Clique e Assine a partir de R$ 8,90/mês

Onze carros-conceito nacionais que brilharam no Salão do Automóvel

Protótipos brasileiros mostram que os gringos não são as únicas estrelas da feira

Por Vitor Matsubara Atualizado em 23 nov 2016, 21h55 - Publicado em 28 out 2016, 19h18
Fiat FCC 4 2
Fiat FCC 4 antecipou alguns elementos de design da picape Toro

Os apaixonados por carros já sabem: a cada dois anos, as principais novidades da indústria automotiva são exibidas no Salão do Automóvel de São Paulo. Realizada desde 1960, a feira é palco de lançamentos mundiais e também abre espaço para os carros-conceito. Embora a maioria dos protótipos venha de outros países, projetos 100% brasileiros também fizeram bastante sucesso nas 29 edições do Salão.

 

MINI-PUMA

Mini Puma
Projeto do subcompacto não virou realidade pela falta de incentivos do governo Acervo/Quatro Rodas

O Mini Puma foi uma das estrelas do Salão do Automóvel de 1974. Por baixo da carroceria com formas pouco comuns para a época estava um ambicioso projeto de carro urbano. O motor era um 760 cm3 de dois cilindros horizontais e opostos, que entregava aproximadamente 30 cv a 4.500 rpm.

O câmbio manual tinha a quarta marcha propositalmente longa para reduzir o consumo de combustível, estimado em até 20 km/l pela fabricante. Essa marca daria ao pequeno Puma uma autonomia de quase 600 quilômetros. Sem apoio do governo federal, a Puma foi forçada a desistir do projeto.

 

VW PARATI EDP

Parati EDP 1
A inspiração para a carroceria alargada veio dos carros da DTM

Pouca gente se lembra, mas houve um tempo em que outro evento acontecia nos anos ímpares, ou seja, quando não havia Salão do Automóvel. O Brasil Motor Show de 1997 foi o palco da apresentação da Parati EDP (de Engineering Design Prototype), exemplar único inspirado nos bólidos da DTM, a categoria alemã de carros de turismo.

Parati EDP 2
Motor 2.0 16V do Gol GTI entregava 200 cv na perua

Os para-choques foram integrados à carroceria e a lateral foi alargada com apliques feitos de fibra de carbono. O motor 2.0 16V utilizado originalmente no Gol GTI 16V saltou dos 145 cv originais para aproximadamente 200 cv. As rodas de liga leve da alemã BBS exigiram o desenvolvimento de cubos de rodas, discos de freio e pinças exclusivas para o projeto.

 

CHEVROLET PRISMA Y

Chevrolet Prisma Y 1
Anti-EcoSport? O Prisma Y foi o primeiro projeto do centro brasileiro de design da GM

Apresentado em 2004, o Ford EcoSport rapidamente virou um sucesso de vendas. Diante do sucesso da concorrência, a Chevrolet revelou um estudo de SUV compacto no Salão do Automóvel de 2006. Desenvolvido no então recém-criado estúdio de design da GM América Latina, localizado em São Caetano do Sul (SP), o Prisma Y foi baseado na primeira geração do Prisma.

Chevrolet Prisma Y 2
Linhas eram inspiradas na primeira geração do Prisma

 

Alguns detalhes de design aproximavam o sedã do carro-conceito, bem como o motor 1.4 Econoflex de até 97 cv. Rumores indicavam que uma versão definitiva do Prisma Y substituiria o antigo Chevrolet Tracker, o que não se concretizou.

 

FIAT FCC ADVENTURE

Fiat FCC Adventure
Cupê antecipou elementos que seriam adotados posteriormente na linha Adventure

Desenvolvido por profissionais da filial brasileira, o FCC (de Fiat Concept Car) Adventure era um cupê concebido para encarar desafios no fora-de-estrada.

Além da chamativa cor laranja, as rodas de 18 polegadas e a grade cromada (que seria aproveitada na reestilização promovida na Palio Adventure em 2008) também atraíram olhares para o estande da marca italiana.

 

CHEVROLET GPiX

Chevrolet GPix 1
O GPiX rompeu as fronteiras do Brasil e fez sucesso pelo mundo

O Salão do Automóvel de 2008 foi o palco da revelação do Chevrolet GPiX. O crossover compacto tinha um design moderno e carroceria de duas portas.

Chevrolet GPix 2
Crossover serviu de inspiração para o controverso Agile

“Trata-se de um conceito que poderá resultar, no futuro, no desenvolvimento de vários modelos a partir de uma mesma arquitetura”, afirmou o então presidente da General Motors do Brasil e Mercosul, Jaime Ardila. O executivo tinha razão: do protótipo nasceu o Agile, hatchback de visual controverso que teve vida curta no país. 

Continua após a publicidade

 

FIAT BUGSTER

Fiat Bugster 1
Elétrico, o Bugster era movido por baterias de íon-lítio

A edição de 2010 trouxe o segundo carro-conceito desenvolvido pela Fiat em Betim (MG). Também conhecido como FCC 2, o Bugster (junção dos nomes “Buggy” e “Monster”) já acompanhava a tendência de sustentabilidade. Construída sobre um chassi tubular, a carroceria era feita com um tipo de plástico composto de polímeros feito de materiais recicláveis e fibra de carbono.

Fiat Bugster 2
Materiais recicláveis eram utilizados na construção do veículo

 

O capô era produzido com fibra de sisal e nanoargila e 30% da composição dos bancos tinham óleo de fritura. Assim como a maioria dos elétricos atuais, o Bugster era impulsionado por baterias de íon-lítio, oferecendo autonomia de aproximadamente 100 quilômetros.

 

FIAT UNO CABRIO

Fiat Uno Cabrio
Bonito e com motor 1.4 turbo: bem que o Uno Cabrio poderia ter virado realidade…

O Bugster podia ser o carro-conceito mais diferente da Fiat em 2010, mas um outro estudo roubou a cena. Além de belo, o Uno Cabrio tinha uma surpresa das melhores debaixo do capô: um motor 1.4 turbo de 152 cv, o mesmo utilizado no Punto T-Jet.

Os para-choques foram redesenhados, assim como as lanternas translúcidas. Um par de santantônios atrás dos bancos do tipo concha e a ponteira central de escapamento completavam o visual. A lista de acessórios esportivos incluía ainda volante de base achatada (vindo do Fiat 500), rodas de liga leve de 16 polegadas calçadas com pneus de perfil baixo e indicador da pressão do turbo.

 

VW SAVEIRO ROCKET

VW Saveiro RockeT 1
Sonho de qualquer fã de Saveiro, a RockeT era turbinada de fábrica

Seis anos atrás, a VW transformou a Saveiro em um conceito bastante especial. Definida como a “realização de um sonho” pelo então chefe de design da empresa, Luiz Veiga, a Saveiro RockeT tinha um motor 1.4 turbo de 122 cv, acoplado a uma transmissão manual de seis marchas. Dados informados pela VW indicavam aceleração de 0 a 100 km/h em 9,5 segundos, atingindo a velocidade máxima de 200 km/h.

VW Saveiro RockeT 2
Picape tinha capota rígida, rodas aro 18 e pintura exclusiva

Outro ponto forte era o design: a RockeT vinha com pintura exclusiva, caçamba com cobertura rígida, rodas de liga leve de 18 polegadas tingidas de preto e santantônio. Por dentro, a picape trazia bancos esportivos do Golf R32, manopla de câmbio do Golf GTI e vários detalhes pintados de vermelho.

 

RENAULT SAND`UP CONCEPT

Renault Sand Up 1
Inspirado no Sandero Stepway, Sand’Up podia ser cupê ou picape

O então recém-lançado Sandero Stepway serviu de base para o Sand’Up Concept. Primeiro projeto desenvolvido pelo Centro de Design da Renault na América Latina, localizado em São Paulo (SP), o carro era bastante versátil.

Renault Sand Up 2
Conceito também foi destaque na imprensa internacional

Bastava retirar o par de arcos e o teto para transformá-lo de hatch para picape. As portas de vidro também davam um ar futurista ao protótipo revelado durante o Salão de 2008.

 

FIAT FCC 4

Fiat FCC 4 1
Linhas ousadas do FCC 4 foram mantidas na Toro

Antes do Salão de 2014, informações de bastidores davam conta que a Fiat estava, enfim, preparando o lançamento de uma picape média no Brasil. A confirmação veio no próprio evento na forma do FCC 4.

Fiat FCC 4 3
Depois de São Paulo, a FCC 4 também foi exibida no Salão de Buenos Aires

Embora tivesse cara de cupê pela existência de um vidro na parte traseira, o protótipo antecipava parte das linhas definitivas da Toro, que seria lançada apenas no começo de 2016.

 

NISSAN KICKS CONCEPT

Nissan Kicks Concept 1
SUV conceitual foi apresentado no Brasil por Carlos Ghosn, CEO da Nissan

A última edição do Salão trouxe uma revelação mundial no estande da Nissan, com direito até à apresentação conduzida pelo CEO da aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn. O Kicks Concept foi desenvolvido no centro de estilo da marca em San Diego, na Califórnia, com auxílio dos profissionais de design da Nissan do Brasil.

Nissan Kicks Concept 2
Combinação bicolor da carroceria foi preservada no Kicks definitivo

 

De acordo com a empresa, a carroceria em dois tons (cinza com teto laranja) é fruto da paisagem cinzenta da cidade de São Paulo com a profusão de cores vibrantes do Rio de Janeiro. Discurso de marketing à parte, o conceito serviu de inspiração para a versão definitiva do Kicks – que ficou bastante parecida com o estudo de estilo mostrado em 2014.

Continua após a publicidade
Publicidade