Clique e assine com até 75% de desconto

Saiba tudo sobre o Jeep Renegade

Veja preços, conteúdo, motores e como anda o SUV

Por Vitor Matsubara, do Rio de Janeiro Atualizado em 9 nov 2016, 14h24 - Publicado em 24 mar 2015, 03h01
fabricantes

Poucos lançamentos são tão importantes para uma marca como o Renegade para a Jeep. Até executivos do alto escalão afirmam que o SUV é peça fundamental na estratégia de “relançamento” da marca no país. O grupo FCA aposta alto no sucesso do modelo, a ponto de ter investido aproximadamente R$ 4 bilhões na construção da fábrica mais moderna da Jeep no mundo, localizada em Goiana (PE), de onde sairão outros modelos no futuro. Mas enquanto isso não acontece, que tal saber tudo sobre o Renegade?

Quais são as versões do Renegade?

Inicialmente serão três: Sport, Longitude e Trailhawk. Mas a marca promete lançar uma nova versão de entrada nos próximos meses, chamada apenas de “1.8”.

Quais são as motorizações? E transmissões e opções de tração?

O Renegade terá motores 1.8 e.torQ Flex Evo, com até 136 cv se abastecido com etanol, e 2.0 turbodiesel, que entrega 170 cv. As transmissões são manual de cinco marchas (1.8 flex), automática de seis marchas (1.8 flex) e automática de nove marchas (2.0 turbodiesel). São duas opções de tração: dianteira ou 4×4, esta segunda apenas nas versões a diesel.

E os preços?

Sport 1.8 (manual de 6 marchas): R$ 69.900

Sport 1.8 (aut. de 6 marchas): R$ 75.900

Sport 2.0 turbodiesel (aut. de 9 marchas): R$ 99.900

Longitude 1.8 (aut.): R$ 80.900

Longitude 2.0 turbodiesel (aut. de 9 marchas): R$ 109.990

Trailhawk 2.0 turbodiesel (aut. de 9 marchas): R$ 116.990

mercado

O que cada versão traz?

Renegade Sport (acima): airbag duplo frontal, freios ABS, ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro bipartido, chave do tipo canivete, coluna de direção com regulagem de altura e profundidade, cintos de segurança com ajuste de altura, computador de bordo, controles de estabilidade e de tração, direção elétrica, piloto automático, controle anticapotamento, controle de reboque de trailer, faróis de neblina, freio de estacionamento elétrico, freios a disco nas quatro rodas, assistência de partida em rampas, sistema de frenagem de emergência, sistema de som com seis alto-falantes, Bluetooth e entrada USB, retrovisores elétricos, rodas de liga leve aro 16, sensor de estacionamento traseiro, tomada 12 volts, travas elétricas e vidros elétricos nas quatro portas com função um-toque.

Renegade Longitude: todos os itens da Sport mais maçanetas e espelhos retrovisores na cor da carroceria, rodas de liga leve de 17 polegadas, câmera de ré, central multimídia com tela de cinco polegadas sensível ao toque, GPS, volante com acabamento em couro.

Renegade Trailhawk: todos os itens da Longitude mais acendimento automático dos faróis, adesivos externos, borboletas para trocas de marcha atrás do volante, faróis com regulagem elétrica de altura, ganchos externos, controle de velocidade em descida, protetores de assoalho (cárter, transmissão, tanque e diferencial), painel de instrumentos com tela TFT de sete polegadas, sensor de chuva, sistema de tração 4×4 com cinco ajustes e suspensão elevada.

Quais itens são opcionais?

Dependendo da versão, o Renegade pode ser equipado com rodas de liga leve aro 18, bancos de couro, sete airbags, monitoramento da pressão dos pneus, teto solar panorâmico duplo, detector de pontos cegos, Park Assist (assistência de estacionamento total em vagas paralelas e perpendiculares), destravamento das portas e partida sem chave, espelhos com rebatimento elétrico, tomada de corrente de 127 volts, sistema de som Beats com oito alto-falantes e subwoofer, banco do motorista com regulagens elétricas, faróis de xenônio e pintura metálica.

240315-renegade-05.jpeg

Qual é a garantia do Renegade? Como funcionará o cronograma das revisões?

A marca promete três anos de garantia, com revisões realizadas a cada 12 mil quilômetros. Todas as revisões terão preços fechados e itens definidos para revisão e/ou substituição, com custo de mão-de-obra incluído nos valores:

Continua após a publicidade

12 mil quilômetros ou um ano: R$ 327

Óleo do motor, filtro de óleo do motor, filtro de ar e filtro de combustível.

24 mil quilômetros ou dois anos: R$ 477

Óleo do motor, filtro de óleo do motor, filtro de ar e filtro de combustível.

36 mil quilômetros ou três anos: R$ 764

Óleo do motor, filtro de óleo do motor, filtro de ar, filtro de combustível e fluido de freio.

48 mil quilômetros ou quatro anos: R$ 684

Óleo do motor, filtro de óleo do motor, filtro de ar e filtro de combustível.

60 mil quilômetros ou cinco anos: R$ 947

Óleo do motor, filtro de óleo do motor, filtro de ar, filtro de combustível e vela de ignição.

De onde vem a caixa de nove marchas do Renegade a diesel?

Segundo a Jeep, esta transmissão é a mesma utilizada no Cherokee. A marca diz que ela alia desempenho com economia de combustível: números da Jeep indicam que a 120 km/h o motor do Renegade gira a apenas 1.000 rpm.

240315-renegade-08.jpeg

Qual é o tamanho do Renegade?

O carro tem 4,23 metros de comprimento, 1,79 metro de largura, 1,66 metro de altura e distância entre-eixos de 2,57 metros.

Quantas concessionárias a Jeep possui no país?

A rede foi expandida nos últimos meses e hoje conta com 120 pontos de venda, prometendo atingir 200 revendas até o fim deste ano.

E como anda o Renegade?

O Renegade 1.8 e.torQ com câmbio automático é bastante agradável de guiar pelas ruas de grandes cidades como o Rio de Janeiro, local escolhido pela Jeep para apresentar o SUV. Apesar das dimensões compactas, o veículo traz a sensação de segurança tão desejada pelos fãs de utilitários esportivos, principalmente pela posição de dirigir mais elevada. Atrás do volante o condutor visualiza as linhas retas do capô, fazendo o motorista se imaginar no controle de um carro maior. Além desta sensação, o carro oferece boa visibilidade e pode vir com detector de pontos cegos – vendido como opcional.

Internamente, o acabamento de boa qualidade nos faz sentir dentro de um carro de categoria superior. Há um pouco de plástico nas portas, mas o resto dos materiais empregados são agradáveis ao toque e as peças são bem encaixadas.

O motor 1.8 de origem Fiat ainda funciona de forma um pouco “áspera”, ou seja, sem muita progressividade nas acelerações. Isso contribui para que a transmissão deixe um pouco a desejar em retomadas, exigindo certa prudência em situações como ultrapassagens ou mudanças de faixa. Mas este comportamento não compromete o desempenho do SUV na cidade. A direção elétrica facilita as manobras de estacionamento, não sendo nem leve demais nem excessivamente pesada.

Confira galeria completa do lançamento do Renegade!240315-renegade-02.jpeg

Continua após a publicidade
Publicidade