos opcionais ou pacotes de equipamentos. O Easy (configuração de entrada) vem de série com rodas de 13 polegadas e não oferece nenhum luxo – nada de ar-condicionado, assistência de direção ou sistema de som. Esses recursos são oferecidos a partir das versões Easy On e Like. A ideia é levar o cliente a optar pela migração de configurações, conforme a escolha de equipamentos – estratégia que simplifica o processo de escolha (e de compra).

A versão avaliada, Mobi Like On (R$ 42.300), pode ser considerada uma configuração intermediária. Porém, traz os mesmos recursos da Way On (R$ 43.800). Os diferenciais da mais cara são os acessórios de estilo (molduras nas caixas de roda, barra longitudinal no teto e para-choques exclusivos) e a suspensão elevada.

Fiat Mobi
Saídas de ar misturam elementos redondos e retangulares

O motor 1.0 de quatro cilindros desenvolve 75/73 cv a 6.250 rpm. Embora seja suficiente para dar conta dos 946 kg da versão Like On (intermediária), não apresentou resultados de desempenho e consumo melhores que os do Uno. Marcamos 17,5 s na prova de 0 a 100 km/h – o Uno Vivace completou o teste em 17,7 s. Em consumo, o Vivace (já aposentado pelo Mobi) foi melhor: 11,4 km/l em ciclo urbano e 15,8 na estrada. A bordo do lançamento, registramos 11 e 15,2 km/l nos mesmos regimes.

Fiat Mobi
Painel de LCD: de série só nas versões Like On e Way On

Apesar de desconversar, a Fiat está trabalhando no desenvolvimento de um motor 1.0 de três cilindros – supostamente previsto para chegar ao mercado ainda em 2016. E o bloco com um cilindro a menos deve atender aos compactos da marca (Mobi, Uno e Palio). O novo propulsor também deve aposentar o tanque auxiliar de partida a frio – tecnologia que o Up!, principal rival do Fiat, já tem.

A estratégia de vendas da montadora será a de destacar a vocação urbana do carrinho. De fato, para uma ou duas pessoas, não desaponta no dia a dia. Mas ocupantes altos podem ter problemas até encontrar conforto. No assento do passageiro dianteiro, Fabio Paiva, designer de QUATRO RODAS, teve dificuldades para ajustar o banco. “Tenho 1,83 m e faltou curso no trilho. Fiquei com os joelhos encostando no painel, mesmo com o assento totalmente recuado”, diz.

O espaço no banco traseiro é bastante limitado. Por conta do entre- eixos curto (230,5 cm), a área para as pernas dos ocupantes ficou comprometida. Na altura não houve prejuízos, por conta do teto elevado até a parte traseira da carroceria – são 98,6 cm entre o assento e o teto.

Fiat Mobi
Todas as versões têm encosto bipartido de série

Para compensar essas limitações, todas as versões do Mobi vêm de série com assento traseiro bipartido e reclinável, com duas opções de ajuste – é possível travar o encosto em uma posição mais vertical para privilegiar o espaço no porta-malas. Aliás, dentro do bagageiro a Fiat instalou o Cargo Box, uma caixa flexível para abrigar pequenos volumes.

Na dianteira, os bancos têm apoio de cabeça embutido no encosto, como ocorre no Up!. E em relação ao rival da Volks, o Mobi tem uma vantagem: quatro saídas de ar ajustáveis. No VW, o ventilador central é fixo, voltado para o para-brisa.

As versões Like On e Way On vêm de série com o rádio Connect integrado ao volante multifuncional e à tela de LCD no quadro de instrumentos. Esse rádio tem tela digital com Bluetooth e USB, mas não chega a ser uma central multimídia. A Fiat programou para junho a oferta do Live On, um equipamento que promete a integração do carro com o smartphone do dono por meio de um app.

Continua após a publicidade
Fiat Mobi
Rádio Connect tem USB, Bluetooth e streaming

As versões Easy On (R$ 35.800) e Like (R$ 37.900) são as que têm melhor custo-benefício. Mas não custam pouco: um JAC J3 1.4 sai por R$ 35.990. A chinesa também oferece o J2, com o 1.4 de 113 cv, a R$ 39.990.

Não espere que o Mobi seja o carro mais barato do Brasil – esse não é o objetivo da marca. A Fiat não pretende ser lembrada por esse motivo.

 

SEIS VERSÕES, POUCOS OPCIONAIS

Mobi Easy

imagem

A configuração mais barata do hatch é, naturalmente, a menos equipada – oferece pouco além dos assentos, rodas, motor e câmbio. A direção não tem nenhum tipo de assistência. A abertura dos vidros é feita por alavancas e as travas são mecânicas. As rodas de aço são de 13 polegadas. E só há dois opcionais: desembaçador com ar quente e o kit Functional (travas e vidros elétricos, limpador e lavador do vidro traseiro e fiação para rádio). Precisa de mais? É necessário migrar de versão. Preço parte de R$ 31.900.

Mobi Easy On

Continua após a publicidade

imagem (2)
Fiat Mobi Easy On

Acrescenta à Easy a direção hidráulica, ar-condicionado, rodas de 14 pol., retrovisores elétricos e volante com regulagem de altura. Custa R$ 35.800.

Mobi Like

Fiat Mobi
Fiat Mobi Like

A opção intermediária é caprichada: vem de série com ar-condicionado, direção hidráulica, desembaçador, chave canivete com controle remoto, acabamento de tecido no porta-malas, travas e vidros elétricos e volante com regulagem de altura. Mas usa calotas e os retrovisores têm ajuste manual – sem possibilidade de upgrade. À parte, só está disponível o Kit Tech, que inclui alarme, rádio Connect integrado ao painel com Bluetooth, USB e função streaming de áudio – o volante é multifuncional.

Mobi Like On

Fiat Mobi
Fiat Mobi Like On Fiat/Divulgação

Tem o opcional do Like e inclui rodas de liga leve de 14 pol.,  faróis de neblina, porta-óculos, sensor de estacionamento traseiro. Sai a R$ 42.300.

Continua após a publicidade

Mobi Way

Fiat Mobi
Fiat Mobi Way

No topo da gama, é fácil diferenciar o Way, que tem suspensão elevada, barras longitudinais no teto e apliques plásticos nas molduras dos para-lamas e no centro dos para-choques. Só tem um opcional, o Kit Tech, composto pelo Rádio Connect integrado ao volante multifuncional e ao quadro de instrumentos com tela de LCD. Ar-condicionado, direção hidráulica, travas e vidros elétricos e chave canivete com controle remoto são itens de série. Porém, as rodas vêm com calotas e os retrovisores são manuais.

Mobi Way On

Fiat Mobi Way On (console)
Fiat Moby Way On

Sem opcionais, acrescenta rodas de liga leve de 14 pol., espelhos elétricos, limpador do vidro traseiro, sensor de estacionamento, console no teto com porta-óculos e espelho auxiliar e o Rádio Connect. Por R$ 43.800. 

 

AVALIAÇÃO DO EDITOR

Motor e Câmbio – Trabalham bem e são confiáveis, mas a concorrência oferece conjunto melhor.

Continua após a publicidade

Dirigibilidade – A direção direta associada às dimensões contidas dão boa sensação de agilidade.

Segurança – Foi pior que o Up! nos testes de frenagem e não foi avaliado pelo LatinNCAP.

Seu bolso – É uma compra racional nas versões mais em conta. Acima da Like é superado pelos rivais.

Conteúdo – Bom escalonamento de versões, com boa oferta de equipamentos já na versão Easy On e Like.

Vida a bordo – Boa ergonomia e bancos bipartidos rebatíveis são diferenciais.

Qualidade – Segue o padrão de acabamento da Fiat.

 

VEREDICTO QUATRO RODAS

Continua após a publicidade

O Mobi tem uso específico: gente que anda só ou em dupla, dentro da cidade, sem bagagem. Precisa de espaço? Migre para o Uno. Privilegia custo-benefício? As versões ideais para você são a Easy On ou Like.

Teste de pista (com gasolina)
Aceleração de 0 a 100 km/h 17,5 s
Aceleração de 0 a 1.000 m 38,4 s – 132,1 km/h
Retomada de 40 a 80 km/h (em 3ª) 10,6 s
Retomada de 60 a 100 km/h (em 4ª) 18,5 s
Retomada de 80 a 120 km/h (em 5ª) 32,9 s
Frenagens de 60 / 80 / 120 km/h a 0 17 / 29,6 / 67,5 m
Consumo urbano 11 km/l
Consumo rodoviário 15,2 km/l
Ruído interno – neutro / RPM máximo 44,1 / 77,3 dBA
Ruído interno – 80 / 120 km/h 64,6 / 71,6 dBA
Aferição – velocímetro / real 100 / 96,3 km/h
Aferição – rotação do motor a 100 km/h em 5ª marcha 3.100 rpm
Aferição – volante 2,6 voltas
Ficha Técnica: Fiat Mobi Like On
Motor flex, diant., transversal, 4 cilindros, 8V, 999 cm3, 70 x 64,9 mm, 75/73 cv a 6.250 rpm, 9,9/9,5 mkgf a 3.850 rpm
Câmbio manual, 5 marchas, tração dianteira
Direção hidráulica, 10 m (diâmetro de giro)
Suspensão McPherson (diant.), eixo de torção (tras.)
Freios disco ventilado na dianteira, tambor na traseira
Pneus 175/65 R14
Peso 946 kg
Peso/potência 12,6/13 kg/cv
Peso/torque 95,6/99,6 kg/mkgf
Dimensões omprimento, 356,6 cm; largura, 163,3 cm; altura, 150 cm; entre-eixos, 230,5 cm; porta-malas, 215 l; tanque de combustível, 47 l
Equipamentos de série ar-condicionado, direção hidráulica, banco do motorista e volante com regulagem de altura, chave canivete com controle remoto, computador de bordo, rádio integrado ao volante multifuncional, travas, vidros e retrovisores elétricos, rodas de liga, sensor de estacionamento elétrico, faróis de neblina
Publicidade