Clique e assine por apenas 8,90/mês

Saveiro X Strada

A picape da VW tenta desbancar a rival da Fiat com novo motor e mais conteúdo

Por Péricles Malheiros | Fotos Marco de Bari - Atualizado em 8 nov 2016, 21h52 - Publicado em 30 jun 2014, 23h50
comparativos

Coelhos não se reproduzem tão rapidamente como a Strada. Ela chegou em 1998, como modelo 1999, apenas com cabine simples, câmbio manual, dois motores (1.5 e 1.6) e três versões (Working,Trekking e LX). Hoje são três carrocerias (cabines simples, estendida e dupla), dois câmbios (manual e automatizado), três motores (1.4, 1.6 e 1.8) e três versões (Trekking,Working eAdventure). Seu mais recente feito: em março, tornou-se líder absoluta no ranking mensal de emplacamentos da Fenabrave, a Federação Nacional de Distribuição de Veículos Automotores. Ela somou 13 017 unidades e ficou à frente de Palio (12 872 carros) e Gol (12 545).

A Saveiro, assim como a Strada, viu concorrentes surgirem e sumirem ao longo dos anos. Ford Courier, Chevrolet Pick-Up Corsa e Montana, Peugeot Hoggar: todas miravam a Strada, mas mal fizeram cócegas na Saveiro. Novamente, os números da Fenabrave são reveladores. Strada, Saveiro, Montana, Courier e Hoggar fecharam 2013 com, respectivamente, 122 904, 72 370, 46 707, 3 052 e 747 unidades emplacadas. Trocando em miúdos, Volkswagen, Chevrolet, Ford e Peugeot não batem a Strada mesmo somando tudo o que vendem no segmento. O fato é que, ainda que a distância, a representante da Volkswagen é quem mais se aproxima da Strada.

A Volks aplicou reforços à linha 2015 da Saveiro e quem mais se beneficiou foi a versão Cross, a única a receber, por enquanto, o novo motor 1.6 de 120/110 cv – as demais, Starline e Trendline, mais simples, seguem com um 1.6 8V de 104/101 cv. Batizado MSI, ele substitui o EA-111, do qual difere pelo cabeçote multiválvulas (16V) com comando variável na admissão e também por não precisar de tanquinho de gasolina para partidas a frio. Com bloco e cabeçote de alumínio, o MSI deixou a Saveiro Cross mais eficiente. Numa comparação com a que foi testada em maio de 2013, a picape melhorou consideravelmente seus números de aceleração, retomadas de velocidade e consumo. A evolução também foi suficiente para fazer bonito diante da Strada, com seu motor 1.8 16V de 132/130 cv.

O sistema de freio ganhou discos sólidos na traseira e ABS (antitravamento das rodas) com EBD (distribuidor de força), BAS (assistência em emergência) e HSA (que segura a picape freada por cerca de 2 segundos em subidas com mais de 5% de inclinação). Há ainda controles de estabilidade (ESP) e tração (ASR), além de bloqueio eletrônico do diferencial (EDL). Apesar do nome e diferentemente do que acontece com o Locker da Strada (opcional), o EDL da Volks não bloqueia o diferencial. Funciona assim: quando as rodas dianteiras giram em velocidades desiguais, o freio daquela que está mais rápida (com menor tração) é acionado. Assim, o diferencial é “enganado” e passa a enviar mais força para a que está apoiada, devolvendo o carro à terra firme.

Dentre os opcionais, apenas dois itens: revestimento de couro (R$ 490) e pacote Tecnologia, com retrovisor interno antiofuscante, piloto automático e faróis e limpadores de para-brisa com acionamento automático (R$ 990).Todo o restante (ar, direção, trio elétrico, som completo, capota marítima, entre outros) está embutido nos R$ 53 690.

Na análise da caçamba, a Strada larga na frente: é superior em capacidade de carga (685 ante 620 kg) e volume (910 ante 734 litros). Mas o motor 1.8 flex de 132/130 cv segue com tanquinho e, na pista, deu sinais de cansaço. Ainda que maior que o 1.6 da concorrente, ele deu à Strada um desempenho inferior de aceleração, retomada (exceto de 60 a 100 km/h) e consumo. Repleta de sistemas de assistência, a Saveiro foi muito melhor em frenagem. Fora da pista, o modelo da VW demonstra mais vocação urbana, principalmente por causa da suspensão traseira com molas helicoidais – com carga na caçamba e/ou fora do asfalto, a Strada, que tem feixe de molas atrás, se comporta melhor que a Saveiro.

Por R$ 51 950, a Strada sai na frente da Saveiro (R$ 53 690), mas perde a vantagem quando o conteúdo é equiparado. É preciso adicionar o kit Convenience 2 (R$ 2 201, com som, capota marítima, retrovisores elétricos e volante multifuncional) e o diferencial com bloqueio ativado por tecla, Locker, (R$ 1 666). Assim a Strada chega a R$ 55 817 e torna-se a picape mais cara do comparativo, com o agravante de não ter, sequer como opcionais, os importantes controles de estabilidade e tração.

Neste confronto de picapes com cabine estendida e visual aventureiro, a Saveiro Cross se vale da tecnologia (de itens de segurança e motor) e leva a melhor diante da líder Strada Adventure. Definitivamente, se há um modelo com chance de quebrar essa hegemonia da Fiat no mercado, é a Saveiro, mas só quando todas as versões passarem a ter o novo motor, o que ainda não tem data confirmada.

Continua após a publicidade

SAVEIRO CROSS DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO


O sistema de freio aprimorado e assistido eletronicamente é o destaque positivo.

★★★★

MOTOR E CÂMBIO

Mais fôlego e menos apetite: o motor 1.6 16V MSI deu à Saveiro números melhores que os da Strada nas provas de performance e consumo. A aposentadoria do tanquinho é outro indicativo de atualidade do projeto.

★★★★

CARROCERIA

O design alemão é menos festeiro do que o italiano. O único exagero de estilo está nos faróis auxiliares, quase tão grandes quanto os principais.

Continua após a publicidade

★★★★

VIDA A BORDO

Na cabine, a discrição chega a ser exagerada. Praticamente nada lembra se tratar de uma versão aventureira.

★★★☆

Continua após a publicidade

SEGURANÇA

Ao menos no que diz respeito à oferta de itens de segurança, a Saveiro Cross é referência não apenas no segmento de picapes.

★★★★☆

SEU BOLSO

Continua após a publicidade

O preço é alto, mas a Strada Adventure é menos equipada e mais cara.

★★★★

STRADA ADVENTURE DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO


O curso longo, a robustez e a maior neutralidade com carga máxima fazem da suspensão um dos itens mais elogiados da Strada.

★★★★

MOTOR E CÂMBIO

Falta eficiência ao motor 1.8 e precisão ao câmbio. Aqui, a desvantagem diante da Saveiro é evidente.

★★★☆

Continua após a publicidade

CARROCERIA

Os estribos exibem metais pretos e polidos, os para-lamas são contornados por largas molduras plásticas e a dianteira mescla o brilho do cromado com o fosco da pintura cinza. É um estilo indiscutivelmente mais chamativo – e sintonizado com o público do segmento.

★★★★

VIDA A BORDO

O interior é um tanto datado, mas o painel é de fácil leitura e os comandos ficam à mão.

★★★☆

Continua após a publicidade

SEGURANÇA

ABS e airbag duplo de série não são mais mérito. É lei – e a Strada não vai além disso.

Continua após a publicidade

★★★☆

Continua após a publicidade

SEU BOLSO

Continua após a publicidade

Tecnicamente inferior, com menor oferta de equipamentos e mais cara. Por outro lado, só a Strada tem algo valioso: a confiança do mercado.

★★★☆

Continua após a publicidade

VEREDICTO

A Strada não conquistou o reconhecimento do público da noite para o dia – e também não deverá perdê-lo assim. Porém o eficiente 1.6 16V e o atraente pacote de equipamentos passam a, no mínimo, dar à Saveiro Cross a condição de real concorrente da picape da Fiat.

>> Confira o desempenho dos carros

>> Confira a ficha técnica dos carros

Publicidade