Assine QUATRO RODAS por R$2,00/semana
Continua após publicidade

Hyundai Veracruz era grande e potente; relembre o primeiro teste

Com lugar e conforto para sete, o crossover tinha sempre tração 4x4, mas gostava mesmo é de um bom asfalto

Por Paulo Campo Grande
27 jan 2024, 14h04

Publicado originalmente em dezembro de 2007

Em casa com mais de dois filhos, é comum que o caçula chegue num momento em que o orçamento doméstico já ultrapassa o previsto. No caso do Hyundai Veracruz foi diferente. O terceiro crossover da família, lançado no fim de 2006, já chegou com a estrada asfaltada pelo bom momento vivido pela marca. Com visual mais cosmopolita (e americano), ele é maior que seus irmãos Tucson e Santa Fe e teve suas linhas criadas no novo centro de design da marca, localizado, não por acaso, na Califórnia.

O Veracruz chegou ao Brasil em julho e concorre com modelos como Jeep Grand Cherokee Limited e Volkswagen Touareg V6, vendidos na mesma faixa de preço. Mas essa proximidade se deve mais à coincidência entre os preços que ao que eles entregam. Isso porque os rivais são utilitários esportivos na melhor acepção da palavra — equipados com sistemas de transmissão mais robustos, com opção de marcha reduzida –, enquanto o Veracruz é um crossover, sem ambições de se aventurar por trilhas off-road pesadas.

Veracruz 3.8 V6, modelo 2007 da Hyundai, testado pela revista Quatro Rodas.
(Marco de Bari/Quatro Rodas)
Nome mexicano

O primeiro nome do Brasil foi Ilha de Vera Cruz. Mas a Hyundai não sabia disso, quando batizou o crossover. Ela se inspirou na cidade de Veracruz, que fica no México. Tucson e Santa Fé, aliás, também são nomes de cidades, só que americanas. Tucson fica no Arizona e Santa Fé, no Novo México.

Compartilhe essa matéria via:

Em condições normais de temperatura, pressão e rodagem, o Veracruz tem tração 4×2 dianteira. O modo 4×4 entra apenas se for convocado pelo motorista (basta apertar um botão). E serve apenas para vencer obstáculos, descer ladeiras ou trafegar por trechos arenosos ou lamacentos, em velocidades inferiores a 30 km/h.

Veracruz 3.8 V6, modelo 2007 da Hyundai, testado pela revista Quatro Rodas.
(Marco de Bari/Quatro Rodas)

O Veracruz não veio ao mundo para exibições de valentia. Sua missão é transportar pessoas com conforto. Para isso, ele é dotado de bancos de couro, sistema de som, teto solar elétrico e ar-condicionado digital. Ele oferece lugar para sete, em três fileiras de bancos (a terceira é escamoteável). Todos os ocupantes são contemplados com saídas individuais de ar-condicionado e airbags ” são dez ao todo.

O motorista conta com piloto automático, computador de bordo e coluna de direção regulável em altura e profundidade (a variação não é muito ampla, porém). No capítulo segurança: ABS e controles de tração e de estabilidade, de série.

Interior do Veracruz 3.8 V6, modelo 2007 da Hyundai, testado pela revista Quatro Rodas.
(Marco de Bari/Quatro Rodas)

Ao volante, ele continua sendo familiar. Os comandos estão à mão, são fáceis de manusear e suas funções são percebidas de forma intuitiva. O acabamento é agradável ao toque e também aos olhos. À noite, a iluminação suave, nas cores azul e branca, transmite uma atmosfera tranquila.

Mostradores do Veracruz 3.8 V6, modelo 2007 da Hyundai, testado pela revista Quatro Rodas.
(Marco de Bari/Quatro Rodas)

Em pisos bem conservados, o Veracruz roda com maciez e silêncio. No asfalto liso, o único barulho que incomoda a bordo é o do controle remoto de abertura das portas batendo no painel. Já as ruas esburacadas, embora as irregularidades não cheguem a perturbar a suspensão, provocam ruídos nas peças do acabamento.

Banco dianteiro de couro do Veracruz 3.8 V6, modelo 2007 da Hyundai, testado pela revista Quatro Rodas.
(Marco de Bari/Quatro Rodas)

Apesar das dimensões ” são 4,80 metros de comprimento, 1,75 de altura e 1,90 de largura ” o motorista tem a sensação de estar ao volante de um automóvel. Você só lembra que o Veracruz é um crossover grande quando freia e faz curvas.

Banco traseiro de couro do Veracruz 3.8 V6, modelo 2007 da Hyundai, testado pela revista Quatro Rodas.
(Marco de Bari/Quatro Rodas)

A suavidade de comportamento, o desempenho do motor V6 de 270 cv e as quase 2 toneladas de peso formam uma combinação que pode surpreender os desavisados. Na hora de parar, o Veracruz pede que o motorista pise no freio com energia. E, nas curvas, que se respeite a velocidade aconselhada. Isso porque o Veracruz tende a sair de frente, quando seu limite é ultrapassado. Em nosso teste, no entanto, o crossover se saiu bem nas provas dinâmicas. A carroceria rola pouco para um crossover de grandes dimensões. A suspensão garante o equilíbrio. E os freios, paradas em espaços seguros.

Banco traseiro de couro do Veracruz 3.8 V6, modelo 2007 da Hyundai, testado pela revista Quatro Rodas.
(Marco de Bari/Quatro Rodas)

Para ir da imobilidade até os 100 km/h, o Veracruz precisou de apenas 9,5 segundos. Mas, nas ruas, ele reage melhor quando já está embalado. Levando-se em conta porte e categoria, nas medições de consumo ele se mostrou relativamente econômico, com as médias de 6,5 km/l na cidade e 8,8 km/l na estrada. Como se viu, a família Hyundai não está precisando fazer economia, mas nos dias atuais o comedimento nessa área é sempre bem-vindo e correto.

Porta-malas do Veracruz 3.8 V6, modelo 2007 da Hyundai, testado pela revista Quatro Rodas.
(Marco de Bari/Quatro Rodas)

Veredicto – O Veracruz cumpre o que promete, como crossover de luxo, e oferece conforto a bordo, sem descuidar da segurança. Pelo mesmo preço, porém, existem utilitários no mercado que, embora não sejam tão completos, têm aptidões para encarar as trilhas off-road com maior desenvoltura.

Ficha técnica – Hyundai Veracruz

  • Preço original: R$ 175.000
  • Preço corrigido: R$ 437.138 (IPCA)
  • Motor: gasolina, dianteiro, transversal, v6. em linha, 24V, DOHC, 3.778 cm3, 270 cv a 6.000 rpm, 36,2 kgfm a 4.500 rpm
  • Câmbio: automático, 6 marchas, tração integral sob demanda
  • Direção: hidráulica; 3,3 voltas entre batentes, 11,3 m diâmetro de giro
  • Suspensão: McPherson (diant.), multilink (tras.)
  • Freios: disco ventilado (diant.), sólido (tras.)
  • Pneus: 245/60 R18
  • Dimensões: comprimento, 484 cm; largura, 193 cm; altura, 175 cm; entre-eixos, 280 cm; porta-malas, 1.103 litros; peso, 1.965 kg
Motor do Veracruz 3.8 V6, modelo 2007 da Hyundai, testado pela revista Quatro Rodas.
(Marco de Bari/Quatro Rodas)

Teste – Hyundai Veracruz

Teste – Honda ZR-V

Aceleração
0 a 100 km/h: 9,5 s
0 a 1.000 m: 30,7 s

Retomadas
D 40 a 80 km/h: 4,7 s
D 60 a 100 km/h: 5,0 s
D 80 a 120 km/h: 6,4 s

Ruído interno
Neutro/RPM máx.: 35,8 / 59,0 dBA
80/120 km/h: 55,3 / 60,8 dBA

Frenagens
60/80/120 km/h a 0: 15,4/26,9/63 m

Publicidade

Matéria exclusiva para assinantes. Faça seu login

Este usuário não possui direito de acesso neste conteúdo. Para mudar de conta, faça seu login

Os automóveis estão mudando.
O tempo todo.

Acompanhe por QUATRO RODAS.

MELHOR
OFERTA

Digital Completo
Digital Completo

Acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 2,00/semana*

ou

Impressa + Digital
Impressa + Digital

Receba Quatro Rodas impressa e tenha acesso ilimitado ao site, edições digitais e acervo de todos os títulos Abril nos apps*

a partir de R$ 12,90/mês

*Acesso ilimitado ao site e edições digitais de todos os títulos Abril, ao acervo completo de Veja e Quatro Rodas e todas as edições dos últimos 7 anos de Claudia, Superinteressante, VC S/A, Você RH e Veja Saúde, incluindo edições especiais e históricas no app.
*Pagamento único anual de R$96, equivalente a R$2 por semana.

PARABÉNS! Você já pode ler essa matéria grátis.
Fechar

Não vá embora sem ler essa matéria!
Assista um anúncio e leia grátis
CLIQUE AQUI.