Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Porsche Cayenne Coupé começa a desfilar no Brasil no fim de 2019

SUV-cupê derivado do Cayenne deve chegar ao mercado entre outubro e novembro, com preço inicial pouco acima de R$ 450 mil

Por Leonardo Felix, de Graz (Áustria) 31 Maio 2019, 19h14
Porsche Cayenne Coupé, de frente e de traseira Divulgação/Porsche

A Porsche está realizando esta semana na região de Graz, Áustria, a apresentação mundial do Cayenne Coupé, derivação acupezada de seu já conhecido SUV grande de luxo.

Mas, se o SUV-cupê começa a ganhar as ruas europeias já no fim deste mês, o Brasil só deve recebê-lo no último trimestre de 2019. Questões de homologação.

O utilitário tende a aportar em outubro, importado da Eslováquia, onde toda a família Cayenne é produzida. Há poucas chances de que chegue antes, em setembro. O cenário mais pessimista é para lançamento em novembro.

Cayenne Coupé é resposta da Porsche a BMW X6, Mercedes GLE Coupé e Lamborghini Urus Divulgação/Porsche

Tal qual o Cayenne convencional, a derivação Coupé deve oferecer três versões de motor (sempre a gasolina) e acabamento: V6 3.0 turbo, com 340 cv de potência e 45,9 mkgf de torque, na versão básica; V6 2.9 biturbo, de 440 cv e 56,1 mkgf, na intermediária S; V8 4.0 biturbo, de 550 cv e 78,5 mkgf, na de topo Turbo.

De frente, um Cayenne Divulgação/Porsche

Todas virão equipadas com câmbio automático de oito marchas, tração integral e aerofólio traseiro escamoteável. Só a Turbo, porém, possuirá suspensões adaptativas com amortecedores pneumáticos e ajuste de altura em quatro níveis.

De traseira, um 911 para lá de anabolizado Divulgação/Porsche

Preços devem iniciar pouco acima de R$ 450 mil e passar de R$ 800 mil na versão mais cara recheada de opcionais.

Continua após a publicidade

Falando em opcionais, o comprador do Cayenne Coupé terá um sem-número de pacotes à disposição para incrementar o veículo. Poderá, por exemplo, trocar o teto panorâmico em vidro por outro fechado, em fibra de carbono, aliviando em 21 kg o peso e melhorando em quase 1 cm o espaço para cabeça no banco de trás.

Aerofólio traseiro retrátil promete melhorar aerodinâmica Divulgação/Porsche

Também caberá a ele escolher o desenho das rodas aro 20 a 22, ou mesmo se o volante virá revestido em alcantara ou couro, entre outros detalhes. Pagando-se os valores pedidos, quase tudo é permitido.

Comprador poderá personalizar cores e materiais dos resvetimentos internos Divulgação/Porsche

Ao dono será dada ainda a opção, esta sem custo adicional, de escolher se quer assentos para cinco ou quatro passageiros. Neste segundo caso, a posição central na fileira traseira é transformada em porta-objetos).

Teto panorâmico em vidro vem de série em todas as versões Divulgação/Porsche

Apesar dos 2 cm a menos a altura e de contar com um aerofólio traseiro retrátil, o que teoricamente melhora a aerodinâmica, o Cayenne Coupé possui os mesmos índices oficiais de 0 a 100 km/h em comparação com o SUV do qual deriva.

Banco traseiro é 3 cm mais baixo, a fim de recuperar espaço para cabeça perdido com o teto mais baixo Divulgação/Porsche

São 3,9 segundos na versão Turbo V8 quando equipada com o pacote Sport Chrono, que inclui o já mencionado teto em fibra de carbono, além de outras soluções que reduzem o peso do veículo em aproximadamente 30 kg no total.

QUATRO RODAS participa de uma bateria de test-drives do modelo e publica em breves suas impressões.

Continua após a publicidade

Publicidade