Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Roda da fortuna

Por Redação 29 set 2010, 21h33

21657 km

A quantidade recorde de chuvas em São Paulo aumentou o número dos buracos na cidade. Nosso Smart encarou um deles, e não deu outra: levou a pior. Saiu com marcas na roda dianteira direita, um amassado e uma trinca. O pneu não foi afetado. Já o bolso…

Levamos o carro à concessionária Europamotor, de São Paulo (SP), para um orçamento. Após um dia, a resposta: a roda nova custaria 1 527 reais. Alinhamento e balanceamento, 240 reais, além de uma hora de mão de obra, a 170 reais, para retirar o pneu de uma roda e colocar em outra. Na autorizada Bullit, de Barueri (SP), valores semelhantes: o mesmo pela roda, 240 reais pelo alinhamento e 165 por balanceamento e montagem. Se não questionássemos, seriam 1 937 reais na primeira concessionária ou 1 932 na segunda, preço elevado em ambas.

A consultora da Europamotor ofereceu a opção de reparar a roda, numa empresa terceirizada, por nada menos que 800 reais, fora alinhamento e balanceamento. Para piorar, ela afirmou que o serviço não era recomendado pela fábrica. “Mas eles não estão vendo”, disse. Verdade que, mesmo oferecendo a opção, eles não aconselhavam o procedimento. A roda ficaria frágil e “o carro é tão novinho…”

Recusamos o reparo e optamos por adquirir uma roda nova. Como questionamos o preço, a consultora reduziu a mão de obra, dessa vez para 80 reais. No orçamento definitivo, surpresas. O valor da roda caiu para 1 445,92 reais e ganhamos um surpreendente desconto de 20% no total da fatura. Valor final: 1 476,74 reais. Autorizamos o serviço e recebemos o extenso prazo de cinco dias úteis para o reparo – basicamente, uma simples troca de roda.

E os concorrentes, que também usam componentes de liga leve importados? No caso do Fiat 500, de aro 15, o preço é de 1 135 reais, enquanto a roda de um Mini Cooper, aro 16, custa 1 285,51.

Continua após a publicidade

Uma semana depois, o Smart voltou. Não bem como queríamos. Não achamos o extintor e o volante estava desalinhado. E a luz de injeção acendeu, após uma viagem até Campos do Jordão (SP). Na concessionária, a suspeita da injeção recaiu sobre o combustível. Mas a análise revelou que ele estava dentro dos parâmetros. “Esse problema tem afetado algumas unidades do Smart e também alguns Mercedes- Benz”, revelou a consultora. A solução, segundo a concessionária, é “ressetar” o sistema de injeção, eliminando os erros. A direção foi realinhada e o extintor “reapareceu” – segundo a Europamotors, estava embaixo do banco (um dos lugares que checamos antes de reclamar o sumiço).

Principais ocorrências

20829 km: roda danificada em buraco

21543 km: luz da injeção acendendo

Consumo

No mês (25,9% na cidade): Gasolina – 12,6 km/l

Desde set/09 (40,9% na cidade): Gasolina – 11,6 km/l

Continua após a publicidade

Publicidade