Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

BMW 435i Coupé M Sport

Primeiro modelo da Série 4 no Brasil, o BMW 435i M custa quase o mesmo que o Série 3 equivalente - e oferece mais

Por Hairton Ponciano Voz Atualizado em 8 nov 2016, 18h06 - Publicado em 26 set 2014, 15h18
testes

Ninguém iria reclamar se ele fosse chamado de Série 3 cupê. Afinal, a mecânica é a mesma, assim como o entre-eixos. O preço quase empata: só R$ 4 000 separam o 335i M Sport (R$ 295 950) do 435i M Coupé Sport (R$ 299 950). Sem o head-up display (único opcional), o preço cai para R$ 295 550 e fica até abaixo do 335i. Mas, na carroceria, quanta diferença. A beleza das linhas compensa as duas portas a menos, com sobras.

É como se o modelo tivesse passado de ano: mudou de série e agora ostenta orgulhoso uma credencial de Série 4. Mas não se trata apenas de ter ganhado nome próprio. Seu design tem perfil mais esportivo, com capô alongado e teto mais baixo. Tem quase o mesmo comprimento (4,64 metros) do Série 3, mas, como ele é 6 cm mais baixo (1,38 metro), a esportividade fica realçada. As saídas de ar laterais em forma de bumerangue dão um toque especial. As caixas de roda traseiras também são mais largas e, de frente, a aparência é mais agressiva, graças ao para-choque mais baixo, com grandes entradas de ar para o motor e para os freios.

Quando se entra no carro, uma mãozinha mecânica traz o cinto de segurança, para facilitar o alcance. Isso porque a porta é grande e o cinto fica longe. Aí você aperta o botão de ignição e o motor 3.0 de seis cilindros turbo solta seu urro. Pura música, de tom grave. Assim que o carro começa a andar, os cintos dão uma apertadinha, para eliminar a folga. Aí é só escolher o que você quer da vida. Economia? Basta selecionar o modo Eco Pro ou Comfort na tecla do console e, surpresa: o 435i chegou a fazer 13,2 km/l na estrada, mesmo tendo 306 cv.

Um dos segredos está no câmbio automático de oito marchas, que mantém a rotação bem baixa: a 120 km/h, o motor fica a 2 000 rpm. Você mal ouve o ronronar da máquina. Na pista de testes, subi o giro até 3 000 rpm (só metade da rotação máxima) e o cupê já pulou para 170 km/h, sem esforço. Mas a combinação de oito marchas, seis cilindros, quatro lugares, duas portas e um turbo tem bem mais a oferecer. Chequei os dados da BMW e achei um pouco otimista o 0 a 100 km/h em 5,1 segundos. Aí tem, pensei. E tinha mesmo. Fizemos em 5 segundos! Basta você pisar um pouco mais que as rodas traseiras já saem patinando, mesmo sem desligar o controle de tração e mesmo com o carro no modo Comfort.

Quando se acionam os modos Sport ou Sport+ (neste último, o controle de tração é desativado), as respostas tornam-se instantâneas, mesmo com uma leve pressão no acelerador. E os resultados vêm: retomadas de aceleração muito rápidas – e olha que não há dupla embreagem. Além dos 306 cv, esse motor rende 40,8 mkgf de torque, a partir de 1 200 rpm. Traduzindo: basta encostar no pedal que a força está toda nas rodas. E sem gastar os tubos. Até na cidade, onde normalmente carro potente gosta de parar no posto para tomar um trago, o cupê foi generoso, com média de 9,1 km/l. Nem parece que a gente está falando de esportivo. Mas estamos. Olhe para as rodas! São aro 19 e calçam pneus de perfil bem baixo: 225/40 na frente e 255/35 atrás.

Achei que esses pneus me fariam sofrer em piso ruim. Mas andei sobre paralelepípedos e a suspensão absorveu bem as imperfeições, sem transmitir desconforto. O volante informa exatamente o que se passa sob o BMW, sem ser incômodo. Aliás, a máquina é tão bem conectada ao solo que o controle de largada até se adapta a asfalto molhado. Graças à boa distribuição de peso (50/50) e ao teto baixo, o cupê é ótimo em curvas, com alta estabilidade e pouca inclinação da carroceria. A direção tem relação variável – nas manobras, é leve e esterça bem e, em alta, é precisa. É difícil de acreditar que o cupê consiga aliar características opostas num mesmo modelo. É mais uma prova de que 4 sempre vale mais que 3.

DIREÇÃO, FREIO E SUSPENSÃO

Direção no peso certo, facilita manobras e passa confiança em alta. Suspensão firme, confortável sem ser mole, estável sem ser dura. Na frenagem esperávamos números um pouco melhores.

★★★★

MOTOR E CÂMBIO

A dupla 6 x 8 (seis cilindros, oito marchas) trabalha afinada. O motor traz tudo o que há de avançado e a transmissão cheia de marchas aproveita muito bem a fartura de potência e torque.

★★★★★

CARROCERIA

Contornos muito bem trabalhados fazem do Série 4 um cupê atraente. É aquele tipo de carro que faz você perder algum tempo na garagem só admirando as linhas.

★★★★★

VIDA A BORDO

Ótima no banco dianteiro esquerdo, muito boa no dianteiro direito, aceitável no banco traseiro.

Continua após a publicidade

★★★★

SEGURANÇA

São seis airbags (frontais, laterais e de cortina), além de freios eficientes, estabilidade exemplar e controle de velocidade adaptativo, que freia se o veículo da frente diminuir o ritmo.

★★★★

SEU BOLSO

Pela diferença de preço em relação ao 335i (R$ 4 000), pode ser uma alternativa vantajosa, levando-se em conta o fator novidade e o estilo – a menos que você precise de um carro de quatro portas.

★★★★

OS RIVAIS

Mercedes CLA 45 AMG

mercedes.jpeg

Ele é mais potente (360 cv) e mais barato – sai por R$ 289.900.

Chevrolet Camaro V8 6.2

camaro.jpeg

Além do preço bem menor (R$ 222.096) oferece 100 cv a mais (406 cv).

VEREDICTO

Bom nível de equipamentos, desempenho esportivo, confortável e seguro. Pode não ser o carro ideal para a família (o porta-malas é um pouco menor que o da Série 3 e não há portas traseiras), mas, fora isso, ele faz você feliz.

Continua após a publicidade

Publicidade