Problema em roda não-original causou acidente fatal de cantor Cristiano Araújo

Sertanejo viajava em Range Rover Sport; passageiros do banco traseiro não usavam cintos de segurança e carro estava em alta velocidade

seguranca seguranca

seguranca (/)

A ruptura de soldas da roda traseira direita foi a causa do acidente que vitimou o cantor Cristiano Araújo. A informação foi divulgada pelo portal G1 com base no laudo do Instituto de Criminalística de Goiás.

De acordo com a perícia, apenas a roda defeituosa, que tinha 22 polegadas e não era original, tinha dez pontos de soldagem realizados com “material de má qualidade” – a roda esquerda possuía cinco pontos de solda. O rompimento cortou o pneu, que se desprendeu da roda. Além do cantor de 29 anos, sua namorada, Allana Moraes, também faleceu após o acidente.

A Polícia Civil afirma que outros problemas corroboraram para a tragédia fora o problema na roda, entre eles o fato de o veículo estar trafegando em alta velocidade e a falta do cinto de segurança. Fabiano Jacomelis, delegado responsável pelo caso, concluiu o inquérito e indiciou o motorista Ronaldo Miranda por duplo homicídio culposo – ou seja, quando não há a intenção de matar – na direção de veículo, por ter sido “negligente e imprudente”.

As vítimas estavam em um Range Rover Sport 2015, que sai de fábrica com rodas de liga leve de 20 polegadas. As rodas não-originais foram um presente de um amigo a Cristiano Araújo. Em entrevista ao G1, o ex-jogador de futebol Tiago Ferreira dos Santos admitiu que já havia feito reparo nas peças.

De acordo com a perícia, as rodas do veículo eram feitas do mesmo material das indicadas pela Land Rover, sendo apenas o aro diferente. A perita criminal Kárita Fortes, uma das responsáveis pela análise das peças, afirmou que, além de o veículo estar equipado com rodas fora das especificações da montadora e reparadas de forma incorreta, os pneus estavam descalibrados ou com sobrecarga, prejudicando a durabilidade da borracha. Como os pneus também não eram originais de fábrica, a central eletrônica do Range Rover não conseguia reconhecer o bico de enchimento, entendendo que os pneus estavam descalibrados.

O perito criminal José Luiz de Amaral informou que todos os airbags foram acionados, mas os cintos de segurança do banco traseiro estavam desafivelados e recolhidos. “Isso demostra que os passageiros do banco traseiro não utilizavam cinto, tanto que foram arremessados, impulsionados para fora do veiculo”, explicou. O motorista do SUV e o empresário de Cristiano Araújo usavam cinto de segurança e escaparam do acidente com vida.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s