Clique e Assine a partir de R$ 7,90/mês

Longa Duração: Chevrolet Onix Plus passa por revisão traumática

Revisão dos 40.000 km teve empurroterapia, furos no serviço prestado e mais duas idas à concessionária para resolver todas as pendências

Por Henrique Rodriguez Atualizado em 15 fev 2021, 01h19 - Publicado em 15 fev 2021, 00h41
Onix Plus na concessionária para trocar o filtro de ar do motor
Onix Plus na concessionária para trocar o filtro de ar do motor Leonardo Barboza/Quatro Rodas

Após a gravação do vídeo apontando os principais defeitos do nosso Chevrolet Onix Plus (confira em nosso canal no YouTube), o carro seguiu para a revisão dos 40.000 km na concessionária Nova, na zona sul de São Paulo.

Com o serviço agendado, foi só apontar o Onix no elevador para ser atendido. Novamente, relatamos os problemas que não foram resolvidos no serviço de 30.000 km. Para a dificuldade do levantamento dos vidros, o técnico disse que teríamos que pagar pela lubrificação das canaletas.

Para o barulho no turbo, ele simplesmente afirmou ser normal. Mas anotou sobre o barulho na cabine, no pé do carona, e outro nas polias. Depois, ainda apontou que o suporte direito do motor deveria ser trocado.

Falha Stabilitrak onix
Após a revisão, computador de bordo apontou erro no StabiliTrak, o sistema de controle de estabilidade do Onix, reclamação recorrente entre proprietários do modelo Henrique Rodriguez/Quatro Rodas
Empurroterapia serviços chevrolet nova
Folheto com tudo que é empurrado na revisão foi entregue na hora do pagamento Henrique Rodriguez/Quatro Rodas

O técnico também constatou pegadas de rato pelo motor e, por isso, deveríamos pagar pelo serviço de limpeza. Negamos, assim como a “limpeza do sistema de alimentação”, a “descontaminação interna do motor”, a oxi-sanitização do interior e o aditivo de óleo, que o panfleto entregue depois diz ser um aditivo de teflon.

Curiosa foi a insistência nesses serviços, que não são obrigatórios: “É um carro turbo, então se não fizer e depois tiver problema na injeção vai complicar a garantia”, disse. Curioso também ter que adicionar aditivo ao óleo 5W30 SN da ACDelco, marca da própria General Motors. Procurada, a fabricante disse que seu óleo segue todas as especificações e que “a utilização de algum aditivo complementar para redução de atrito é opcional”.

Após dias, por telefone, o técnico disse que não seria possível identificar de onde vêm os barulhos, pois, de tanto raspar, o suporte do para-choque estaria solto e a vibração dele provocaria ruídos. Apenas trocar o defletor dianteiro (R$ 99) não resolveria o problema, de acordo com ele.

A retirada do carro demorou mais por conta dos 40 minutos na sala de espera. O funcionário falou sobre o que foi feito e o que não foi feito.

O problema com o suporte do motor teria sido resolvido com reaperto, mas o rodízio não foi feito, pois constatou que a roda traseira esquerda está amassada e isso poderia provocar vibração na direção – ainda que o balanceamento (assim como o alinhamento) tenha sido feito e cobrado.

Filtro de ar onix plus
Troca do filtro de ar do motor é prevista no plano de revisão, mas não foi feita Leonardo Barboza/Quatro Rodas

Foram R$ 883 no total, sendo R$ 54,50 pelo filtro de cabine, R$ 144 de alinhamento e balanceamento e R$ 684,50 relativos à revisão.

Continua após a publicidade

Horas depois, porém, surgiu pela primeira vez o aviso “Falha no sistema StabiliTrak” no computador de bordo, acompanhado das luzes do controle de tração e do ABS, um alerta recorrente entre os leitores e que também estaria relacionado ao travamento da direção elétrica, o que não percebemos em nosso carro.

A falha desapareceu em seguida, mas voltou no dia seguinte. Retornamos à concessionária. O técnico verificou falha de leitura no sensor da roda traseira esquerda e o apagou da memória do módulo.

Logo depois, o consultor técnico Fábio Fukuda conferiu os serviços. “Não mexeram no suporte e o filtro de ar do motor, cuja troca é preconizada aos 40.000 km, não foi trocado e também não consta na nota fiscal, ainda que tenhamos pago a revisão no preço que está no site da Chevrolet”, explica Fukuda, que constatou que a concessionária vendeu um filtro de cabine de marca própria, e não uma peça original. Questionada, a GM não respondeu sobre isso.

Filtro de cabine onix plus
Concessionária vendeu filtro de cabine de marca própria, paralelo, não o original da GM. Segunda concessionária quis trocar a peça novamente Leonardo Barboza/Quatro Rodas

“Levei o Onix à concessionária Palazzo da Marginal Tietê para trocar o filtro de ar do motor. E o aviso do StabiliTrak apareceu outra vez na hora que entrei na oficina com o carro”, conta o piloto de testes Leonardo Barboza.

“Expliquei que havia feito a revisão, mas não fizeram a troca. O técnico disse que o serviço não constava no sistema e o manual também não estava carimbado. Ainda assim verificou a falha e disse que uma atualização, que levaria cerca de duas horas, deveria ter sido feita durante a revisão”, completa.

Mas a Palazzo cobrou por isso. “A troca do filtro levou dez minutos, mas cobraram todo o tempo que o carro ficou atualizando no elevador. O filtro custou R$ 75,40, mais R$ 118,90 do serviço. E ainda queriam trocar o filtro de cabine de novo!”, relatou Barboza, que também percebeu que a Nova marcou a próxima troca de óleo no adesivo para os 45.000 km, não para os 50.000 km.

Poucos dias depois, em 9/12, a Chevrolet divulgou uma atualização para o módulo de controle da direção elétrica. No documento, a fabricante diz que “alguns veículos podem apresentar uma deficiência no software do módulo de controle da direção assistida (EPS), que pode gerar eventualmente sua reinicialização”. Seria a causa do travamento da direção, mas com tratamento de recall branco: caberá às concessionárias contatar os proprietários.

Chevrolet Onix Plus – 40.127 km

Ficha técnica:
Versão: Premier 1.0 12V Turbo
Motor: 3 cilindros, dianteiro, transversal, 999 cm3, 12V, turbo, 116/116 cv a 5.500 rpm, 16,8/16,3 mkgf
a 2.000 rpm
Câmbio: Automático, 6 marchas, tração dianteira
Seguro: R$ 1.112 (Perfil Quatro Rodas)
Revisões: Até 60.000 km – R$ 3.012
Gasto no mês: Combustível: R$ 758,50
Filtro de ar: R$ 194,30
Revisão: R$ 883
Consumo: No mês: 11,6 km/l com 45,2% de rodagem na cidade
Desde dez/19: 13,2 km/l com 29,7% de rodagem na cidade
Combustível: Flex (gasolina)

Não pode ir à banca comprar, mas não quer perder os conteúdos exclusivos da Quatro Rodas? Clique aqui e tenha o acesso digital.

Continua após a publicidade
Publicidade