Clique e assine por apenas 8,90/mês

Dodge Journey

Modelo com tração nas quatro rodas é bem-equipado, carrega 7 e vai de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos

Por Ulisses Cavalcante - Atualizado em 9 nov 2016, 14h20 - Publicado em 18 fev 2015, 17h28
testes

O crossover Journey não chega a ser uma novidade nas ruas brasileiras. Desembarcou por aqui em 2008 e de lá para cá só passou por uma leve reforma no visual. Mas a mecânica e a lista de equipamentos evoluíram bastante. A linha 2012 trocou o motor 2.7 (185 cv) pelo 3.6 (280 cv) e passou a contar com lanternas de led, airbags laterais, ar-condicionado de três zonas, assentos infantis (booster) embutidos e rodas de 19 polegadas.

A novidade do momento é a versão R/T AWD, com tração nas quatro rodas. Por meio de um engate mecânico, não por pressão, como ocorre nos sistemas de acoplamento viscoso, a tração para o eixo traseiro é distribuída sem intervenção do motorista. A Dodge considera que essa tecnologia é mais rápida e adequada para motores de grande porte. Em condições consideradas normais, a tração é enviada apenas ao eixo dianteiro. Mas a distribuição variável do torque permite que até 60% da força seja enviada ao eixo traseiro. Isso pode ocorrer em curvas fechadas ou em pisos de baixa aderência – sob chuva, por exemplo. Acima dos 85 km/h, a distribuição mínima é de 85% de tração na frente e 15% atrás.

O Journey R/T AWD pesa 2 067 kg, mas mesmo assim foi de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos. E revelou traços de velocista nas provas de retomada. Mas foi pior nos testes de consumo em relação à versão R/T com tração só na dianteira. Marcou 6,8 e 9,5 km/l de gasolina nos ciclos urbano e rodoviário – o R/T 4×2 registrou 7,6 e 11 km/l.

A versão avaliada é a topo de linha, mas não a mais cara. E revelou oferecer o melhor custo-benefício. Tem sistema multimídia da Alpine com duas telas de LCD. A do motorista, no centro do painel, tem display de 8,4 polegadas capaz de exibir dados do som e as imagens da câmera de ré. A tela maior (9 polegadas) é retrátil e fica embutida no teto. Nela, os ocupantes de trás podem assistir a DVDs e controlar o aparelho por meio de um equipamento sem fio. Se você preferir a versão Crossroad, uma série limitada, vai pagar R$ 137 900. Por R$ 8 000 a mais você leva um pacote de acessórios estéticos e perde a tração integral.

Continua após a publicidade

VEREDICTO

Com 280 cv, esse crossover familiar é ideal para quem gosta de dirigir e não pode abrir mão de espaço. É bom de curva, acelera forte e tem uma lista generosa de equipamentos.

FICHA TÉCNICA
Motor diant., longit., V6
Cilindrada 3 604 cm³, 24V, gas
Potência 280 cv a 6 350 rpm
Torque 4,9 mkgf a 4 350 rpm
Câmbio aut. sequencial, 6 marchas, tração integral
Dimensões compr., 491 cm; larg., 187,8 cm; altura, 175,1 cm; entreeixos, 289 cm
Peso 2 067 kg
Porta-malas/caçamba 483 litros
Publicidade