Clique e Assine a partir de R$ 6,90/mês

Novo Chevrolet Tracker deve chegar ao Brasil até o final do ano

Modelo foi reestilizado e ganhou novo interior nos EUA; unidades devem ser importadas

Por Redação Atualizado em 23 nov 2016, 21h02 - Publicado em 10 Maio 2016, 18h55
Chevrolet Trax 2017 1
Frente tem novos faróis e para-choque, mas visual lembra o Ford EcoSport

Em baixa frente à pesada concorrência de HR-V e Renegade, o Chevrolet Tracker deve receber no Brasil as mesmas atualizações apresentadas no modelo americano. Os rumores indicam que o facelift já pode desembarcar no país no Salão do Autómóvel, marcado para o início de novembro, em São Paulo.

Nos EUA, onde é chamado de Trax, ele ganhou alterações da frente e na traseira. Embora siga a identidade visual adotada recentemente pela marca, o Trax acabou ficando bastante parecido com o Ford EcoSport. Tanto os faróis com luzes de led quanto a tomada de ar abaixo da grade frontal lembram muito o SUV da marca do oval azul. Atrás, as mudanças se limitam a lanternas com nova disposição de luzes.

Chevrolet Trax 2017 2
Na traseira, apenas as lanternas são novas

Por dentro, o painel herdado do Sonic dá lugar a uma peça mais elaborada, com mostradores analógicos e uma tela digital configurável. O interior ganhou um estilo mais refinado e um novo sistema de entretenimento com tela de sete polegadas compatível com Apple CarPlay e Android Auto. Dependendo da configuração, o SUV pode vir com alerta de colisão frontal, monitoramento de pontos cegos, aviso de mudança de faixa involuntária e dez airbags.

Chevrolet Trax 2017 3
Antes idêntico ao do Sonic, interior ficou mais moderno e bem-acabado

A motorização oferecida no mercado americano é um motor 1.4 turbo com 138 cavalos e 20,4 mkgf de torque entre 1.850 e 4.900 rpm, com transmissão automática de seis marchas. O motor é menos sofisticado que o do novo Cruze, sem injeção direta de combustível – no sedã, que também deve estrear no Salão, ele produz 155 cavalos e 24,5 mkgf.

Por enquanto, não está claro qual dos motores irá equipar o Tracker no Brasil. Se ele vier importado do México, provavelmente terá a mesma motorização oferecida nos EUA. Já se ele for fabricado na Argentina junto com o Cruze, surge a opção de unificar uma única motorização para o SUV compacto e o sedã médio.

Continua após a publicidade

Publicidade